Operação Quadraginta Pax prende 10 envolvidos em homicídios e tráfico na grande Belém

O delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Rilmar Firmino informou que, ao todo, 100 policiais civis e militares fizeram parte da operação.

As Polícias Civil e Militar deflagraram, nesta quinta-feira, 8, uma operação para cumprir mandados de prisão de envolvidos em homicídios e tráfico de drogas, na área do 40 Horas, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém (RMB). Denominada “Quadraginta Pax” (Paz no Quarenta, em latim), a ação policial foi coordenada pela Divisão de Homicídios e resultou em dez pessoas presas, durante a manhã. Uma arma de fogo e drogas foram apreendidas durante a operação iniciada nas primeiras horas do dia. Os presos e o material apreendido foram levados para a sede da Divisão de Homicídios, no bairro de São Brás, em Belém.

Estiveram presentes também na Divisão de Homicídios, o coronel Hilton Benigno, comandante geral da Polícia Militar; o coronel Marco Antonio Rocha, chefe do Departamento Geral de Operações (DGO) da PM e o delegado Cláudio Galeno, diretor de Polícia Especializada da Polícia Civil. Conforme Firmino, ao todo, 11 mandados de prisão foram expedidos pela Justiça, em decorrência de investigações realizadas pela equipe da Divisão de Homicídios, unidade de Ananindeua e que tem atuação em investigação de homicídios na RMB.

No ano de 2017, conforme explicou Rilmar Firmino, as investigações identificaram 35 homicídios ligados a um grupo criminoso com atuação na área e que está em disputa pelo domínio de territórios do tráfico de drogas. Do total de mortes, oito delas já estão com autoria definida. A partir dessas investigações, ressaltou o delegado-geral, a equipe da DH fez a representação pelas prisões dos acusados. Entre eles, estão presidiários que cumprem pena no Sistema Penitenciário do Pará. “Estamos tirando de circulação criminosos envolvidos em vários homicídios, tráfico de drogas e também em tentativas de resgate de presos do Sistema Penitenciário”, detalhou.

Rilmar Firmino disse ainda que, no último dia 21 de fevereiro, uma operação da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) resultou na apreensão de quatro armas de alto poder de fogo (um fuzil 762, uma metralhadora 9mm e duas escopetas 12). As armas seriam entregues ao grupo criminoso para serem usadas em práticas de assaltos e tentativas de resgate de presidiários. O delegado-geral destacou também que a investigação foi realizada com provas técnicas coletadas durante os inquéritos.

Sobre as pessoas presas, ele informou que quem tiver qualquer denúncia contra elas, por cometimento de outros crimes, deve ligar para o fone 181 e fazer a denúncia, com garantia de anonimato e sigilo.

O coronel Hilton Benigno, comandante geral da PM, destaca que às ações desenvolvidas de forma integrada pelas Polícias Civil e Militar vão prosseguir para coibir ações cometidas por criminosos. “Não vamos permitir que essas disputas por comandos de territórios do tráfico continuem”, garantiu. Conforme os policiais, já estão sendo planejadas ações de saturação para prevenção da violência na área do 40 Horas, em Ananindeua.

Foram presos: Edyermison Ray Silva Costa; Emerson Manoel Pinto Costa, (o Cupú); Leonardo Pinheiro da Silva (Leozinho); Arlen João de Almeida; Marcos Dias Santos (Vida); Darielson Lima Vasconcelos; Herberth Soares Franco (o Furto); Izaias da Rocha Santos (o Ceguinho); Claudio Barroso Gomes (Claudinho), e Robson Gomes Rocha.

Durante a operação, no 40 Horas em Ananindeua, Marcos Dias Santos, que estava com mandado de prisão, reagiu e acabou sendo baleado. Socorrido, foi levado para o Hospital Metropolitano. Com o preso, os policiais apreenderam um revólver calibre 22, 40 petecas de cocaína, dez embrulhos de maconha do tipo limãozinho e um pequeno tablete de maconha prensada. Ele foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e por possuir uma arma ilegal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *