População de Itaituba protesta contra cobrança abusiva da Celpa

Ato público foi realizado no Município, para coleta de assinaturas contra empresa

Itaituba realizou na noite de sexta-feira, dia 06, um ato público de coleta de assinaturas contra a empresa Rede Celpa. Foi um primeiro pontapé de um movimento que tende a crescer dada a revolta geral da população de Itaituba que vive um drama social de não estar mais podendo pagar as tarifas da Rede Celpa, que têm sido exorbitantes, principalmente nos casos em que a empresa acusa o consumidor por fraude no desvio de energia, cobrando valores impagáveis de multas que vão de 05 a 40 salários mínimos.

A medida considerada radical atinge todos os segmentos econômicos sociais, do empresário abonado a um simples assalariado. O movimento denominado “Basta, não à cobrança abusiva Rede Celpa” atraiu um número considerado expressivo de pessoas que atendendo apelo dos coordenadores do movimento estiveram na barraca de eventos na campanha de coleta de assinaturas que darão embasamento jurídico, que redundarão numa Ação Civil Pública que dará entrada na ANNEL, Ministério Público e Defesa Nacional do Consumidor.

A presidente da OAB-Subseção de Itaituba, Dra. Cristina Bueno, assevera que o movimento é justo e que precisa da participação dos consumidores, considerando crítica a situação, ressaltando que atualmente 53% das demandas judiciais que dão entrada no Juizado de Justiça em Itaituba são todas contra a empresa Rede Celpa, o que inviabiliza o trabalho do Juizado que tem outras demandas para serem atendidas.

A advogada elenca os vários absurdos da empresa contra o consumidor totalmente indefeso, citando o processo de como a empresa encaminha as multas por causa, após a retirada dos medidores que são enviados para perícia em Belém e a empresa ainda sugere que o consumidor vá até Belém para acompanhar todas as etapas da perícia. “Como uma pessoa vai se deslocar de Itaituba para Belém para testemunhar esse trabalho da empresa, se ele mal tem dinheiro para pagar sua tarifa de energia?”, questiona.

O drama do consumidor acionado pela Rede Celpa é tão dolorido, que segundo a presidente da OAB, quando a Justiça determina acordo, a empresa quer parcelar, mas sem nenhum desconto, apenas em cima do valor integral já estipulado como multa, o que acaba inviabilizando, tendo em vista que as pessoas não têm poder aquisitivo para pagá-las na maioria dos casos. E há casos em que a pessoa pagou os parcelamentos e mesmo assim chega outra multa propondo novo parcelamento.

O movimento, que é liderado pelo vereador Davi Salomão e conta com apoio da OAB através de sua diretoria de defesa do consumidor presidida pela advogada Jéssica Bueno, fará a Ação Civil Pública contra a Rede Celpa e o Vereador acredita que muita coisa irá mudar, juridicamente falando, para conter os abusos da empresa que hoje fornece com exclusividade energia no Estado, e não há outra alternativa para os consumidores quanto à truculência como a empresa trata o consumidor.

O problema, segundo Davi Salomão, não é apenas aqui na cidade, há muitas demandas também de Moraes Almeida, e outras grandes comunidades em nossa região. Enquanto as pessoas chegavam à barraca de eventos para deixar suas assinaturas em protesto contra a Rede Celpa, um evento artístico foi realizado, onde estiveram presentes Vinícius Oliveira e outros artistas locais. Para o vereador Davi Salomão e para a presidente da OAB, Dra. Cristina Bueno, essa primeira etapa foi de sucesso absoluto com grande coleta de assinaturas que darão musculatura para que a Ação Civil Pública possa lograr sucesso contra os desmandos e desrespeitos.

Por: Nazareno Santos

Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário em “População de Itaituba protesta contra cobrança abusiva da Celpa

  • 15 de abril de 2018 em 13:49
    Permalink

    É tudo desculpa esse papo de consumidor prejudicado pela CELPA, a maioria é pilantragem mesmo, Itaituba, Capital do furto de energia. Gateiro devia é ser preso não somente multado, ele prejudica os consumidores honestos que arcam com o prejuízo gerado pelo roubo de energia.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *