OPINIÃO | DEADPOOL 2 – Sem Spoiler

DEADPOOL 2

(Deadpool 2)

Por: Allan Patrick

Em 2015, época em que o primeiro filme estava sendo produzido, a 20th Century Fox, estúdio responsável pelo longa, o avaliava como um certeiro fracasso nas bilheterias pelo simples fato de que filmes adaptados de revistas em quadrinhos sempre arrecadaram milhões de dólares por ter como praxe a classificação indicativa livre, possibilitando que os pais levassem seus filhos para os cinemas.
Mas diante da realidade citada acima, o personagem Deadpool sempre foi conhecido em suas revistas por ser um mercenário muito tagarela e de boca suja, o que consequentemente exigia um filme Rated-R, ou seja, para maiores de 17 anos, tornando a execução desse projeto muito arriscado, por conta disso a 20th Century Fox, liberou apenas míseros “US$ 58 milhões”, um valor considerado baixo para as produções desse gênero em Hollywood.
Bom, o resultado desse investimento foi bastante inusitado, o filme arrecadou simplesmente, US$ 783 milhões nas bilheterias, batendo o recorde de maior arrecadação da história para um filme de classificação Rated-R, inaugurando um novo caminho para produções nessa classificação indicativa, diante desse lucro sensacional, a Fox decidiu arriscar com “Logan”, até hoje considerado o melhor filme do velho carcaju.
Dois anos se passaram desde o lançamento de “Deadpool”, e certamente era previsto uma sequência, e para alegria de todos os fãs desse tagarela, chega aos cinemas Deadpool 2, agora com um orçamento bem superior, algo em torno dos US$ 120 milhões, sem nenhum pinguinho de medo de investir. A brilhante dupla de roteiristas Rhett Reese e Paul Wernick (Zumbilândia) pegaram todas as artimanhas que deram certo no filme original e repetiram aqui em uma dose ainda maior, artimanhas como, piadas de cunho sexual, metalinguagem abusiva, linguagem nerd e referências a milhares de outros filmes e produtos da cultura pop, desdenhando de fiascos do passado da carreira de Ryan Reynalds como “Lanterna Verde”, os filmes da franquia X-Men, as produções da Marvel Studios e até o obscuro Universo Cinematográfico da DC.
Desta vez, Wade Wilson abraçou o uniforme de anti-herói e rodou o mundo lutando contra ninjas, a Yakuza e um grupo sexualmente agressivo. Após passar por uma trágica experiência, o Deadpool recebe um chamado divino com a missão defender um jovem mutante descontrolado que foi abusado por um grupo de enfermeiros, enquanto precisa lutar com um supersoldado que veio do futuro – o famoso Cable. Para isso, ele precisará recrutar um grupo pra lá de eclético de pessoas com poderes bizarros, formando assim a X-Force.
A palavra de lei nessa produção sem sombra de dúvidas é a irreverência, você que acompanhou os trailers ou leu algo sobre esse filme, se acha que sabe o rumo dessa história ou imagina algo, esqueça tudo, esse filme é repleto de surpresas e reviravoltas extremamente chocantes, algumas até dramáticas e mortais. É, minha gente, esse filme mexe com as emoções, e esse você acha que é impossível se emocionar com um filme como esse, surpreendentemente lagrimas irão rolar.
Aqui encontramos humor e drama na medida certa, ou seja, certamente muito mais humor do que drama, esse filme tem o poder de surpreender os espectadores com situações extremamente surreais sem nunca perder seu humor ácido e satírico, marca registrada do protagonista em suas diversas revistas em quadrinhos.
Se você gostou de Thanos em Vingadores – Guerra Infinita, certamente vai adorar ver novamente Josh Brolin em ação, desta vez entregando a personificação ideal do Cable, e Zazie Beetz é a Dominó perfeita. A dupla rouba a cena em praticamente todas as suas aparições, muito show, e para alegria dos fãs, existe uma grande possibilidade de estrelarem um filme derivado da X-Force. Outra que também rouba a cena e arranca suspiros em Deadpool 2 é a belíssima brasileira Morena Baccarin, retornando como Vanessa.
Podemos sentir uma diferença ocasionada pela troca de diretor, Tim Miller foi substituído pelo estilosíssimo David Leitch, responsável por “Atômica” e “John Wick”, que exibe aqui sua assinatura visualmente espetacular nas cenas de ação. No desenrolar do filme podemos nos deleitar com a trilha sonora repleta de clássicos românticos dos anos 80, com direito a melodias do Air Suply e A-Ha. Gente esse filme é um grande show visual e auditivo.
De fato, Ryan Reynolds se entregou de corpo e alma para o personagem de sua vida, e finalmente conseguiu se redimir por desastrosos projetos como Blade Trinity, R.I.P.D. – Agentes do Além e Lanterna Verde. Deadpool 2 consegue a difícil façanha de ser ainda melhor que o filme original. Mesmo levado um pouco mais a sério, o filme não perde seu característico humor irreverente e usa seu orçamento maior para adicionar mais ação, efeitos especiais, explosões e participações de outros X-Men, afinal, agora sobrou uma graninha para pagar o cachê do resto dos alunos do Professor X. Rs.
Fica a dica, não saia antes dos créditos subirem, Deadpool 2 tem a cena pós-créditos mais inovadora e divertida de toda a história do cinema, que deixa qualquer cena pós-créditos dos filmes da Marvel no chinelo. Me diverti muito assistindo ao filme e acredito que ele cumpriu com louvor tudo que prometeu, recomendo. Minha nota 10!

 


DICAS NETFLIX

DOIS CARAS LEGAIS

(The Nice Guys)

Na Los Angeles dos anos 70, Amelia (Margaret Qualley), filha de uma funcionária do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (Kim Basinger) é sequestrada. Ela então decide contratar Jackson Healy (Russell Crowe), detetive particular violento e ex-alcoólatra, para investigar o caso. O trabalho revela-se mais complicado do que o esperado e ele decide dividir a investigação com o atrapalhado Holland March (Ryan Gosling). Ambos descobrem que o caso de Amelia e a morte de uma estrela pornô estão, de alguma maneira, relacionados. Eles então se deparam com uma conspiração chocante que atinge até os mais altos círculos do poder. Minha nota: 9,0.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *