Eficácia e disciplina marcam treinamento de tiro da PM

Capacitação dos Praças aconteceu nas dependências do Clube de Tiro Tapajós

A convite do Comando de Policiamento Regional (CPR-I), que tem à frente o competente Coronel PM Héldson Tomaso, a repórter Glaucia Rodrigues e o produtor da TV Impacto Rafael Duarte, foram acompanhar de perto o treinamento de tiros que os Praças da corporação foram submetidos. Assista o vídeo no link https://goo.gl/k17fQv ou acessando no site www.oimpacto.com.br ou ainda visitando nossa página no Facebook, Youtube e Instagram.

Entre obstáculos e tiros, na capacitação que aconteceu no Centro de Tiro Tapajós (CTT), localizado na Rodovia Estadual Everaldo Martins, que liga Santarém à Vila Balneária de Alter do Chão, nossa equipe comprovou a seriedade e disciplina estabelecidas pelos instrutores e equipe de apoio.

O rigoroso treinamento para dominar o armamento é uma importante etapa do Curso de Formação de Praças da PM do Pará, que em Santarém possui turma com 132 integrantes.

No treinamento, nossa equipe foi recebida pelo comandante da 2ª Companhia Independente de Missões Especiais (2ª CIME), Major PM Wilton Magalhães, que explicou como funciona a capacitação, iniciada com as aulas teóricas, até o final do módulo com as aulas práticas:

“Nós começamos com uma aula teórica dentro do Batalhão, são 90 horas-aula para ensinar a eles todos os fundamentos do tiro, sobre os armamentos, como eles devem se portar com o armamento, regras de segurança e como eles devem se comportar nas ruas com esse equipamento, no término das aulas teóricas, encaminhamos os alunos para fazer 30 horas-aula no estande de tiros, onde eles passam por diversas situações envolvendo ocorrências e progressão, tentando trazê-lo o mais próximo da realidade policial. Pelo fato de nunca terem passado por uma instrução, nunca tiveram a experiência de disparar um tiro, acabam ficando um pouco nervosos, pois trata-se de uma situação nova e tudo que é novo, gera nervosismo, então cabe aos instrutores e aos policiais mais antigos passarem a experiência para que eles adquiram esse conhecimento e obtenham condições de trabalhar em nossas ruas. Toda as instruções são acompanhadas por uma equipe médica do 8º BEC, juntamente com o Corpo de Bombeiros que se faz presente caso aconteça algum acidente, uma vez que estamos utilizando arma de fogo, temos sempre uma equipe médica, os médicos da Polícia Militar, nossa unidade sanitária presente no local, caso algum aluno venha se ferir. O procedimento padrão do curso, inicia pela primeira pista, nesse momento é feita uma correção dos fundamentos do tiro, passa por uma avaliação, posteriormente a correção da avaliação, logo depois o aluno é encaminhado para segunda pista, que é realizada em uma casa, onde colocamos uma ocorrência para o aluno, situação em que ele juntamente com o instrutor e outro policial terá o dever de verificar o que de fato está acontecendo naquela situação, se tiver um cidadão infrator, se tiver alguém agredindo o policial, ele terá que agredir também o agressor, ou seja, se defender contra a agressão feita contra ele; já na terceira pista, sob o comando do Sargento Elmano  é centrada na prática policial justamente na progressão, situação em que colocamos todos os fundamentos que somam 90 horas-aula, fundamentos do tiro, progressão, comportamento com armamento, deslocar e caminhar com o armamento, colocando todo conhecimento obtido em prática. Detalhe, ao início de todas as pistas nós temos uma avaliação do comportamento do policial e do manejo do armamento e o procedimento que ele vai fazer para poder se tornar apto para executar o policiamento em si, nós chamamos de ‘preparar a arma para o serviço’, explicou Major Wilton.

“Na aula prática, são prioritárias as instruções que permitem ao capacitando ter noção da utilização do armamento na realidade das ruas, marcadas por ações tensas e de muito estresse, onde o policial deve ter, acima de tudo, inteligência emocional”, é o que explica o Sargento PM Elmano Serique, instrutor de tiro.

“Bom, a minha área é o tiro de combate, ou seja, a pista é para chegar o mais próximo da realidade possível. Preparamos o aluno para isso, tudo que os instrutores ensinaram no decorre do curso ele vai fazer na pista de combate, que é o deslocamento, posição torre, a ferrado, tomada de ângulo, fundamentos de tiros, tudo nós trabalhamos lá, então objetivo final é de que o aluno feche a pista neutralizando todos os alvos”, disse o militar.

PM PRENDE VENDEDORES DE DROGA NA ORLA DE SANTARÉM: Os militares do 3º BPM, após levantamento de inteligência e monitoramento via núcleo as imagens das Câmeras do Núcleo Integrado de Operações (Niop) realizado às proximidades do Museu João Fona, desde o dia 29 de maio, constatou a venda de material entorpecente realizada por um grupo de vendedores ambulantes de bebidas. Na noite de quarta-feira (30), por volta de 21h, a equipe do Reservado como apoio das guarnições do ostensivo, fez abordagem a Carlos Moreira dos Santos, com quem foi encontrado 3 papelotes de pasta base de cocaína. Em ato contínuo após diligências na vila onde reside o acusado foi encontrado com o parceiro de tráfico Ezequias Pereira da Silva, mais 15 papelotes com a mesma substância entorpecente e ainda 16 papelotes no interior do quarto onde mora Carlos Moreira. Que na ação também foram presas Ana Michela Sousa da Silva e outra conhecida por “mudinha” que também fazem parte do bando criminoso. Segundo informou a polícia, foi apreendido R$ 292,00 (duzentos e noventa e dois reais) e mais 2 aparelhos celulares. Todos os envolvidos foram conduzidos a 16ª Seccional para apresentação do Flagrante.

Por Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *