Servidores do judiciário paralisam atividades com protesto humorado

Dando sequência à pauta de reivindicações do Sindju – Sindicato dos Funcionários da Justiça do Estado do Pará, os servidores do Judiciário em Santarém fazem nesta quarta-feira (13/06), a partir das 09h00, mais uma paralisação de suas atividades usando, desta feita, motivo junino para protestar, com humor.

Com o tema “Servidores da Justiça há muitos anos na Roça!”, analistas, auxiliares e técnicos judiciários farão o “Arrasta-pé do Reajusto” em frente ao Fórum, com música junina, distribuição de comidas típicas e caracterização caipira.

“Queremos chamar a atenção da população sobre a intransigência da Direção do TJPA de não conceder um reajuste justo à categoria e nem querer discutir nossas perdas salariais”, diz o analista judiciário Francinaldo Bentes, um dos líderes do Movimento ReaJusto, em Santarém.

PARALISAÇÃO – Os servidores do Judiciário, em todo o estado, iniciaram na semana passada uma série de paralisações às quartas-feiras com o intuito de divulgar o movimento e preparar uma greve, que deve ocorrer no final de junho.

Em Santarém, os servidores decidiram paralisar somente meio expediente para protestar sempre em frente ao Fórum e manter o apoio à pauta de reivindicações do Sindju, que congrega todos os servidores, menos os oficiais de Justiça.

Estes, através de seu sindicato (Sindojus), já se conformaram com a proposta do TJPA, que mantém uma política diferenciada com eles concedendo outros benefícios não agregados ao salário-base, como o pagamento extra de diligências por mandado, que será aumentado este ano.

INTERMEDIAÇÃO – A Ordem dos Advogado do Brasil (OAB), no Pará, tentou intermediar na terça-feira (12/06), uma solução ao conflito reunindo-se com a direção do TJPA, mas recebeu apenas a confirmação de que o Tribunal não pretende pagar mais do que já propôs: 3% de reajuste salarial, mais 50 reais sobre o Auxílio Alimentação da categoria.

Mas o Sindju apresenta a proposta de 4,69% de aumento para este ano, parte dos quais poderiam servir já de abatimento para as perdas salariais da data-base de 2016 (7,03%), outra pauta proposta pela categoria.

O TJPA propõe discutir as perdas só no segundo semestre com a futura direção do Tribunal que assume em 2019, mas a categoria desconfia da proposta, já que ocorreu a mesma coisa no ano passado e depois não houve qualquer manifestação da direção.

Os servidores do Judiciário em Santarém farão o protesto nesta quarta-feira com chapéus de caipira e lembrarão, também, que ajudaram a construir os 185 anos de história da Comarca de Santarém, que está sendo comemorado este ano.

Fonte: RG 15/O Impacto e TJPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *