COZINHA TAPAJÓS I Eduardo Fonseca Ed. 1203

COZINHA TAPAJÓS

Semana passada me manifestei sobre as constantes realizações de MASTER CHEFFs, na Praça São Sebastião à base de comidas não regionais. Mas para o bem da comida santarena, realizou- se em Alter do Chão, o evento culinário denominado Cozinha Tapajós.
Puxa vida! Coisas da terra, sendo temperada, cozidas e servidas, com as especiarias da própria região, não se precisou importar, nada de tempero de fora. Tudo tem na Amazônia e na região da Cozinha Tapajós.
Evento de alta envergadura, de porte internacional e muito participativo, não só do público, mocorongo, borari e de muitos profissionais da gastronomia de outros estados e até de outros países. As nossas frutas, das mais conhecidas as mais exóticas, as nossas folhagens e principalmente, o jambu (treme … e treme…) e os nossos peixes mereceram lugar de destaque, mostrando assim, que não é só o tacacá, galeto o de “gato” e o “bocó” assado, com farofa e vinagre que representam a culinária santarena.
Ora, nesses 357 anos de Santarém o presente do povo Tupaiu, foi algo de extraordinário. Aliado a esse espetáculo da cozinha regional. Ganhou ainda, nesta semana de aniversário o privilégio de ter o melhor restaurante regional. A CASA DE SAULO, escolhido pela crítica nacional. Fiquei muito satisfeito como santareno, porque um santareno “da gema”, SAULO JENNINGS que vem lutando há mais de vinte anos para se estabelecer no ramo da gastronomia amazônica e, principalmente do Tapajós, fazendo uma boa comida regional com criatividade e dedicação e atendendo a sua clientela com muita cortesia.
Foi mais que merecido o título para coroar o seu trabalho e juntar-se a outros títulos já conquistados em outras amostras de que tem participado no Brasil e no exterior. Creio que como prêmio a esse santareno que nos premia com uma posição de destaque, seria de bom grado o governo municipal, melhorar a INTERPRAIAS, estrada esquecida há mais de vinte anos e que dá acesso à CASA DE SAULO, porque o investimento comercial, de divulgação turística e de lazer ele já fez. Falta o governo municipal fazer a parte dele, dando condições de mobilidade para os frequentadores daqui da Pérola do Tapajós e de outras cidades brasileiras e estrangeiras que se dirigem para lá. E agora muito mais ainda! Afinal, temos ou não tendência e potencial natural para o turismo?
////////////////// Quero me solidarizar com a família do meu colega JOSÉ RAIMUNDO COSMO SOARES, o Dr. SOARES, como era conhecido nas lides forenses e nos arraiais futebolísticos, que faleceu no último sábado, dia 16 de junho. Fui colega de infância do Soares. Jogamos bola juntos. Fomos contemporâneos nas Forças Armadas, ele da Aeronáutica e eu da Marinha. Eu brincava com ele sempre dizendo que ele fazia parte da história recente do País. Serviu na época da revolução. Fez guarda de honra para quase todos os presidentes militares. E ele concordava comigo. Era amante da nossa cultura e da poesia. Foi meu amigo e colaborador, na diretoria do Fluminense e na Liga Esportiva de Santarém. Para finalizar, ele era filho de um dos baluartes do Fluminense, do compadre e amigo do meu pai, o saudoso MESTRE MARANHÃO. REQUEST IN PEACEM!
////////////////// A fiscalização no Mercadão 2000, deve melhorar e muito. Tem uns “cabocos”, que não respeitam nada. Vão de moto até a venda de verduras e o administrador não está nem aí e nem se vê.
////////////////// Já na feira do Aeroporto Velho é bom que os chamados agentes de trânsito acordem mais cedo nos domingos. Eles só chegam depois das oito. E ainda ficam dentro do carro olhando o povo passar sufoco. Vamos moralizar esse negócio Secretário, depois quem paga o pato é o Prefeito!
////////////////// NESTA SEXTA FEIRA CONTINUE OS FESTEJOS DA VITÓRIA DA SELEÇÃO BRASILEIRA, NO FLUMINENSE, COM O BAILE DE SAUDADE, COM O GRUPO MUSICAL CARROSSEL DA SAUDADE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *