MILTON CORRÊA Ed. 1209

FUMANTES PASSIVOS POSSUEM 30% A MAIS DE CHANCE DE DESENVOLVER CÂNCER DE PULMÃO
A OMS estima que o contingente de indivíduos expostos ao problema chega a ser de 14,5 milhões de pessoas no Brasil. A reportagem é da Agência do Rádio, assinada por Cintia Moreira. No dia 29 de julho de 2018 (domingo), foi comemorado o Dia Nacional do Combate ao Fumo. A data serve para conscientizar tanto os fumantes, quanto aqueles que convivem com pessoas que fumam. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil conta com cerca de 21 milhões de fumantes. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a OMS, há aproximadamente dois bilhões de pessoas que estão no grupo de fumantes passivos no mundo. Quando o cigarro é aceso, somente uma parte da fumaça é tragada pelo fumante, e cerca de 2/3 da fumaça gerada pela queima é lançada no ambiente, através da ponta acesa do produto. O grande problema é que isso afeta quem está em volta, que é o fumante passivo.
A OMS estima também que o contingente de indivíduos expostos ao problema chega a ser de 14,5 milhões de pessoas no Brasil. A oncologista Mariana Laloni alerta que esses fumantes passivos tem 30% de chance a mais de desenvolver câncer de pulmão. “O cigarro aumenta em 30 vezes a chance de câncer de pulmão. A gente pode ir abandonando o cigarro. A pessoa que fuma vai sentir melhora em questões de minutos, horas, dias, a mudança do paladar, a capacidade pulmonar de conseguir fazer caminhadas. A sensação de melhora é muito rápida. Então, a conscientização de que o cigarro é um hábito de vida muito nocivo à saúde é muito importante”. Segundo a diretora de doenças e agravos não transmissíveis e promoção da saúde do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, a restrição do uso do cigarro em lugares públicos e o aumento do preço do cigarro fizeram com que reduzisse o número de fumantes no país.
“Essa desconstrução, também do cigarro como coisa boa, vem junto com esse processo de restrição do uso do cigarro e dos lugares de fumantes. Recentemente, um impacto importante foi causado pelo aumento do preço do cigarro. Isto fez cair o consumo de cigarro neste grupo, especialmente, que é o de menor poder aquisitivo e também fez cair o consumo entre aqueles que a gente chama de grandes fumantes, aqueles que fumam mais de 20 cigarros por dia”. O diretor técnico do Instituto de Câncer de Brasília, Gustavo Gouveia, conta que os tipos de fumo existentes vêm da mesma planta, que é tabaco. O que muda é a forma de utilizá-lo.
“A forma mais comum é por combustão, inalação da fumaça e aí nós temos os cigarros, os cachimbos, o charuto, o cigarro de palha; mais recentemente, aqui no Brasil, o narguilé tem sido muito utilizado; e a forma inalatória do pó de tabaco, que é o rapé, muito pouco utilizado atualmente; e mais raro ainda, gente que masca o fumo cru, aquele chamado fumo de rolo. E eles fazem mal à saúde porque o cigarro, o tabaco, contém uma gama muito grande de substâncias tóxicas, a maioria cancerígenas, perto de cinco mil substâncias conhecidas atualmente”. Estudos do Ministério da Saúde e do Instituto Nacional de Câncer, o Inca, apontam que o Brasil tem prejuízo anual de R$ 56,9 bilhões com o tabagismo. Desse total, R$ 39,4 bilhões são gastos com despesas médicas e R$ 17,5 bilhões com custos indiretos ligados à perda de produtividade, causada por incapacitação de trabalhadores ou morte prematura.


MINISTRO AFIRMA QUE TSE SERÁ INFLEXÍVEL COM CANDIDATOS FICHA-SUJA NAS ELEIÇÕES DESTE ANO
TCU fez uma lista com 7,4 mil gestores públicos que tiveram as contas rejeitadas por tribunais de contas por irregularidades. A reportagem é da Agência do Rádio, assinada por Cintia Moreira. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, disse nesta semana que o tribunal vai ser inflexível com aqueles candidatos ficha-suja que querem disputar as eleições deste ano. O registro dessas candidaturas ocorrerá até o dia 15 de agosto no TSE. Depois disso, elas vão ser analisadas e os ministros vão verificar se há ou não alguma pendência que pode impedir um político de concorrer ao cargo, como por exemplo, condenação em segunda instância, conforme a Lei da Ficha Limpa.
A novidade é que, recentemente, o TSE recebeu uma lista do Tribunal de Contas da União (TCU), com o nome de 7,4 mil gestores públicos que tiveram as contas rejeitadas por tribunais de contas por irregularidades. É o que explica o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux. “O recebimento desta lista nos traz o nome de todos os gestores públicos que tiveram contas rejeitadas. Este fato cria o primeiro indício de incidência a Lei da Ficha Limpa, ou seja, estes gestores podem eventualmente serem considerados ficha-suja exatamente porque cometeram essas irregularidades com intenção de cometê-las”. Agora, com base nessas informações, a Justiça Eleitoral vai poder rejeitar os registros de candidatura dos citados. De acordo com o ministro Luiz Fux, quem estiver inelegível pela Lei da Ficha Limpa estará “fora do jogo democrático”.


INADIMPLÊNCIA DAS EMPRESAS TEM MAIOR ALTA EM 21 MESES E CRESCE 9,41% EM JUNHO, MOSTRAM SPC BRASIL E CNDL
Empresas do ramo de serviços, como bancos e financeiras, são as que mais deixaram de receber no período. Quitação de dívidas em nome de pessoas jurídicas melhora em junho, mas no acumulado em 12 meses cai -0,86%. O volume de empresas com contas em atraso e registradas em cadastros de inadimplentes cresceu 9,41% no último mês de junho na comparação com o mesmo período do ano passado. Trata-se da alta mais acentuada desde setembro de 2016, quando o indicador havia registrado um crescimento de 9,61%. Os dados são do Indicador de Inadimplência da Pessoa Jurídica apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Na comparação mensal, isto é, entre junho e maio de 2018, sem ajuste sazonal, o indicador cresceu 0,46%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *