Santarém perde 5 mil empregos com não implantação do Distrito Industrial

Mapa mostra onde possivelmente será instalado o Distrito Industrial de Santarém

A tão sonhada criação do Distrito Industrial de Santarém continua a passos lentos. Um projeto que com certeza vai trazer grandes benefícios para o Município ainda não saiu do papel, segundo informações, por problemas burocráticos, bem como por intromissão de Ong’s e entidades ligadas ao meio ambiente, que não querem a implantação desse projeto.

O atraso na instalação do Distrito Industrial está fazendo com que grandes indústrias que se interessaram em construir e produzir em Santarém, abandonem o projeto e se instalem em outros municípios. Isso está fazendo com que o Município e a região Oeste tenham um grande prejuízo, tanto de empregos como econômicos.

O vereador Alaércio Cardoso afirma que durante os seus dois anos de mandato na Câmara Municipal de Santarém, essa pauta foi levantada umas quatro vezes e até hoje nada foi resolvido. Alaércio usa como exemplo o município de Extrema, em Minas Gerais, cidade que tem um pouco mais de trinta mil habitantes. “O administrador da cidade em 2002 viu o crescimento do Município e decidiu criar um Distrito Industrial, a partir daí empresas começaram a investir na região”. Em 13 anos, o município de Extrema quadruplicou seu ICMS e seu Produto Interno Bruto (PIB per capita) chegou a 128 mil reais, enquanto Santarém tem um de 13.600 mil reais.

O Vereador falou que Santarém perdeu as três empresas que investiriam no Distrito, que com elas cerca de cinco mil empregos diretos e indiretos seriam ofertados para a população, a receita do Município aumentaria e que tem esperanças para depois do pleito eleitoral. “Quem sabe se com um novo governo estadual, Santarém não comece a ter realmente uma política de desenvolvimento e o Distrito Industrial se torne realidade”.

CODEC SE MANIFESTA: O empresário Alberto Batista de Oliveira, Coordenador Regional da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), em contato com nossa reportagem, falou sobre toda polêmica envolvendo a definição da área aonde será construída a instalação do Distrito Industrial de Santarém. Alberto Batista disse que a partir do momento que o empreendimento estiver concluído e em pleno funcionamento, vai acelerar o desenvolvimento do Município e região oeste do Pará, gerando empregos, divisas e renda.

“Eu recebi a incumbência de gerir a Coordenadoria da CODEC aqui no Oeste do Pará, e uma das pautas principais, desta regional, é de implantar o Distrito Industrial de Santarém. É um sonho que os empresários acalentam há muitos anos e que certamente vai ajudar na verticalização do que se produz aqui em Santarém e região. Com isso, vai agregar valores aos nossos produtos para que gere mais emprego e renda para a população. O Governo do Estado, através da Codec, tem buscado junto ao Governo Federal a regularização da área onde deverá ser implantado o Distrito Industrial de Santarém. Já existe um decreto do governador Jatene desapropriando o terreno, bem como o recurso para o pagamento da desapropriação. O único impedimento é de natureza fundiária, uma vez que o Terra Legal não reconhece como válido o título de propriedade, registrado em cartório desde 1910. O município de Santarém tem participado de todos passos que o Governo Estadual tem dado a fim de solucionar este impasse. Já há estudo em andamento pela Codec, de uma nova área como uma segunda opção, caso a regularização do terreno atualmente escolhido, não se concretize”, disse Alberto Batista.

IMPLANTAÇÃO DO ITERPA EM SANTARÉM: O vereador Ronan Liberal Júnior, em contato com a reportagem do Jornal O Impacto, destacou a importância de se trabalhar projetos que possibilitem a vinda de indústrias para a região. O Vereador citou áreas ociosas no município de Santarém que poderiam ser utilizadas por indústrias, universidades ou ter uma finalidade social para a comunidade. Ronan cobrou do Governo do Estado a implantação em Santarém do Instituto de Terras do Pará (ITERPA), uma autarquia que existe desde 1975 e que trabalha políticas de regularização fundiária.

O parlamentar enfatizou a importância de levar à Câmara esses temas para que sejam discutidos e que o Poder Legislativo possa propor projetos que possibilitem a vinda de indústrias que certamente irão gerar empregos e fomentar a economia do Município e região.

OBRAS NO CENTRO DA CIDADE: Ronan Liberal Júnior, juntamente com os vereadores Emir Aguiar e Júnior Tapajós, participaram no dia 05 de setembro, na Secretaria Municipal de Infraestrutura, de uma reunião que tratou dos transtornos que estariam sendo causados em decorrência da obra de esgotamento sanitário no centro da cidade.

Participaram também do compromisso, Diogo Figueiredo, representante da Construtora Carmona Cabrera; Daniel Simões, secretário municipal de Infraestrutura e Cledimar Silva, assessor técnico de engenharia da Secretaria. O encontro se deu em virtude de um pedido feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Santarém (CDL), por meio de um ofício entregue ao Legislativo. A CDL reivindica que a Carmona, contratada para a execução de obra de saneamento no Município, agilize a execução dos serviços, e que a Prefeitura não deixe as ruas em más condições após os trabalhos.

Ainda segundo o parlamentar, a construtora foi contratada para realizar 4.138 ligações domésticas que devem atender a 25 mil pessoas. Desse total, 2.178 já estariam prontas. Tapajós repassou, também, as justificativas dadas tanto pela empreiteira quanto pelo Município para um atraso que teria ocorrido nessa obra. Seria, por parte da Prefeitura, a falta de um dos produtos componentes de asfalto e, pela empresa, a carência de cimento. “Mas a empresa já comprou um estoque de cimento e a Prefeitura está providenciando asfalto para fazer recapeamento o mais breve possível”, esclareceu.

Júnior Tapajós disse que a Câmara Municipal fez dois encaminhamentos. Um, para a empresa, que deverá executar os serviços de dois em dois quarteirões e só sairá da via após o recapeamento asfáltico, de responsabilidade do Executivo, por meio da Seminfra; e o segundo é sobre a conclusão da obra no Centro Comercial, que ficou prevista para novembro/2018, visando ao Círio de Nessa Senhora da Conceição e o Natal.

O vereador Ronan Liberal Júnior ressaltou a necessidade de uma máxima atenção na limpeza das vias após os trabalhos. Segundo Ronan Júnior, muitas pessoas estão reclamando dos transtornos causados por conta da poeira e da demora da recomposição asfáltica nas vias onde estão sendo realizados os trabalhos. Ele destacou a importância dos serviços de saneamento que estão sendo feitos e espera que esses transtornos sejam amenizados.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *