O Predador | OPINIÃO – SEM SPOILERS

O Predador

(The Predator)

Por: Allan Patrick

Os filmes do predador são venerados por muitos fãs no mundo todo, mesmo não se destacando na maioria de suas sequências, sempre lotaram as sessões em que eram exibidos, a razão de tanto sucesso deve-se ao estilo do filme original que deixou sua marca como uma verdadeira produção oitentista, cativando desde então, várias gerações; agora em 2018, o caçador interplanetário está de volta nos presenteando com uma divertida aventura.

É curioso ver a presença dos elementos clássicos nesta produção. Tudo que gostamos no filme estrelado por Arnold Schwarzenegger de 1987, encontramos aqui, as piadas militares idiotas, violência “burucutu”, ação e terror na selva. O que diferencia é o fato de termos um personagem super viril que passa destaque para segundo plano em pouco tempo. O burucutu machão fica apenas de fundo, por conta da presença marcante do pequeno Jacob Tremblay. Todos os fatos giram ao seu redor e isso reflete de forma consistente na construção moderna do herói.

Além da ação frenética que se desenvolve do início ao fim, existe um elemento que diferencia este filme dos demais produzidos até hoje que destoa de tudo que vimos o humor e a irreverência. A produção que acompanhamos nos anos oitenta tinha um humor próprio, ressaltando aquele lado “machão” do exército. A sequência de 1990 tentou estender essa ideia para o grande astro da época, Danny Glover, mas não caiu muito bem deixando o personagem um pouco forçado. Já os outros filmes posteriores trouxeram um tom mais sério e notoriamente acabaram se perdendo.

De fato é complicando levar a sério a ideia de um extraterrestre invisível que caça pessoas. Podemos considerar este conceito abordado na franquia um pouco quanto galhofa, este novo filme se agarra a isso com unhas e dentes e exibe um tipo de humor que funcionou muito bem em “Os Mercenários 2” de 2012. Esse acerto deve-se ao elenco secundário, uma tropa de soldados loucos fugida de um sanatório. As atitudes desses soldados condizem com tudo que é proposto aos seus personagens e consequentemente acabam tendo diálogos tipicamente dos anos 80. É bom ressaltar que o filme traz uma ação de humor agressivo que pode incomodar pessoas mais engajadas em causas sociais. Em minha opinião não é algo tão pesado, um gracejo ou outro talvez pode gerar caras feias em alguns momentos, mas é um prato cheio para os fãs da ação da época de ouro Stallone e Schwarzenegger, clássicas da “Sessão da Tarde” e “Cinema em Casa”.

A trama traz diretamente dos cantos mais escuros do espaço até as ruas dos subúrbios de uma pequena cidade, a caçada. Agora, os caçadores mais letais do universo estão mais fortes, mais inteligentes e mais mortais do que nunca antes, tendo se aprimorado geneticamente com o DNA de outras espécies. Quando um garoto acidentalmente ocasiona seu retorno à Terra, somente uma tripulação desajeitada de soldados junto com uma professora de ciências descontente, pode parar os caçadores antes que todos se tornem suas presas.

Não encontramos muita ousadia com relação ao roteiro, mas o diretor Shane Black usa e abusa de referências direcionadas aos capítulos anteriores. O humor é compensado com a violência explícita, como tripas expostas e sangue para doar e vender. Com certeza esse é o tipo de filme que seus pais ou seus avós vão curtir, pois lembraram dos “filmes legais” que assistiram quando eram mais jovens.

“O Predador” conseguiu deixar “A Freira” para trás nas bilheterias americanas, estreou arrecadando US$ 24 milhões em 4.037 salas de cinema na América do Norte, já no exterior, a produção arrecadou cerca de 30,7 milhões de dólares, foi o suficiente para ficar no 1º lugar das bilheterias do fim de semana. Esta produção custou cerca de US$ 54.727.235, o produtor John Davis, diz que “O Predador” trará mais duas sequências que ele espera que Shane Black retorne para dirigir. Sobre isso, Black disse: “Eu adoraria dizer que planejamos uma trilogia, mas eu levo um dia de cada vez, em termos cinematográficos, um filme por vez”.

“O Predador” é uma ação que brinca por um tempinho com o terror, mas encontra seu ponto forte na galhofa. Me diverti muito, boas risadas, adrenalina e um pouquinho de humor, “O Predador” é a pedida certa para os amantes dos anos 80 e para os fãs dos clássicos da Sessão da Tarde. Sem sombra de dúvidas, o melhor filme da franquia desde a primeira produção. Minha nota 8,5!


DICAS NETFLIX

Rua Cloverfield, 10

(10 Cloverfield Lane)

Após sofrer um acidente de carro, Michelle acorda em um quarto trancado e que possui apenas um colchão no chão. Desesperada, ela logo recebe a visita de Howard, um senhor muito intenso e ameaçador, que a informa que o mundo como conhece não existe mais e que eles estão seguros dentro de seu bunker. A garota, embora sempre desconfortável, vai aceitando a ideia e lá conta com a companhia de Emmett, um outro homem que também foi ajudado por Howard. Empolgante e angustiante em diversos momentos, o novo Cloverfield é um filme pequeno, sem grandes pretenções. Mas que tem muito a dizer. Entretenimento de primeira. Minha nota 7,5!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *