Sessão da saudade homenageia Elias do Rosário e Gumercindo Rebelo

Solenidade será realizada no sábado (03/11), às 17h30, no auditório do Teatro Victória, em Santarém.

A Academia de Letras e Artes de Santarém (ALAS) reúne-se em sessão solene para homenagear os ex-acadêmicos falecidos em 2018: José Gumercindo Rebelo, no dia 21 de julho e Elias Lopes do Rosário dia 25 de setembro. A solenidade será realizada neste sábado (03/11), às 17h30, no auditório do Teatro Victória, em Santarém, com a participação dos integrantes da ALAS, familiares, parentes e amigos dos homenageados.
Os acadêmicos Renato Aurélio Carvalho Sussuarana e João Bernardo Mota Santana foram eleitos em assembleia geral para falar oficialmente, em nome da Academia de Letras e Artes de Santarém, sobre a vida e a obra de José Gumercindo Rebelo e Elias Lopes do Rosário, representando os acadêmicos. Os demais integrantes da ALAS vão participar da homenagem, com pronunciamentos espontâneos, destacando a importância da vida e da obra dos ex-colegas tanto como integrante da Academia quanto pela efetiva participação deles nas áreas da arquitetura,  das artes plásticas e paisagísticas em Santarém e região.
José Gumercindo Rebelo integrava o quadro da ALAS desde 28 de dezembro de 2004 e até o dia 21 de julho de 2018, ocupou a cadeira número 12, que leva o nome do escritor Gabriel Rodrigues dos Santos. Gumercindo Rebelo nasceu em Santarém, no dia 5 de maio de 1949. Era arquiteto graduado pela Universidade Federal do Pará, em Belém (1977). Santarém sua cidade natal, também conhecida como Pérola do Tapajós, a qual destinou sua Tese Doutoral “Importância do Tombamento de prédios eclesiais como estratégia de desenvolvimento socioeconômico para Santarém e Oeste do Pará”, pela Universidade da Coruña (2001).

Gumercindo foi um membro muito ativo, participativo e um apaixonado pela ALAS desde o  momento de sua posse nos idos de 2004. No biênio de 2012/2013 foi eleito como o quarto presidente da entidade e uma de suas grandes contribuições foi a instituição oficial do hino da ALAS, cuja letra leva as assinaturas de Emir Hermes Bemerguy e de Vicente Malheiros da Fonseca. A música também é de autoria de Vicente Malheiros da Fonseca, membro de nossa Academia desde o dia 28 de dezembro de 2004.

Elias Lopes do Rosário integrava o quadro da ALAS desde 28 de dezembro de 2004 e até o dia 25 de setembro de 2018, ocupou a cadeira 17, que tem como patrono, o músico João Alves Pereira Fona. Elias do Rosário nasceu em Santarém no dia 20 de julho de 1939. Autodidata, era paisagista, desenhista, ilustrador e pintor de inúmeros trabalhos que retratam as belezas naturais da região amazônica e, principalmente, de sua amada terra natal Santarém, assim como as imagens de Nossa Senhora da Conceição, e outros santos. Entre suas mais famosas obras já expostas na Inglaterra, Alemanha e Estados Unidos, destacam-se: “Santarém – 1932”; “Alter do Chão, 5 horas da tarde” e “Assunção de Maria”.

Elias do Rosário não foi diferente de Gumercindo como membro da ALAS. Desde o momento em que tomou posse como membro vitalício se tornou um participante assíduo, entusiasmado, mesmo em seu próprio silêncio típico de sua própria natureza. Participou de várias diretorias da ALAS, especialmente, no cargo de tesoureiro da entidade, deixando o exemplo de transparência, probidade e perfeição em todos os seus atos. Elias do Rosário, o Lili, como todos o conheciam foi um dos grandes colaboradores nas atividades mais importantes que a ALAS realizou, especialmente, por ocasião da realização do Salão do Livro da Região do Baixo Amazonas, realizado pelo Governo do Estado do Pará e Prefeitura, evento do qual a nossa Academia é parceira desde a sua primeira edição em Santarém.

O presidente da ALAS, Anselmo Colares já definiu a programação que será desenvolvida na solenidade. No momento, entre os pronunciamentos dos acadêmicos, os músicos e os poetas da Academia vão apresentar números musicais e recitações, destacando as preferidas dos ex-acadêmicos.
A sessão da saudade é um procedimento normal das academias que tem como objetivo homenagear um ex-integrante. Durante o evento são feitas as manifestações de reconhecimento pela participação do homenageado em determinado segmento cultural, bem como, o encerramento da participação dele como membro da associação. A realização do evento permite a diretoria, na pessoa do presidente decretar vacância na cadeira até aquele momento ocupada.
A academia de Letras e Artes de Santarém, atualmente, conta com 38 integrantes. Entre o período de fundação da ALAS, 2004 e 2018, faleceram 14 integrantes. Foram os ex-acadêmicos: Dom Lino Vombommel (1934-2007), Wilde Dias da Fonseca (1919-2010), Eymar da Cunha Franco (1921-2011), Sebastião Nogueira Sirotheau (1937-2011), Antônio Santos Pereira (1929-2012), Emir Hermes Bemerguy (1933-2012), Eriberto Siqueira dos Santos (1947-2013), Felisberto Carvalho Sussuarana (1932-2013), Nicolino de Castro Campos (1828-2015), Éfrem de Jesus Neves Galvão (1935-2015), Isauro Farias de Sousa (1924-2015), Raimunda Rodrigues Frazão (1920-2017), José Gumercindo Rebelo (1949-2018) e Elias Lopes do Rosário (1939-2018).

Entre os falecidos, estão alguns dos sócios-fundadores, de acordo com o Decreto Nº 245/2004, de 23 de novembro de 2004, que nomeou cinco titulares e cinco suplentes e mais o coordenador municipal de cultura de Santarém, totalizando onze pessoas, que foram designadas para instalar a Academia de Letras e Artes de Santarém naquele ano. A comissão era formada pelo coordenador de cultura, advogado e instrumentista Domingos Djalma Rego Pereira; professor e cronista Antônio  Santos Pereira; professor e poeta Edivaldo da Silva Bernardo; escritor e sociólogo Éfren de Jesus Neves Galvão; historiador Hélcio Amaral de Sousa; jornalista e escritor Manoel Ednaldo Rodrigues; professor e historiador Wilde Dias da Fonseca; escritor e cronista Padre Sidney Augusto Canto; escritor e advogado Eriberto Siqueira Santos e o maestro José Agostinho Fonseca Neto. Os falecidos no período de 2004 e 2018 são: Wilde Dias da Fonseca, Antônio Santos Pereira, Eriberto Siqueira dos Santos e Éfrem de Jesus Neves Galvão.

Logo após a sessão da saudade, deste dia 3 de novembro de 2018, o presidente Anselmo Colares deve publicar edital de vacância das cadeiras 12 e 17 para procedimentos admissão de novos integrantes.

José Gumercindo Rebelo e Elias Lopes do Rosário foram empossados, portanto, junto com os primeiros integrantes da associação, em reconhecimento a contribuição deles nas áreas da arquitetura, das artes plásticas e paisagísticas em Santarém e região. Por isso, com a manifestação de profundo agradecimento, reconhecimento, admiração e respeito, com o sentimento típico de alguém que teve o privilégio de conviver por algum tempo com os dois, principalmente, em momentos muito especiais da nossa história tapajônica ficam, os nossos agradecimentos aos familiares, parentes, amigos e admiradores de vida e da obra desses dois seres humanos únicos, que para sempre serão imortais em nosso coração.

* Por: Ednaldo Rodrigues (Jornalista e sócio-fundador da Academia de Letras e Artes de Santarém).

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *