Construção de hidrelétrica no Tapajós pode levar espécies de peixes à extinção

Assim será a Usina de São Luiz do Tapajós

Profissionais de áreas ligadas ao meio ambiente em Santarém temem o projeto de construção de cinco usinas hidrelétricas na bacia do rio Tapajós, pelo Governo Federal. Para os biólogos, a implantação das hidrelétricas poderá modificar todo o ecossistema da Bacia do Tapajós, onde várias espécies de peixes que costumam subir a cabeceira do rio para se reproduzir, podem entrar em extinção.

Após a cerimônia de posse do Ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, na manhã da última segunda-feira, 03, em Brasília, a expectativa dos ambientalistas é de que a licitação da primeira usina do projeto em São Luis do Tapajós seja feita no começo de 2012.

Em um estudo de viabilidade realizado no inicio do ano passado na Bacia do Rio Tapajós, no Município de Itaituba, o Governo Federal concluiu a potência da hidrelétrica de São Luís do Tapajós, depois da instalação, que anteriormente seria de 6.138 mil megawatts, passará para 7.880 mil MW.

De acordo com a Eletrobrás, que tem à frente José Antonio Muniz, as usinas do Complexo do Tapajós têm o conceito de inserção regional, mas com a visão de plataforma. A Eletrobrás já considera o empreendimento na região do Tapajós, onde serão construídas as usinas hidrelétricas como um plano de desenvolvimento sustentável.

Cachoeira de São Luiz do Tapajós

Por: Manoel Cardoso

Um comentário em “Construção de hidrelétrica no Tapajós pode levar espécies de peixes à extinção

  • 8 de novembro de 2012 em 06:53
    Permalink

    É muito dificil saber essas noticias em que o meio ambiente é alvo, fico me perguntando como fica a mente dessas pessoas que fazem esse tipo de projeto? Esquecem exatamente que todas as nossas riquezas precisam ser vistas pela nova geração, para que possam também ver as maravilhas que Deus nos deixou….

    Resposta
  • 1 de março de 2012 em 13:20
    Permalink

    GOSTARIA DE SABER UM TELEFONE PARA CONTATAR ESSA EMPRESA
    OBRIGADAA

    Resposta
  • 31 de março de 2011 em 23:04
    Permalink

    tanto se fala em preservação ambintal ,mas començando pelas nossas lideranças políticas, a prática é totalmente diferente.O projetos que são feitos para a nossa amazonia irão causar grandes impactos ambientais os quais aos poucos estão destruindo as belezas naturais ,as fontes de vidas para uma grande quantidade de amazônidas.e sem noção estão se auto destruindo.não sabemos até quando os nossos representantes ficaram sem defender o nosso habitar natural e a nossa população dessas tecnologias que estão acabando com a natureza,pois existem outras fontes de energia.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *