Pesquisadores conseguem controlar açúcar

Pesquisadores do Hospital Infantil de Boston descobriram um mecanismo que não envolve insulina para normalizar o açúcar no sangue e que pode oferecer uma nova abordagem terapêutica para o diabetes tipo 1 e 2.

O diabetes pode resultar tanto em uma deficiência de insulina (tipo 1 ou diabetes insulino-dependente) ou na diminuição da sensibilidade à insulina (tipo 2).

O pesquisador Umut Ozcan e seus colegas da divisão infantil de endocrinologia mostraram que uma proteína reguladora chamada XBP-1s, quando ativada artificialmente no fígado, pode normalizar o açúcar que está elevado no sangue tanto em ratos diabéticos do tipo 1 e 2, quanto em ratos obesos. Isto sugere que abordagens que visam ao aumento da atividade XBP-1 podem beneficiar pacientes com qualquer tipo de diabetes.

Em trabalhos anteriores, o laboratório de Ozcan identificou a proteína XBP-1s como uma chave para a sensibilidade do corpo à insulina, e mostrou que sua função é prejudicada pela presença da obesidade.

Inicialmente, a XBP-1 foi pensada para aumentar a sensibilidade à insulina e normalizar a glicose no sangue através da ligação ao DNA, além de aliviar o estresse no retículo endoplasmático, um órgão celular que reúne proteínas.

– Quando XBP-1 foi ativado artificialmente, o nível de açúcar no sangue em ratos obesos com diabetes tipo 2 desceu abruptamente.

No novo estudo, Ozcan e sua equipe mostram que a XBP-1 regula o açúcar no sangue ao degradar outra proteína (FOXO1) cujas ações incluem o aumento da produção de glicose pelo fígado, que estimula o comportamento alimentar do cérebro.

De acordo com os pesquisadores, essa degradação do FOXO1 mostra ser independente do efeito XBP-1 sobre o sistema de sinalização da insulina e, por si só, leva a uma redução nos níveis de glicose no sangue e aumento da tolerância à glicose.

– Ao ativarmos a XBP-1 poderíamos ter outra abordagem para o tratamento do diabetes tipo 2, que também seria muito benéfica para o diabetes tipo 1.

Ele explica ainda que mesmo em camundongos sem insulina, o aumento da expressão de XBP-1 reduziu o nível de glicose no sangue de forma significativa. Isso sugere que as abordagens que ativam XBP-1 no fígado de diabéticos tipo 1 pode controlar os níveis de glicose no sangue, com a exigência potencialmente muito menor de insulina.

Do R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *