Quadrilhas assaltam nos caixas eletrônicos de Santarém

Juraci denuncia ataque da quadrilha nos caixas eletrônicos da Caixa Econômica

Os bandidos continuam cada vez mais ousados em suas ações contra as pessoas de bem. Desta vez a vítima foi a pescadora Yolanda Pâmela Rodrigues, que na última segunda-feira foi assaltada na fila de um dos caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal, agência central, em Santarém. Yolanda é esposa do também pescador Juracy Jardina, vice-presidente da Associação de Moradores da Comunidade de Curralinho, área de várzea do município de Monte Alegre.

O GOLPE

O jovem cheio de lábia e artimanhas, ao receber o cartão-cidadão das mãos da própria dona, não conseguiu mais auxiliá-la. De repente recebeu um telefonema e, numa pressa danada, devolveu o cartão, dizendo que ia atender um chamado urgente da sua mãe e saiu.

A pescadora, ao tentar sacar o benefício, o caixa acusava “cartão cancelado” e ao verificar, percebeu que tinha sido enganada. O golpista havia trocado o cartão, deixando com ela outro cartão, cujo titular era o senhor Ronivaldo Amaral Leite, pescador, residente na comunidade de São Raimundo do Ariri, no município de Santarém; que também sofreu o mesmo golpe e já havia solicitado o cancelamento do cartão.

De ambos, a quadrilha conseguiu receber as três primeiras parcelas do benefício, totalizando R$ 3.370,00.

Juracy Jardina disse, também, que há anos vinha recebendo o seu Seguro-Defeso, na Casa Lotérica em Monte Alegre; porém, este ano, está sendo difícil. Um dia a Casa Lotérica tem dinheiro suficiente, no outro não. Sendo que o problema é o transporte de valores via aérea, uma vez que Monte Alegre está com seu aeroporto interditado, causando todo tipo de transtornos à população.

A pergunta: Onde está o prefeito Jardel Vasconceleos, que nada faz?

– O líder pesqueiro Juracy Jardina disse que sua esposa estava na fila, em sua frente havia uma senhora moretna, de média idade e, atrás dela, um jovem de baixa estatura, de cor branca, cabelos lisos, aparentando ter entre 22 a 25 anos. Na ocasião em que a suposta senhora foi utilizar o caixa, pediu auxílio para o jovem, que imediatamente foi auxiliá-la. Oportunidade em que Yolanda, escreveu a senha na mão, para resguardá-la; foi neste momento que o golpista, usando da educação peculiar própria, ofereceu a sua vez para ela. Diante do fato, dona Yolanda, um tanto quanto atrapalhada, recorreu ao jovem “educado” e pediu auxílio.

Por: Carlos Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *