Informe RC

BARGANHA: TOMA LÁ, DÁ CÁ

Países e governos, onde dinheiro público é tido como intocável, ministros e dirigentes de estatais acusados da prática de corrupção pedem afastamento do cargo até a denúncia ser apurada, quando não, se suicidam antes. Itamar Franco e Fernando Henrique, quando presidentes, seus ministros chefes da Casa Civil, passaram situação quase idênticas, apontados de comportamentos não republicanos, entregaram a função, foram investigados e retornaram depois de inocentados. Com a companheira, presidente Dilma, não tem sido assim. Seus auxiliares em seus tropeços no patrimônio da viúva, quando não são blindados recebem da excelência crédito de confiança, como ocorre com o ministro do Transporte, senador Alfredo Nascimento, onde no seu ministério a revista Veja, de maior circulação nacional, retrata rosários de obras superfaturadas e  cobrança de propina de 4 a 5%, das empresas prestadoras de serviços em rodovias e ferrovias. Como corrupção não passa recibo, negar o mau feito é normal, mas existem, na maioria das vezes deixam rastros.

ASSIM SEJA

Em São Paulo, a 15ª Parada do Orgulho LGTB, reuniu quase 5 milhões de pessoas, e casais deslumbrados dançaram valsa ao ar livre. No Rio de Janeiro, em cerimônia coletiva, conduzida por um desembargador, foi selada a união de 43 casais homossexuais, com o magistrado defendendo o amor eterno entre pessoas do mesmo sexo. Na cidade de Nova York, os americanos foram às ruas comemorar a aprovação da lei permitindo o casamento gay, comandados pelo prefeito. Belém, pela 2ª vez realiza, a exemplo dos cariocas, casamento coletivo. Em Santarém, 13 casais, segundo uma roda de entendidos, ainda de maneira acanhada, preparam a saída do armário e constituírem laços legais de família, em solenidade nos salões do Barrudadas Hotel, onde se reúne, segundo colunista da terra, a fina nata da sociedade. O Supremo Tribunal Federal, por unanimidade de seus ministros, abriu as comportas na luta contra o preconceito, breve cenas como essas serão vistas como normais. Não somos todos iguais perante as leis? Assim seja.

MINHA CASA – MINHA VIDA AINDA NO ZERO

Para muitos não há explicação, da prefeitura municipal de Santarém, administrada pelo PT, tendo como prefeita uma ex-candidata a governadora “2002”, sendo referência do partido no estado, não tenha construído uma só casa popular do programa Minha Casa – Minha Vida, bancadas pela Caixa Econômica, apesar do grande prestígio da excelência junto ao governo federal, o que não ocorre em Itaituba “PMDB”, 1360 habitações, e Alenquer “DEM”, 930 estão sendo concluídas em terrenos dotados de toda a infraestrutura exigida pelo órgão financiador e com população menor em relação a nossa. As mais de 3 mil residências prometidas desde 2008, a serem erguidas na avenida Moaçara e rodovia Fernando Guilhon, a cada dia ficam mais distantes de sua materialização. O secretário de Habitação devia convocar a imprensa e explicar a população o que está ocorrendo, ou mesmo a Caixa Econômica Federal. Por que Itaituba e Alenquer e outros municípios do Oeste paraense construíram e Santarém não?

O CÓDIGO PENAL É UMA MÃE

Morte e agressões violentas contra mulheres aumentam o espaço na mídia nacional, milhares de ocorrências são registradas nas Delegacias da Mulher “poucas” e distritos policiais do país, superando os de pedofilia, embora incursos na prática deste último sejam tratados com rigor pela Justiça, ao contrário dos enquadrados na Lei Maria da Penha, a não ser com vitima, como ocorre com o ex-goleiro Bruno, preso numa penitenciária em Minas, acusado de ter mandado dar fim a ex-namorada, e outros criminosos foragidos envolvidos em casos famosos, como Mizael Bispo (Marcia Nakashima) e do rico médico Roger Abdelmassik, especialista em reprodução assistida, condenado a 278 anos de prisão por abuso sexual de meia centena de pacientes, dizem estar no Líbano. No fundo, o Código Penal é uma mãe, contribui com a impunidade, basta o acusado ter bom advogado. No Pará, o caso do médico, ex-deputado Luis Sefer pode servir como exemplo, condenado a 21 anos há dois recorre da sentença em liberdade e o Tribunal de Justiça não se manifesta se a Juiza está correta ou não na aplicação da pena.

FICAM NO LUGAR ERRADO

Assim como a Capitania dos Portos nesta época de férias se prepara para garantir segurança a banhistas e passageiros, fiscalizando embarcações que atracam e desatracam da orla em frente à cidade, uso de bebidas alcoólicas e excesso de lotação, o Conselho Tutelar do município mostra a mesma preocupação, mas um pouco diferente, sai atrás de adolescentes dispostas, neste período movimentado, a fugirem a cidades vizinhas, normalmente em busca de sexo. A fiscalização, inclusive esta, afeta ao Conselho, a Delegacia Fluvial faz, exige dos comandantes ou proprietários dos barcos documentos dos embarcados. Deviam se postar nas portas dos motéis, onde as cuiantãs entram e saem às pencas, como uma vantagem: em Santarém, casa de indecência não pede identidade.

VERDADE EM TEMPO REAL

O vereador Mauricio Correa, oficialmente afastado do PMDB desde novembro “2010”, por incompatibilidade política com o deputado Antonio Rocha, vai ingressar no PR, convidado pelo presidente local “ex-federal Hilário Coimbra e atual secretário dos Portos do governo do PT”, e do vereador Emir Aguiar, líder do governo na Câmara, ardoroso defensor da prefeita Maria do Carmo (como foi de Lira Maia), de cuja administração a esposa é secretária de Cultura, tudo com aval pessoal do dirigente estadual “vice-prefeito de Belém, Anivaldo Vale, ex-candidato a vice da ex-governadora, Ana Júlia (2010)” e concorrer a Prefeitura nas municipais de 2012. Seu parceiro, vereador José Maria Tapajós, também descontente com Rocha, deve continuar no PMDB, fazendo opção em disputar pela 6ª vez uma vaga de vereador. Como política é como nuvem, fica mudando de lugar levada pelo vento, este quadro pode modificar, mas no momento é real.

A EMPRESA TEM RAZÃO

Nesta, a empresa Bertolline “que concretou 6 mil metros quadrados de praia no bairro do Uruará para fazer seu porto, diante das barbas das autoridades ambientais, inclusive do Ibama” tem razão. Vamos ao finalmente: semana passada, a mídia local divulgou acidente ocorrido as 4 da matina, dia 29 de junho, no rio Amazonas, quando uma balsa (grande) da transportadora colidiu com uma bajara (canoa motorizada) parada, ocupada por 2 pescadores, ocasionando ferimentos leves, trazidos ao Pronto Socorro Municipal pelos familiares, com dor de cabeça, mas, fisicamente bem com as vidas. Para estarem pescando na escuridão e não verem a balsa sinalizada, no mínimo estavam dormindo ou tomado umas e a lamparina apagada. Os sobreviventes contam suas histórias, mas parecida com as de pescador.

RECLAMAR A QUEM?

Normal e democrático servidores públicos efetivos e bancários paralisarem suas atividades e chamar atenção da população e autoridades para seus salários defasados. Desde segunda-feira, os ligados a órgãos federais se mobilizam no país pedindo reajustes salariais, culpando a inflação pela corrosão de seus ganhos. Os do estado, de vez enquando vão às ruas, grevam, protestam e bem ou mal são atendidos. Mas nos municípios, onde a categoria é impiedosamente massacrada, grevar, vale transporte, nem se fala, falta coragem, disposição e voz, por medo de perseguição. Em Santarém, milhares de barnabés, com vencimentos centavos acima de 1 salário, há mais de 6 anos não ganham aumento e Inativos há quase 10. São da época de 12 pães careca a 1 real e filé a 4. Reclamar a quem?

SÓ A PRESIDENTE NÃO VÊ

Ciro Gomes, cujo irmão governador do Ceará, Cid Gomes, mês de maio taxou o ministro dos Transportes e seu subalterno de confiança, presidente do DNIT, como ineptos, incompetentes e desonestos, não poupou críticas a presidente Dilma por não ter afastado “a pedido” do cargo o titular dos Transportes, Alfredo Nascimento e não só os paus mandados, como Luis Antonio Pagot, há anos acusado quase que diariamente de atos de corrupção, inclusive por dezenas de auditorias da Controladoria Geral da União. Do ministro, há 8 anos no cargo, dizer não saber do esquema de desvio do dinheiro público e cobrança de propinas em seu ministério sobre o valor dos contratos, só a presidente acredita, como acreditou no Palocci. O povo não.

MISSÃO ESPINHOSA

Na verdade a responsabilidade de uma prefeitura em gerir a administração de um aeroporto, sem receber recursos para tal, é uma missão espinhosa, principalmente numa cidade como Itaituba, cujo campo de pouso, nos tempos áureos do ouro, foi um dos mais movimentados do país, hoje tem causado problemas, como ocorreu recentemente (interditado para pousos), com prejuízos econômicos ao comercio e população. Com esta visão progressista, de Itaituba ser um dos municípios pólo da região oeste paraense e de outros situados na rodovia Transamazônica e BR-163, é que o deputado federal Dudimar Paxiuba “PSDB” pediu ao presidente do Infraero que o órgão assuma a administração do aeroporto. O que devia ter feito há muito tempo.

PRAÇA DA BIBLIA

Pessoa ligada ao vereador pastor, Reginaldo Campos, informa à coluna, se dependesse do vereador a Praça da Bíblia, sonho dos evangélicos em Santarém, já estaria pronta ou em fase final de construção. Confirma o divulgado, de existirem, quase ano, 1 milhão e 500 mil reais depositados em agencia da Caixa Econômica em Belém, “fruto de emenda do deputado Zequinha Marinho” destinado a Prefeitura, a quem cabe sua edificação, para serem liberados mediante apresentação de documento do terreno (já doado) e projeto da Praça, e do valor da mesma ser de 3 milhões, devendo estar saindo mais 1 milhão. Indiretamente, culpa a prefeitura pelo atraso da obra. Ruim se a verba retornar a origem e a Praça ficar no sonho.

BASTA QUERER

Pelo andar da carruagem, pelo menos 5 nomes estão dispostos a concorrerem a Prefeitura nas municipais de 2012, o que seria bom ao eleitor, pelo menos tinham mais opção de escolha. A disputa com 2 ou 3 candidatos se tornaria quase que monopolizada num horizonte de quase 200 mil eleitores. Seria a oportunidade dos partidos e pretendentes ao cargo fazerem sua parte e incentivarem o alistamento eleitoral para termos eleições em 2 turnos. Fazer 10 ou 12 mil eleitores, em 11 meses, para completar o exigido pelo TSE, se houver vontade, é missão fácil. Pelo menos partidos perdedores teriam vez na administração futura. Quem vence no 1º nem sempre ganha no 2º.

Por: Ronaldo Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *