Celpa esclarece interrupções de energia‏

O Centro Operacional da Celpa tem registrado desde o último final de semana, 80 ocorrências, por dia, de interrupções no fornecimento de energia elétrica, após o forte temporal que afetou a zona rural, em Santarém. O temporal provocou sérios prejuízos à rede de distribuição, como rompimento de cabos da alta tensão, queda de árvores, equipamentos como cruzetas e transformadores danificados. As comunidades Santa Cruz, Murumurutuba, São Raimundo da Palestina, Pedreira, Poço das Antas, Cipoal e Boa Fé, que ficaram sem energia, já foram atendidas pelas equipes do Plantão e a energia foi restabelecida.

A Superintendência Regional aumentou o número de equipes técnicas e recebeu carros novos, que já estão em operação há 12 dias em Santarém. No Plantão, 7 novas equipes estão dando suporte para atender as emergências e já estão trabalhando para restabelecer a energia nas comunidades Santa Júlia, Mojui dos Pereiras e Tabocal, no Km 23, na BR 163.

Na cidade, a maior incidência de ocorrências tem sido ocasionada pelas pipas. A brincadeira aumenta nessa época de férias e provoca desligamentos automáticos no sistema, quando a pipa se enrosca nos cabos da rede elétrica ou é puxada pelo brincante. Além de provocar a falta de energia, pode causar acidentes leves e graves, com possíveis curto-cicrcuitos. A Concessionária continua alertando para que a pipa seja empinada longe da rede elétrica.

Outro agravante, que vem prejudicando os trabalhos de recomposição do sistema elétrico, são os registros improcedentes realizados através do novo serviço de atendimento ao cliente por meio de mensagem SMS, disponibilizado pela Celpa para facilitar e agilizar o atendimento. Várias mensagens estão sendo enviadas e quando a equipe se desloca para atender, constatam que se tratava de trote. A Concessionária reforça que todos os canais de contato estão disponibilizados para atender o cliente em real necessidade e que, ao deslocar uma equipe para uma ocorrência improcedente , deixa de atender centenas de consumidores e ocorrências emergenciais, como hospitais, escolas, entre outros.

Por: Leíria Rodrigues | Comunicação |Celpa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *