Reserva de água da Amazônia brasileira vale US$ 1,9 quatrilhões‏

Escondida sob a floresta amazônica há uma riqueza de nada menos de US$ 1,9 quatrilhões. Esse é o valor estimado para a reserva subterrânea que o país possui do mais básico recurso necessário para a sobrevivência humana: a água. Além disso, a Amazônia tem reservas de petróleo, ferro, alumínio e manganês que valem, juntas, em torno de US$ 12 trilhões. E uma capacidade de sequestrar carbono estimada em US$ 379 bilhões. Isso tudo, claro, se a floresta permanecer de pé.

É o que aponta um estudo inédito do coordenador de sustentabilidade ambiental do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), José Aroudo Mota. Tivemos acesso à pesquisa, que será apresentada pela primeira vez hoje no Seminário da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais. De lá, o estudo seguirá para a presidente Dilma Rousseff, que poderá usar os dados para negociações internacionais sobre o valor da biodiversidade brasileira.

A necessidade de se calcular o valor dos serviços ecossistêmicos é uma tecla em que a Organização das Nações Unidas (ONU) tem batido frequentemente. A instituição possui, desde 2010, um projeto chamado Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade (TEEB, na sigla em inglês), liderado por Pavan Sukhdev, que chefia a iniciativa “Economia Verde” do Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA). E vários países têm estimadas suas riquezas. Mas o Brasil ainda não tinha os cálculos. Por isso, o economista e especialista em sustentabilidade José Aroudo Mota iniciou a pesquisa no Ipea, que recebeu o nome de “Valoração dos Serviços Ecossistêmicos”, após um encontro com Pavan Sukhdev, que esteve no Brasil no início do ano:  Temos que conhecer o valor das nossas riquezas, até para poder falar de igual para igual em negociações internacionais. O Brasil não conhece a riqueza econômica da floresta. Quando o representante da ONU veio ao Brasil, esteve no Ministério do Meio Ambiente, no Ipea, e comecei a calcular nossas estimativas  disse José Aroudo.

Segundo o pesquisador, havia estimativas, nas quais ele se baseava, de que a biodiversidade brasileira valia em torno de US$ 4 trilhões. Mas, apenas levando em conta dados do IBGE de que há, na Amazônia ,1.344. 201, 7 quilômetros quadrados de aquíferos porosos (dado de junho de 2011), a riqueza já atinge a casa dos quatrilhões. Trata-se de um potencial econômico que ainda não pode ser medido em sua totalidade. Mas, tendo em vista os dados levantados por Mota, já é possível afirmar que a floresta de pé pode se tornar o principal ativo econômico do país, se for preservado.

Isso vale também para as espécies animais. Sozinha, uma arara azul vale US$ 60 mil no mercado internacional oficial. Um mico leão dourado vale US$ 20 mil, uma jaguatirica, US$ 10 mil (foto). E apenas um grama do veneno retirado da aranha marrom para produzir medicamentos é estimado em US$ 24 mil. Mas, enquanto não se ampliam estratégias de proteção para a biodiversidade, todas essas espécimes são alvo da biopirataria internacional e do tráfico ilegal de animais, que movimenta mais de US$ 1 bilhão por ano.

Os números querem dizer: não derrube a floresta. Isso não é inteligente. Se derrubar, lá se vão alguns quatrilhões de dólares, somando a água, o estoque de carbono e etc. Se não há árvores, a água não fica estocada no subsolo e o carbono não é sequestrado. Perde-se muito a cada espécime retirado sem precaução.

O Razão Social teve acesso aos números, que serão divulgados hoje. O pesquisador trabalhou no cruzamento de dados oficiais de órgãos como IBGE, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Departamento Nacional de Produção Mineral e com valores negociados no mercado internacional de carbono e água por m3. A pesquisa será disponibilizada na íntegra pelo Ipea somente em meados de setembro.

Fonte: Camila Nobrega/Blog Razão Social/O Globo

Um comentário em “Reserva de água da Amazônia brasileira vale US$ 1,9 quatrilhões‏

  • 16 de julho de 2011 em 08:10
    Permalink

    Esse pesquisador é um imbecil ! pois a amazônia não tem preço ! é o nossa casa, muito me admira a mídia e o governo permitir que alguém venha tabelar preço no que é nosso, por trás de tudo isso está o interesse do governo americano que travestido nas ONGS monitoram tudo o que é nosso, temos que ficar alerta porque esses gringos não estão aqui a toa.. sempre estão em algum lugar do planeta atras de algo que lhes de lucro ..

    Resposta
  • 14 de julho de 2011 em 15:15
    Permalink

    Não sei por que esse pesquisador não rendondou logo pra 2 quatrilhões, tá parecendo preço de produtos no comércio, tudo é 99. Principalmente por ser um cálculo estimado e conforme ele próprio disse …”O Brasil não conhece a riqueza econômica da floresta”. E como bem colocou a Camila Nobrega,…” trata-se de um potencial econômico que ainda não pode ser medido em sua totalidade”.

    Resposta
  • 14 de julho de 2011 em 08:30
    Permalink

    Essa é o tipo de noticias que não se pode mostrar,porque senão vamos ter invasores de rio,os invasores vão demarcar os lagos e dizer que não tinha ninguem ocupando,kkkkkkkkkk.
    Para um bom entendedor meia palavra basta.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *