Capitania cancela procissão fluvial de Santana em Itaituba

Milhares de fiéis estavam no porto para assistir Procissão Fluvial

Fé, canto de protestos, vaias, criticas. Procissão de fé ou movimento de sindicalistas? Esse foi o triste cenário criado com a presença de homens da Marinha (Capitania dos Portos de Santarém) que não permitiram o acesso dos fiéis que se preparavam para acompanhar o tradicional Círio Fluvial de Senhora de Santana, previsto para a tarde de sábado, dia 16, com saída do Porto da Balsa.

Com rigor, os homens da Capitania dos Portos alertavam, que se a balsa ficasse superlotada a empresa Rodonave iria ser multada (fato que aconteceu no ano passado). Com a fiscalização, nem mesmo os barcos que tradicionalmente prestam suas homenagens a Santa Padroeira de Itaituba também se fizeram presentes.

Havia mais de duas mil pessoas que não arredaram pé nem mesmo com forte chuva e temporal, mas os agentes de fiscalização determinaram que apenas 170 pessoas poderiam entrar no interior da balsa cedida pela empresa Rodonave para conduzir a imagem da Santa, padroeira de Itaituba. O andor chegou a entrar na balsa, mas momentos antes do início da procissão os fiéis entoando refrão “Povo unido jamais será vencido, tira, tira!”, forçaram a saída da Santa, já que mais de 80% dos fiéis presentes iriam ficar de fora da procissão.

Dona Benedita ficou revoltada por não poder mais uma vez acompanhar procissão fluvial aonde iria pagar promessa

Não tendo outra alternativa, tendo em vista o clima tenso que já estava formado, um dos coordenadores do evento religioso, Patrik Souza, usando do bom senso e em respeito a religiosidade dos milhares de catótilicos presentes resolveu improvisar uma romaria terrestre, com a procissão seguindo até a Igreja Redonda, no Bairro Bela Vista, onde ali foi celebrada Missa especial.

Ao Jornal O Impacto uma das mais fiéis seguidoras da procissão disse estar triste e desapontada com tudo que ocorreu. ”Sempre participei do Círio Fluvial, hoje queria pagar uma promessa à Santa, mas fui impedida por causa da bagunça ocorrida, já que a Marinha não deveria ter agido com tanta dureza nesse tipo de ação, por se tratar de uma festa religiosa do povo Itaitubense”, disse.

Andor com imagem da Santa teve que ser retirado da Balsa

Após vários anos de ter sido iniciada, esse foi o primeiro episódio onde não houve a procissão Fluvial, que inclusive já era considerada uma grande atração turística, com direito a premiação para o barco com a melhor decoração em homenagem à Senhora Santana (e não Nossa Senhora, como erroneamente alguns ainda grifam). Quanto aos culpados, as opiniões se dividem, mas todos concordam que foi um grande desrespeito à numerosa comunidade católica privada de acompanhar da procissão fluvial deste ano.

Por: Nazareno Santos

Um comentário em “Capitania cancela procissão fluvial de Santana em Itaituba

  • 19 de julho de 2011 em 10:46
    Permalink

    Gostaria de exclarecer que a Marinha do Brasil não cancelou a procissão fluvial. O cancelamento foi realizado pela Organização do evento. Todas as embarcações são autorizadas a navegarem após realização de vários estudos e um destes estudos está a capacidade de carga e passageiro da mesma. A balsa que levaria a imagem da Santa tem capacidade para transportar 170 passageiros e todos o material de salvategem (coletes, bóias circulares e aparelhos flutuantes) está dotado na embarcação de acordo com a sua capacidade de passageiro. O acréscimo de passageiros leva a um novo estudo de estabilidade da embarcação, assim como, em uma alteração de seu material de salvatagem. Ressalta-se que o excesso de passageiro leva a navegação e as vidas humanas a extremo perigo e diferente de uma carga, as pessoas se movimentam na embarcação podendo alterar o seu centro de gravidade e conseguentemente a sua estabilidade. Assim, lamenta-se o cancelamento da procissão e fica o aprendizado para não incorrermos neste mesmo erro. A preocupação maior é com a salvaguarda da vida humana dos romeiros que participariam deste evento.

    Resposta
  • 19 de julho de 2011 em 00:21
    Permalink

    como se não bastasse toda amulecagem que aconteçeu com a romaria fluvial,no dia seguinte vimos a balssa transportando carro tanque e pessoas comuns misturado com carros carregado de petroleo,tudo pela ganaçia de ganhar dinheiro,quando acontecer uma trajédia ai sim vamos chamar a capitania dos portos para assumir a culpa.é bom todos tomarem vergonha na cara e tratar e respeitar o povo de itaituba.

    Resposta
  • 18 de julho de 2011 em 08:57
    Permalink

    Isso que a Capitania fez foi uma sacanagem, pois só por que não rola dinheiro na procissão. Isso dai ela deviria via e ver como é todos os dias na travessia de carros para o distrito de miritituba, pois vai até carro na rampa e é todos os dias eles não veem isso. Se esses bando de incompetentes da marinha vieram de Santarém pensando que iria estragar o FESTEJO DE SANTANA, se enganaram, por que no domingo tinha milhares de fiés e foi muito bonito.

    SÓ DEVE ESTA ROLANDO PROPINA POR TRÁS DISSO, POIS ELES FAZEM VISTA GROSSA. DEVERIA SER FEITO UMA REPORTAGEM SOBRE EESE ASSUNTO.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *