Informe RC

PACIENCIA DE ESPERAR

Não é segredo a quem conhece os passos das Ongs internacionais atuando na Amazônia, a influencia das mesmas junto ao governo federal e ministérios, principalmente o do Meio Ambiente, interessadas em dizerem o que é bom ou ruim para a região, assim vem sendo há anos, e Santarém, possuindo o Porto “geograficamente” mais importante do Brasil, por ficar próximo a todos os continentes, tem pago um preço alto: tolhem seu desenvolvimento. Falam da vinda ao Brasil de grupo de engenheiros chineses para proceder estudos visando construir ferrovia ligando Mato Grosso ao Porto de Santarém. Deve ser mais uma história entre muitas. No início da década de 80, o industrial Olacir Moraes, à época maior produtor de soja do mundo e dos mais ricos do país, dono do Grupo Itamaraty, soja, açúcar, álcool e banco, propôs ao governo construir a sonhada ferrovia a custo zero, teve a oferta recusada. Semana anterior, a imprensa anunciou da companheira Dilma ter suspendido as obras do PAC no Pará, inclusive o asfaltamento da Rodovia BR-163 há 30 anos prometida. Tudo para o Oeste paraense tem sido difícil, mas um dia chega.

ESTÃO ESQUECENDO ALTER DO CHÃO

Governos estaduais de 70 pra cá, iniciando com o do ex, Fernando Guilhon, tem correspondido com as belezas naturais da Vila de Alter do Chão, alguns muito, outros quase nada, mas a fama de possuir uma das praias mais bonitas do mundo e ser rota de transatlânticos de luxo quando vem à Amazônia “dezenas de vezes ano” a atenção recebida pelo balneário é pequena. Neste 1º semestre, com as proximidades do verão, o governo do Estado investiu pesado em municípios e comunidades tidos como importantes ao desenvolvimento turístico e econômico do Pará, aqui nada. O governador Simão Jatene, a exemplo de Salinas e Marudá, de quem Santarém nada tem a reclamar, devia adotar a Vila e dar o trato merecido ao local apontado como Caribe brasileiro, por ora no esquecimento.

ESTÁ DEMORANDO, MAS VAI CHEGAR

Depois da decisão do Supremo Tribunal Federal “6×5”, em abril de 2011, modificando entendimento do TSE relacionado à Lei do Ficha Limpa a ser aplicada só em 2012 e não 2010, deu aos eleitos enquadrados na lei o  direito de serem diplomados e assumirem seus mandatos. Os federais e estaduais foram empossados, faltam os senadores (3), no aguardo de uma decisão do Supremo, hoje ou amanhã, mas vem. Não existe lei que possa impedir disso acontecer, como divulga ao contrário parte da mídia, seria a desmoralização da Justiça, melhor fechar as portas da mais alta Corte de Leis do país e atear fogo à Constituição. Não sou cultor do direito e nem acredito haver mestre na matéria que mostre juridicamente impedimento dos senadores eleitos Jáder Barbalho, do Pará, João Capiberibe, do Amapá, e Cássio Cunha Lima, da Paraíba, não poderem assumir seus mandatos. Nem mesmo a “senadora” Marinor Brito, com votação de vereador “4ª colocada” acredita disso ocorrer. Está demorando, mas a justiça chega.

MATOU, QUER ENTERRAR

O advogado Jarbas Vasconcelos, ainda presidente da OAB-Pa, adepto da truculência tipo prende, arrebenta e toma tudo o que tem antes mesmo da decisão da Justiça, se arvorando a Justiceiro, assim sentenciou aos acusados do desvio de verbas da Assembléia, continua colher frutos da árvore que plantou: os inimigos, na profissão conquistados e o reconhecimento dos colegas de ser o único na história centenária da Ordem em sua desastrada gestão jogar a instituição no ralo, afastada dos princípios éticos e da moralidade, onde o prato do dia, oferecido a opinião pública, continua sendo a venda ilegal, imoral e irregular do imóvel pertencente a subsecção de Altamira, e falsificação com seu conhecimento da assinatura do vice-presidente, apurados por uma comissão federal de Sindicância, a mando da OAB nacional. Nesta 3ª (09), 3 Conselheiros federais representantes do estado junto a nacional da Ordem, protocolaram em Brasília solicitação pedindo seu afastamento “temporário” como única maneira de prevenir danos maiores ao patrimônio moral da instituição. Tá quase pra deixar, como matou, quer enterrar.

ÚLTIMA ESPERANÇA

Como desgraça só quer começo, vamos ao que interessa: o assunto no “Senadinho” (laterais da Garapeira Ypiranga, na Praça da Matriz), nas sessões de 3ª e 4ª feira foi a situação difícil pela qual passa o São Raimundo, somado ao pedido de férias por 4 meses “não saída” do Presidente e da ação protocolada semana passada no Fórum distribuída ao Juiz da 5ª Vara Cível contra o clube, por emissão de cheques sem fundo, perto de 40 mil reais, devido de comissões na contratação de pernas de pau e parte do custo de sua estada (30 dias) no Rio de Janeiro no início do ano, onde dirigentes e jogadores conheceram a Central do Brasil, Corcovado e viram a imagem do Cristo Redentor. Bom, né? O medo de perderem a sede social para cobrir débitos “dizem chegar acima de 400 mil”, continua. A esperança dos “senadores” torcedores do Pantera , é do Juiz da 3ª Vara Cível acatar a ação do advogado Edibal Cabral. Ai o carnaval com o dinheiro do clube, que a 11 jogos não ganha uma, só empata (4), acaba.

CONFISSÃO AO FRACASSO

Instituições particulares de ensino superior na Amazônia não têm sido bem avaliadas pelo MEC. Na última feita em 2009 nenhuma universidade conseguiu nota máxima nos cursos avaliados pelo ENAD. As desculpas ao fracasso expostas pela Associação que congrega essas escolas à Comissão de Educação da Câmara Federal, da qual faz parte o deputado Francisco Everardo, o intelectual palhaço Tiririca, são as mais variadas. A principal se prende a falta de incentivo para formação de docentes (professores) e pedem uma avaliação e uma regulamentação diferenciada para poderem se adequar aos critérios do Ministério da Educação. Ensinar deve ser como comercializar, comerciante sem capital não se estabelece. Assim deve ser uma Escola, se não tem professores capacitados a ministrar aulas, melhor fechar.

A VIVO, VIVA, METE A MÃO

Como não existe a quem prestar queixa, nunca os usuários da empresa de telefonia móvel Vivo se sentiram tão lesados quanto agora. Pelo menos em Santarém está ocorrendo a mais de mês, difícil se fazer uma ligação, quando ocorre é por acaso, normal para se conseguir é tentar uma dezena de vezes ou mais. Ruim o comportamento da Vivo, não se explica e nem dá satisfação, ao menos por mensagem aos celulares, onde seus bônus sem serem usados são afanados diariamente. O certo seria a empresa devolver, alguns são pobres e precisam. Como são ricos e poderosos fazem o que bem entendem, inclusive debochar da tolerância popular. Aqui fica um protesto.

BOM REPETIR

Cidade e população ligadas ao bem nunca estiveram tão inseguras como agora. Santarém está repleta de bandidos praticando todas as modalidades de crimes, incluindo usuários e traficantes de drogas. O bem avaliado delegado Gilberto Aguiar, contando com ajuda dos colegas de profissão, Polícias Civil e Militar, semana passada, numa chamada Mega-Operação em alguns bairros, recolheram objetos furtados, armas, motos, dinheiro, entorpecentes e vários “empresários” do ramo, velhos conhecidos da Polícia, maioria ex-hóspedes da Penitenciária do Cucurunã. A iniciativa dos delegados e policiais merece aplausos “diminui a bandidagem”, devia se repetir semanalmente em dia e hora incerta, extensiva a apreensão de máquinas caça-níquel, ainda existentes às centenas, programadas para roubar e afastar adolescentes das escolas. Milhares de mães iam aplaudir.

SERVIÇOS DE QUALIDADE

Diariamente, reclamações às empresas de transportes coletivos servindo a população aumentam. Colocando pegas de lado, ofensas entre colegas das concorrentes, “pregos”, atrasos, reboques às garagens, educação dos condutores com os passageiros e o estado precário de parte da frota (quase sucateados), fazem parte desse rosário de queixumes. Há anos, no entra e sai de prefeitos a cantilena continua. Chegou a hora de Santarém dar um basta a esta situação. A excelência maior do Município devia seguir o exemplo de Macapá e com ajuda do Ministério Público e órgãos de fiscalização abrir edital de licitação para serviço de ônibus na cidade. Só assim maioria dos problemas ocasionados pelo tráfego seria resolvido, os usuários teriam frotas de qualidade, serviços e tarifa justa. Ganha a cidade e o povo.

TEM SIDO UM DESASTRE

Há décadas se ouve e se lê, dito e escrito por educadores famosos, da melhor maneira de tirar crianças das ruas, do vício das drogas, é investir na educação. Na teoria, em países de 1º mundo, desenvolvidos, bem próximos do Céu, a recomendação deve ser correta, mas num como o nosso, onde existem acima de 10 milhões de humanos sobrevivendo com 39 reais/mês, na prática o alerta tem sido um desastre. Em São Paulo, tomando como retrato, uma das cidades mais desenvolvidas do mundo e mais importante do país, onde bilhões de reais/ano são investidos nessa recomendação, 4 crianças entre 9 e 11 anos foram apreendidas pela Polícia, que roubavam lojas, todas com passagem por distritos policiais e usuárias de drogas. Em dezenas de nações espalhadas pelo mundo, como a Turquia, traficantes pegos com drogas tem um destino certo: a forca.

SONHANDO ALTO

O senador Mario Couto “PSDB”, um dos mais severos críticos dos governos presididos pelo PT, com pronunciamentos ácidos de adjetivos pouco republicanos, também às voltas, apontado como um dos responsáveis pelos desvios de verbas da Assembléia do Pará, quando presidente (2003/2006), retornou à tribuna do Senado para pedir a prisão de seu “mui amigo” Luís Antonio Pagot, ex-diretor geral do DNIT, defenestrado da função pela excelência presidente, como suspeito “presente”, entre quase 30, no assalto aos cofres do Ministério dos Transportes, até o momento o maior da historia da República. Não se preocupe, senador, o Pagot não vai sequer ser processado, quanto mais preso. Aqui, como lá, daqui a um ano, vai ficar como de costume e nada tivesse acontecido. Tudo acaba em pizza.

NEGÓCIO RENDOSO

Conhecedores desta velha malandragem dizem não ser bom a cidade, muito menos as autoridades ligadas a saúde, ou mesmo a Polícia, a exploração por parte de vigaristas, do uso de pessoas passando por doentes terminais desenganados da medicina, segundo mentirosamente anunciam, aboletados no banco de trás de veículos, chapa particular, dotados de som, pedindo ajuda “compra de remédios e comidas” em portas de bancos e locais de muito movimento. Pessoa ligada ao “empresário” deste próspero negócio, de vez em quando assunto neste espaço, afirma haver carro faturando em dias de muita caridade até 800 reais. O Superintendente Regional da Polícia devia acabar com essa vigarice. Santarém agradece.

MANDATOS BICHADOS

Dos pouco mais de 800 mil pescadores artesanais inscritos no Ministério da Pesca o maior número fica no Pará. No início do mês, o governo anulou acima de 90 mil registros, produtos de fraudes, 40% ficam no estado. O percentual nesta 1ª leva é vergonhoso, mostra da fábrica do Seguro Defeso ter funcionado a pleno vapor na fabricação de piratas, alheios a caniço e anzol. Nas últimas eleições (2010) beneficiados por essa fraude, ainda em apuração pela Justiça e Polícia Federal, foram eleitos 1 federal, Mariquinho Batista “PT” e 2 estaduais, sendo também um do PT, o Chico da Pesca. Com a divulgação oficial da mamadeira nas tetas da viúva, a dupla fica com os mandatos bichados, conquistados de maneira fraudulenta, próximos à cassação, basta a Justiça dar uma mãozinha.

NOVOS RICOS

Têm servidores públicos de baixos salários fazendo milagres e chamando a atenção não só dos vizinhos como da Receita Federal, por externarem sinais de riqueza. Adoram carrão, construir, reformar e comprar casa e serem proprietários de imóveis em Alter do Chão. Quando aumentam o apurado, compram apartamento na capital. Suas madames, alimentadas na pobreza, na base do mingau de farinha d’água, quando comem pacu, arrotam bacalhau. Cuidado, o que é da água, a água leva.

Por: Ronaldo Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *