OS SUPER SECRETÁRIOS

Não se sabe mesmo ainda qual o objetivo principal da indicação de super secretários no governo de Simão Jatene. Os vários segmentos da população paraense estão surpresos. Ainda não sabem como será a realidade da estrutura administrativa a ser colocada em prática, visando os interesses do povo. Em uma plenária convocada pelo Sindicato do Servidor Público Aposentado do Oeste do Pará ficou clara a preocupação dos servidores públicos no que diz respeito aos seus direitos assegurados, mas deixados de lado na hora de fazer cumprir as leis.

Fala-se em novos investimentos, e uma política de articulação. É possível que os poderosos secretários terão poderes nunca imaginados em governos anteriores. É difícil neste momento fazer uma avaliação de como será o desempenho nas diversas áreas voltadas para o povo. Agirão democraticamente ou partirão para atitudes ditatoriais? Veremos no andar da carruagem…

Secretarias foram extintas a fim de que os super secretários pudessem tufar o peito. A iniciativa veio em um momento em que se busca a aprovação do Plebiscito e criação dos estados do Tapajós e Carajás. Entre os cinco grandes astros está o mais conhecido inimigo do “SIM”, que terá em suas mãos estruturas capazes de incentivar o confronto que vem sendo feito pela ilustre figura de Zenaldo Coutinho, que era apenas Chefe de Gabinete. Agora estará presente em todo Estado, através da SESPA, secretaria de Assistência Social, SETER, SEJUDH, Defensoria Pública, Inmetro, Hospital Ophir Loyola, Santa Casa, Hemopa, Hospital das Clínicas e Fundação de Atendimento Socioeducativo.

Por falar em super secretário, o povo de Santarém, especialmente o servidor público, está surpreso com a indicação de Helenilson Pontes. Melhor é ser Sub-Governador copm tantos setores públicos em suas mãos do que simples Vice-Governador e não mandar em nada, a exemplo do que foi Odair Corrêa. O chamado “Secretário de Gestão” inclui na sua agenda SEAD, SEFA, SEPOF, IGEPREV, IASEP, escola do Governo, Loterpa, IOEPA, Prodepa e Banpará.

Esperamos que haja mais agilidade nos processos amontoados em vários setores. Só na Seduc estão amontoados mais de três mil processos de aposentadorias para serem encaminhadas a SEAD e chegar ao IDPREV. Outra situação angustiosa atinge os concursados, pois são aprovados e não são chamados.

Vamos tomar conhecimento cedo ou tarde do objetivo real dos super secretários quando de suas decisões. Que não sejam voltadas mais para burocracia do que para o atendimento direcionado, sem barreiras, ao povo. Por outro lado, a expectativa é que se mantenham calados na hora da campanha do Plebiscito e da votação pelo “SIM” sem interferência, dando prova de que a indicação dos superiores não deve influenciar na criação dos estados do Tapajós e Carajás. A brusca mudança na estrutura administrativa nos leva a fazer uma análise da realidade a ser vivida.

Por: José alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *