Ibama retira gado apreendido em área embargada de Novo Progresso

Gado apreendido pelo Ibama

O Ibama começou a retirar na quinta-feira (11) as cerca de 900 cabeças de gado apreendidas pela Operação Disparada no final de março em Novo Progresso, no sudoeste do Pará. A primeira leva de animais, que eram criados em uma fazenda ilegalmente desmatada e embargada, saiu da cidade em dois caminhões escoltados por fiscais armados e homens do Batalhão de Polícia Ambiental de Belém. Após a conclusão do processo de julgamento, os bois serão destinados a uma entidade de apoio a pessoas carentes e sem fins lucrativos do Estado.

A saída do gado de Novo Progresso, um dos municípios que mais desmatam na Amazônia, foi precedida de mais de três meses de disputa na Justiça, onde o fazendeiro, autuado por crime ambiental, tentava impedir a doação do rebanho apreendido na área embargada.

Neste período, o helicóptero do Ibama que dava apoio à operação Disparada chegou a ser acorrentado e reforços do instituto, da Polícia Federal e da Força Nacional foram enviados à cidade. Na quinta-feira, pouco antes da partida dos caminhões com os primeiros bois, houve uma última tentativa frustrada de manter os bois na cidade: uma das pontes de madeira que dá acesso ao município foi sabotada.

“Operações como as que envolvem apreensão de gado requerem paciência, determinação e objetividade. São determinantes para a vitória contra o desmatamento ilegal em toda a Amazônia, se for necessário, nelas empregaremos, todas as nossas energias”, afirmou o coordenador-geral de Fiscalização Ambiental, Bruno Barbosa.

Pecuária ilegal

Os cerca de 900 animais foram apreendidos na fazenda Jatobá, localizada no município de Altamira, mas dentro da área de influência de Novo Progresso. O histórico da propriedade inclui autos de infração por desmatamento ilegal, impedimento da regeneração, quebra de embargo e notificação de retirada de gado. O último embargo, em 2010, determinava que o fazendeiro retirasse todo o gado da área, de cerca de 1,3 mil hectares. Na operação Disparada, o fazendeiro, além da apreensão do gado que mantinha ilegalmente na área, ainda foi multado em aproximadamente R$ 7 milhões, por ter impedido a regeneração da floresta, e em R$ 500 mil, por não atender a notificação para retirar o rebanho.

Fonte: RG 15/O Impacto e Ibama

Um comentário em “Ibama retira gado apreendido em área embargada de Novo Progresso

  • 15 de agosto de 2011 em 13:20
    Permalink

    Isso é um crime contra o direito da população local. O gado já estava em fazenda particular, legalizada ou não caberia uma reintegração de posse do governo federal e se houve agressão ao meio ambiente, o proprietário deveria ser autuado e não ser confiscado, isso é crime contra o cidadão , é roubo legalizado do governo.
    Roubo legalizado e violência contra o cidadão.
    Qualquer pessoa nesse país iria defender seu patrimônio. Por que não vão prender políticos do colarinho branco, lá em Brasília.
    O gado deve ser devolvido a esse cidadão, caso contrário, será um confisco por um bando de ladrões.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *