Técnicos da Emater recebem qualificação para manejo florestal sustentável no Pará

Ténicos e tomadores recendo qualificação

Neste mês de agosto, o Centro Nacional de Apoio ao Manejo Florestal (Cenaflor), com apoio da Unidade Regional da BR-163 do Serviço Florestal Brasileiro está realizando atividades que visam a qualificação de lideranças e de técnicos extensionistas da Emater que atuam na região do Distrito Florestal Sustentável da BR-163.

No momento está acontecendo o curso Manejo Florestal para Tomadores de Decisão, que iniciou no dia 15 e vai até o dia 20 de agosto no Instituto Floresta Tropical (IFT), em Paragominas, PA. O objetivo é fortalecer as instituições e qualificar seus representantes para a discussão e promoção do manejo florestal como alternativa de desenvolvimento local, aliada a conservação dos recursos florestais.

As atividades são viabilizadas pelo Projeto BR-163 – Floresta, Desenvolvimento e Participação e visam a consolidação do primeiro Distrito Florestal Sustentável do País, o DFS da BR-163, que engloba uma área de mais de 190 mil Km2 no Oeste do Pará, onde se encontram oito Florestas Nacionais, três Parques Nacionais, duas Reservas Extrativistas e uma Área de Proteção Ambiental.

“Ao promover a capacitação dessas lideranças estaremos favorecendo a discussão e participação destas instituições no estabelecimento e implementação de agendas que promovam o uso sustentável das florestas, valorizando-as por meio da produção de bens e serviços e geração de renda para as famílias e setores da sociedade civil envolvidos,” afirma a chefe do Cenaflor, a analista ambiental Cristina Galvão.

E na semana que vem, do dia 22 a 26 de agosto, será a vez do curso Gestão de Empreendimentos Florestais Comunitários para Multiplicadores, quarto módulo da qualificação de extensionistas na região da BR-163 e iniciado em 2010 pelo Serviço Florestal e Emater do Pará. As aulas serão realizadas em Santarém e contam com a participação 30 técnicos. Os integrantes da capacitação já passaram por outras etapas. Os módulos 1, 3 foram realizados em Santarém, com apoio da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Embrapa Amazônia Oriental, Ideflor, Sagri e Flona do Tapajós. O módulo 2 foi um curso de campo, realizado no IFT.

Neste edição, serão abordados aspectos da instituição e gestão de organizações sociais, como associações e cooperativas. A ideia é que os extensionistas da Emater paraense disseminem e apliquem conceitos de gestão das organizações sociais na realização das atividades de extensão florestal e assistência técnica em comunidades rurais com potencial e interesse em atividades florestais produtivas (manejo florestal madeireiro e não madeireiro,  plantios florestais). Como essas atividades produtivas são realizadas de forma coletiva, a abordagem integrada de aspectos produtivos e da gestão das organizações é extremamente importante, explica Cristina.

A qualificação de extensionistas em temas relacionados a adoção e gestão das atividades florestais produtivas contribui para a ampliação de uma assistência técnica e extensão l que considere as peculiaridades do Manejo Florestal Comunitário e Familiar. Essa experiência possibilitada pelo Projeto BR-163 proporciona ao Cenaflor, a construção de uma estratégia de qualificação de profissionais a ser compartilhada e aprimorada com órgãos de assistência técnica e extensão rural (ATER), na esfera estadual e federal.  “Com base nesta experiência, vislumbramos também a oportunidade de multiplicar esta iniciativa em outros estados da Amazônia,” adianta Cristina.

Desde o começo do Projeto BR-163, já passaram pelas aulas do IFT mais de 400 participantes em capacitações para públicos distintos, com alunos da Escola Estadual Tecnológica do Pará (EETEPA), trabalhadores e empresários do setor madeireiro e servidores públicos. No final de junho deste ano, 29 alunos da Universidade do Oeste do Pará (Ufopa) fizeram o curso Gerenciamento em Manejo Florestal e Exploração de Impacto Reduzido.

O Projeto BR-163 – Floresta, Desenvolvimento e Participação é coordenado pelo Departamento de Políticas de Combate ao Desmatamento do Ministério do Meio Ambiente e conta com o apoio técnico e a gestão financeira da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (ONU/FAO Brasil) e recursos doados pela União Européia.

Fonte: Silvia Marcuzzo/Projeto BR-163 – Floresta, Desenvolvimento e Participação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *