Chineses têm interesse em ferrovia na BR-163

Simão Jatene e Sinval Barbosa se reuniram ontem em Castelo dos Sonhos

Os governos do Pará e do Mato Grosso deram ontem um passo importante para realizar o sonho da integração logística Norte e Centro-Oeste a partir do eixo da BR-163, a rodovia Santarém-Cuiabá. O governador do Pará, Simão Jatene, encontrou ontem com o governador do Mato Grosso, Sinval Barbosa, no distrito de Castelo dos Sonhos, no município de Altamira, e à margem da rodovia.

O encontro faz parte da “Rota da Integração”, um movimento que une os governos dos dois Estados e que está levando um grupo de empresários chineses a percorrer a BR-163, com o objetivo de avaliar a possibilidade econômica de implantação de uma ferrovia acompanhando o traçado da rodovia.

“O governo do Pará tem todo o interesse em ser parceiro neste investimento que vai possibilitar a criação de um novo caminho para o escoamento da produção brasileira, desafogando os portos já congestionados das regiões Sul e Sudeste, reduzindo custos logísticos e, principalmente, abrindo novas perspectivas econômicas para os municípios do Pará e do Mato Grosso localizados às margens do eixo da BR-163”, afirmou Jatene.

Em Castelo dos Sonhos, os dois governadores participaram da abertura da terceira “Festa do Boi no Rolete” promovida pela associação de produtores rurais do distrito. “A BR-163 é a espinha dorsal da logística nesta região e é fundamental para o escoamento da soja do Centro Oeste pelo porto de Santarém. Temos um compromisso da presidente Dilma de que os recursos para a conclusão da rodovia já estão assegurados. Agora, estamos prospectando junto com o governo do Pará esse grande projeto que é a de construção de uma ferrovia e a China já demonstrou interesse em participar desse investimento junto conosco”, afirmou o governador Sinval Barbosa.

Fonte: RG 15/O Impacto e DOL

Um comentário em “Chineses têm interesse em ferrovia na BR-163

  • 6 de setembro de 2011 em 08:45
    Permalink

    É preciso ficar atento, já conseguira fazer com que o estado todo vote, será que é justo outros decidirem o nosso destino? Eles que vão fazer de tudo pra tirar nosso direito de ser feliz.Resumindo eles já tem o que é bom pra eles,e ainda podem fazer com que aconteça oque não é bom pra nós.Francamente isto parece pra não dizer é DITADURA.

    Resposta
  • 5 de setembro de 2011 em 19:13
    Permalink

    Jatene realiza manobras para impedir nossa emancipação.

    O governador mais viaja de avião do que governa o estado, ultimamente não sai das regiões a serem emancipadas para iludir a população.

    Isso é uma verdadeira manobra do governador Simão Jatene, visitar insistentemente as regiões de Marabá, Santarém, Itaituba e até a divisa com o Mato Grosso em Jacareacanga e Novo Progresso.

    Nunca se recebeu tanto a visita do governador por essas bandas.

    Tudo por conta do plebiscito que ameaça dividir o estado, mas não se iludam , depois do plebiscito, nunca mas passará por esses municípios do oeste.

    É tudo promessa para enganar o povo.
    Será que o povo vai se deixar enganar pelas lorotas do governador.

    Com certeza tem manobra dos contra nessa história.

    Resposta
  • 5 de setembro de 2011 em 19:13
    Permalink

    Quem diria, caiu a máscara do governador Simão Jatene, que como uma raposa em silência faz campanha contra a criação do Estado do Tapajós.
    Ultimamente o que o governador só sabe fazer é pegar seu jatinho e viajar para essas regiões.
    E o vice governador Helenilsom Pontes, porque não deixa deixa o governo. O próprio governador Jatene já tratou de engessa-lo e dando mais uma secretaria, da Promoção Social, para que ele não tenha tempo para se dedicar a campanha.
    O povo está atento, olho clínico neles

    Resposta
  • 5 de setembro de 2011 em 19:12
    Permalink

    CAIU A MÁSCARA DO GOVERNADOR .
    Blog Parsifal 5.0

    Campanha oficial

    Jornal o Liberal.
    Belém, quinta-feira,
    1 de setembro de 2011-09-01

    Repórter 70
    Em poucas linhas

    • Convites enviados pelo governo do Estado para a Feira do Livro trazem no selo impresso no envelope a frase, “Ser paraense é somar”,
    • É um sinal que o govvernador Simão Jatene está fazendo campanha como uma raposa em silêncio contra o Estado do Tapajós e Carajás.

    Pela frase do selo o governo do Estado inaugura a vereda pela campanha do “Não”, usando para tal uma interface oficial, a máquina do governo.
    O passo tem peso específico considerável, se somado à poderosa investida flexionada em desfavor dos emancipacionistas pela imprensa da capital.
    Os movimentos de redefinição geopolítica nacional,
    desde as capitanias hereditárias,
    só lograram êxito quando os governos e as elites políticas confluíram.
    Mais recentemente, Mato Grosso e Goiás conseguiram a mitose, depois de mais de 30 anos de escaramuças, quando os respectivos governadores, aquiesceram.
    No ritmo que se dá à campanha, com motes pejorativos , o eleitor plebiscitário chegará a um dezembro carregado de reservas e preconceitos, sem condições formais de avaliar o que poderia, em um espaço de tempo a ser considerado, prover ou não, a divisão do Pará, a sua qualidade de vida.
    Fazer o que? Campanhas, e esta é uma, não passam de lendas da paixão. Acabará vencendo, como sói sempre ser, quem conseguir fazer do seu sofisma a mais convincente verdade.
    O vice governador , Helenilson Pontes, também já foi engessado pelo governador. Com acumulo de função na Secretaria de Promoção Social para que não tenha tempo para se dedicar a campanha.

    Restam apenas 3 meses para converncer o eleitor.

    Resposta
    • 5 de setembro de 2011 em 19:04
      Permalink

      È brincadeira… não tem a mmenor possibilidade de um empreendimento desses… esses caras do governo brincam colocando expectativas na cabeço dessa sofrida população… imagina quem aposto??? e a impressa adora!!!! já pensou o entrave ambiental… e os recursos “em tese seriam estrangeiros” de onde? chineses??? para e pense… são mais de 1000 km, não esqueça estamos na regiao norte… e na AMAZONIA… a Cuiabá-Santarem tem quantos anos que se falam em asfaltamento… Tá aí tem alguma coisa boa…vamos torcer para isso acontecer – o asfaltemento dessa Rodvia… depois quando tivermos 310 anos começaremos a acreditar nessa ferrovia… e se voce acredita… parabéns pelo otimismo… só não esqueça e repare o que está acontecendo em Belo Monte… é brincadeira uma ferrovia desse porte aqui na Amazonia…

      Resposta
  • 5 de setembro de 2011 em 10:20
    Permalink

    tomara que dee certo,seria otimo se tivessemos uma ferrovia,esoero q eles tambem pensem na possibilidade para uso de passgeiros.uma viagem de trem eh 10 vezes mais confortavel e mais rapido q de onibus.alem de reduzir o fluxo de caminhoes an br 163 fazendo com que ela dure mais.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *