Programa “Municípios Verdes” desperta interesse internacional‏

Subprocurador-geral da República, Eugênio Aragão

O programa estadual “Municípios Verdes”, lançado pelo governo do Pará em março deste ano, tem despertado o interesse do governo Federal e outros atores internacionais. Por este motivo, o subprocurador-geral da República, Eugênio Aragão, se reuniu com o governador Simão Jatene na manhã desta terça-feira, no Palácio dos Despachos. Os procuradores da república no Pará, Daniel Azeredo e Alan Mansur também estiveram presentes no encontro, que contou ainda com a participação dos secretários de estado: Hélio Franco (Sespa), Hildegardo Nunes (Sagri), Nilson Pinto (Promoção Social) e Izabela Jatene (Pro Paz).

Durante o encontro, o subprocurador falou ao governador sobre o interesse em dar expressividade internacional ao programa, durante a maior feira de alimentos do planeta, que acontecerá no período de 8 à 12 de outubro em Colônia, na Alemanha. “Queremos apresentar, durante um seminário, como funciona o programa e os benefícios que ele trouxe para o estado do Pará e que consequentemente pode trazer para o Brasil e o mundo”, enfatizou o subprocurador.

Na opinião dele, o programa é o primeiro projeto de zoneamento rural no Brasil. “O que nos chamou atenção é que por conta do programa, o governo consegue tratar a política rural e urbana de forma equilibrada”, completou. O governador enfatizou que o programa busca combater além do desmatamento, a pobreza e a desigualdade social. “Estamos experimentando um modelo que já trouxe resultados muito positivos”.

Queijo do Marajó

Outro assunto que também tem sido motivo de interesse nacional e internacional é o queijo do Marajó. Segundo Aragão, existe um projeto piloto do Ministério da Agricultura que pretende inserir a agricultura de subsistência no mercado e o produto pioneiro no projeto é o queijo do Marajó. “Através desse projeto, haverá uma modificação na defesa agropecuária que permitirá que os produtores de queijo comercializem o produto. Inclusive, já temos grandes redes de supermercado de todo o Brasil interessadas em comprar o queijo em grande escala”, finalizou o subprocurador. Ainda de acordo com ele, se esse projeto for efetivado haverá uma mudança econômica positiva para os municípios do Arquipélago do Marajó.

Fonte: Bruna Campos/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *