Polícia apresenta dois dos assassinos do casal de extrativistas de Nova Ipixuna‏

Assassinos dos extrativistas

Os irmãos José Rodrigues, de 43 anos, e Lindon Jonhson Silva, 29, responsáveis pelo assassinato do casal de extrativistas José Cláudio e Maria do Espírito Santo Ribeiro, em maio deste ano, no município de Nova Ipixuna, foram apresentados à imprensa na noite deste domingo (18) pelo Sistema de Segurança Pública do Estado, durante coletiva na Delegacia Geral de Polícia Civil. Em uma operação conjunta das Polícias Militar e Civil, que envolveu cerca de 60 homens, os irmãos foram capturados na madrugada deste domingo, por volta das 4h, em uma área de mata fechada no distrito de Maracajá, a 52 km de Novo Repartimento.

Com mandado de prisão expedido desde o final de julho, José Cláudio, acusado de ser o mandante do crime, e Lindon Jonhson, o executor, chegaram a Belém por volta das 14h em um helicóptero da Polícia Militar. Antes de chegarem à capital, os dois também foram apresentados à delegacia de Tucuruí, por porte ilegal de armas. Com eles foram encontrados dois revólveres calibre 38, um calibre 32, e uma espingarda calibre 20, similar à utilizada na morte do casal, além de uma motocicleta vermelha, identificada como a mesma usada no crime. Após a apresentação, os dois foram encaminhados à Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe). Nesta segunda-feira (19), os dois deverão ser interrogados. Pela manhã, o planejamento da operação será detalhado pela polícia.

Segundo o delegado adjunto da Polícia Civil, Rilmar Firmino, que comandou a operação com o tenente coronel Sandoval Bittencourt, do Comando de Missões Especiais da Polícia Militar, a ação foi resultado de um planejamento de mais de 40 dias. “Embora eles ficassem num local com vista privilegiada da entrada e saída da área, montamos um esquema muito bem planejado, sem margem para a fuga. Eles utilizavam uma casa, mas dormiam em um barraco no meio da mata”, explicou o delegado, ressaltando que a polícia também já está no encalço de Roberto Lopes Teixeira, conhecido como “neguinho”, apontado pelas investigações como o terceiro envolvido no assassinato.

Para a operação foram mobilizados policiais do Comando de Missões Especiais, da Companhia de Operações Especiais e do Grupamento Aéreo, da Polícia Militar, e da Divisão de Investigações e Operações Especiais e Departamento de Meio Ambiente, da Polícia Civil. “Não há como se pensar segurança pública sem integração. Essa é mais uma resposta do Estado. Nesses casos que não foram possíveis ser evitados, estará presente cada vez mais forte na captura dos responsáveis por esses crimes”, frisou o secretário de Segurança Pública, Luiz Fernandes Rocha.

Por: Amanda Engelke – Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *