MPF deve abrir inquérito criminal contra Palocci

Palocci faturou R$ 20 milhões

O Ministério Público Federal (MPF) se prepara para abrir um inquérito criminal para investigar a atuação do ex-ministro Antonio Palocci como consultor de empresas. Procuradores que analisam o caso informaram a Procuradoria-Geral da República de sua intenção e relataram que encontraram “fatos novos” ao examinar os negócios particulares de Palocci.

Palocci faturou R$ 20 milhões com sua empresa de consultoria no ano passado, quando exercia o mandato de deputado federal e chefiou a campanha que levou Dilma Rousseff (PT) à Presidência. A rentabilidade de seus negócios gerou suspeita, abriu uma crise e culminou na demissão de Palocci da Casal Civil. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que dará sinal verde para que abram o inquérito criminal. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Palocci faturou R$ 20 milhões com sua empresa de consultoria no ano passado A rigor, Gurgel nem precisaria ser ouvido, pois Palocci perdeu o foro especial a que tinha direito como ministro ao ser demitido por Dilma. Mas o MP do Distrito Federal pediu seu consentimento “por deferência”, uma vez que Gurgel havia engavetado o pedido numa primeira consulta.

À época, ele alegou não haver indícios concretos de crime nem motivo para apurar o caso. “Eles podem abrir sem qualquer problema”, disse. “Eles inclusive deixam bem claro que seriam outros fatos além daqueles (conhecidos)”.

O advogado do ex-ministro Antonio Palocci, José Roberto Batochio, rechaçou a iniciativa. “Se quiserem dar interpretação nova a fatos antigos, isso é uma outra coisa. Conhecendo o que consta desse apuratório cível, afianço que nenhum fato novo, que seja digno dessa conceituação, foi inserido”, disse o advogado. Ele acrescentou que, mesmo que o MPF quisesse abrir uma investigação, a iniciativa deveria partir de Gurgel. “Como pode alguém de hierarquia inferior desarquivar o que o procurador-geral arquivou?”.

Fonte: Agência Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *