Fiscalização do Ministério Público não se estendeu às farmácias

Duas semanas depois dos ministérios Público Estadual (MPE) e Federal (MPF) efetuarem uma inspeção em hospitais públicos e particulares de Santarém, o Conselho Regional de Farmácia informou que a fiscalização não se estendeu às drogarias da cidade.

Durante a fiscalização em hospitais de Santarém, várias irregularidades foram constatadas por procuradores e promotores do Ministério Público, como condições de higiene precária em alguns estabelecimentos e venda de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a presidente da Associação dos Farmacêuticos e Bioquímicos de Santarém, Stael Rejane Silva, todas as farmácias visualizadas pela mídia tem fiscalização contínua dos conselhos Regional e Federal de Farmácia, por conta de existir representação em Brasília. Além do Conselho, segundo ela, existe a fiscalização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“No ano passado teve uma repercussão bombástica, onde uma fiscalização da Anvisa apreendeu alguns medicamentos em farmácias e houve algumas situações jurídicas no que diz respeito ao caso”, lembra a farmacêutica. Stael Rejane reforça que as farmácias passam por uma fiscalização contínua do Conselho, da Vigilância Sanitária local e da Anvisa, órgão Federal e, que por conta disso a inspeção do Ministério Público não chegou aos referidos estabelecimentos comerciais. “Recentemente tivemos a visita do presidente Regional de Farmácia e do representante do Conselho Federal, Dr. Walter Jorge. Em relação a isso a população pode ficar tranqüila que temos a presença do profissional nas farmácias, nos hospitais e em todos os setores da área de saúde”, pondera Stael, destacando que além da fiscalização contínua, existe a presença do profissional para atendimento ao público nas farmácias comerciais. “Existe uma média de 100 farmácias em Santarém”, finalizou Stael rejane.

Fonte: RG 15/O Impacto

3 comentários em “Fiscalização do Ministério Público não se estendeu às farmácias

  • 22 de outubro de 2011 em 01:30
    Permalink

    Ei seu Antonio paulo sousa vc nem escrever direito sabe, Como queres comentar algo? Rsrsrsrsrsrs

    Resposta
  • 19 de outubro de 2011 em 17:47
    Permalink

    O Conselho de Farmacia deveria fiscalizar as farmacias dos Postos de Saude da Prefeitura, onde nao existe profissional farmaceutico responsavel e onde remedios sao distribuidos por enfermeiros e auxiliares de enfermagem sem nenhum controle. Os medicamentos ficam todos exopostos a calor, sem ar condicionado nem nada. Onde esta o Conselho de Farmacia que nunca viu isso?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *