Prefeito acusado de conivência com crime ambiental‏

Pescadores utilizam a prática de “arrastão” sem qualquer fiscalização

Mesmo com a fartura de peixe nesta época do ano, é lamentável a constatação da forma criminosa como agem os pescadores do município de Curuá, para conseguir lucro fácil, mesmo que os métodos sejam reprováveis.

Uma equipe de televisão teve acesso a um dos lugares com a prática do uso de redes de arrastão, é tão comum, que os pescadores apesar de saberem que a prática é criminosa, parecem não se intimidar. É o caso dos pescadores que desafiam a lei, mesmo diante da câmera de televisão. Valdenilson Cardoso e Santelos Barros admitem que a prática é ilegal. “A gente sabe que é errado. Eu faço isso, mas eu sei que eu estou errado”, confirma Valdenilson. Santelos sabe que como pescador profissional, pode até perder o direito ao seguro desemprego, mas também não se importa.

A pesca criminosa trás pescadores além do município de Curuá, como de Óbidos e Alenquer. A ação se concentra nos lagos da Jauary, na região do Lago Grande e Lago dos Patos. No período da vazante, os cardumes ficam vulneráveis à pesca predatória, principalmente pela concentração de peixes, aliada à falta de fiscalização.

Pecuarista Ivan Nunes responsabiliza a Secretaria de Meio Ambiente de Curuá

Ivan Nunes, que tem uma propriedade em frente ao lago do Jauary, assiste o vai e vir de pequenas embarcações, na busca da pescaria farta, mesmo que ilegal. Ele garante que já enviou documento e até conversou com o Secretário Municipal de Meio Ambiente de Curuá, Câmine Tancredi, e obteve segundo ele, a seguinte argumentação: “Falei com o Secretário do Meio Ambiente de Curuá, e o mesmo me disse que não viria a fiscalização pra cá porque ele tem medo de perder votos na próxima eleição. Eu acho que o maior responsável por esse crime ambiental, é o Prefeito da cidade de Curuá”, desabafa o denunciante.

A prática criminosa já chegou ao conhecimento do presidente do Instituto  de Desenvolvimento Ambiental da Amazônia Brasileira, Fernando Antão. O presidente do IDAAB esteve pessoalmente no Lago do Jauary e ficou estarrecido com o que viu. Ele garante que diante da situação, “vamos acionar o Ministério Público Estadual de Óbidos, para que este possa notificar a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Curuá, uma vez que a responsabilidade total do meio ambiente local é de assumir, fiscalizar e zelar pelo patrimônio público ambiental, segundo a lei”, comentou.

A reportagem constatou que a “armadilha” é colocada em pontos estratégicos, com a água a uma profundidade não superior a um metro, e preferencialmente nos lugares mais estreitos. As redes de arrastão, que tem em média 500 metros de extensão, carregam tudo o que encontram pela frente. Nesse processo, são pescadas também espécies que em época de fartura, não tem valor comercial, por isso são deixadas ali mesmo, onde os urubus fazem a festa.

A reportagem de O IMPACTO tentou contato com o prefeito Reis, mas em todas às vezes, encontrou o telefone desligado.

Fonte: RG 15/O Impacto

7 comentários em “Prefeito acusado de conivência com crime ambiental‏

  • 5 de fevereiro de 2012 em 14:09
    Permalink

    policial federal não gosta de propina vai por trás das grade\”senhor\” ira casa cai feio e sua corja de bandidos vai trabalha no ceu aberto como os pescadores coitado deses pescadores que vão luta pelo seus direito para recebe o seu seguro boa tarde

    Resposta
  • 30 de janeiro de 2012 em 15:55
    Permalink

    Que bom que a Polícia federal esta investigando a colônia de pescadores de Curuá Z-66. tem muita sujeira por trás dos \”pano\” o ex- presidente da colônia, o \”senhor\” Ira, fazia protocolos com datas retroativas, de pessoas que se associavam em outubro de 2009 por exemplo, assinavam normalmente o seguro e em seguida ja recebiam o dinheiro interessante é que cada pessoa que recebia o seguro era obrigado a dar uma quantia em dinheiro no valor de 500,00 reais para o safado, se não, era cortada o seguro no ano seguinte, o pior de tudo, é que essas pessoas, a maioria eram \”moças\” que talvez nunca pegaram numa malhadeira para pescar, muito menos sabem a dificuldades enfrentadas pelos verdadeiros pescadores que lutam pela sobrevivência de suas famílias, e muitos, nunca receberam o tão esperado seguro. Tudo isso pra se mostrar, cada final de semana estava com uma namorada diferente fazendo farra com o dinheiro que roubava da colônia Z-66. O senhor Ira e sua corja de bandidos merecem ser presos pra criarem vergonha, bando de safados…Da pra acreditar, que o Ira chegou a tal ponto, de pagar uma pessoa para falsificar carteira da CEAP para vender no valor de 500,00 reais para os interessados, quem fazia a falsificação das carteiras era outro sem noção chamado de Geda, o mesmo vinha da comunidade Flexal município de Óbidos,para fazer o \”trabalho\” ,o dinheiro recebido pelas carteiras da CEAP era dividido entre a quadrilha de bandidos, isso é uma vergonha pra cidade de curuá, ja não basta o Prefeito Raimundo reis que esta acabando com o Curuá.
    Quero alertar os meus amigos, não se iludam com esse bandido, estou falando porque ele ja esta pedindo votos, quer ser o futuro vereador da cidade de curuá, agora imaginam, se ele ja roubou os pescadores, o que ele pode fazer se for vereador…A! esse relato é de experiência própria, o mesmo me ofereceu 500,00 reais para fazer a documentação, pra que eu recebesse o seguro, claro eu não aceitei, gente cuidado com o bandido chamado Ira e sua quadrilha de bandidos…fiquem espertos, que com sua labia o mesmo pode enganar qualquer um, menos eu, pois sei o suficiente para ralatar sobre seu caratar, que não é nada bom para o sociedade…

    Resposta
  • 30 de janeiro de 2012 em 15:22
    Permalink

    Que bom que a Polícia federal esta investigando a colônia de pescadores de Curuá Z-66. tem muita sujeira por trás dos \”pano\” o ex- presidente da colônia, o \”senhor\” Ira, fazia protocolos com datas retroativas, de pessoas que se associavam em outubro de 2009 por exemplo, assinavam normalmente o seguro e em seguida ja recebiam o dinheiro interessante é que cada pessoa que recebia o seguro era obrigado a dar uma quantia em dinheiro no valor de 500,00 reais para o safado, se não, era cortada o seguro no ano seguinte, o pior de tudo, é que essas pessoas, a maioria eram \”moças\” que talvez nunca pegaram numa malhadeira para pescar, muito menos sabem a dificuldades enfrentadas pelos verdadeiros pescadores que lutam pela sobrevivência de suas famílias, e muitos, nunca receberam o tão esperado seguro. Tudo isso pra se mostrar, cada final de semana estava com uma namorada diferente fazendo farra com o dinheiro que roubava da colônia Z-66. O senhor Ira e sua corja de bandidos merecem ser presos pra criarem vergonha, bando de safados…Da pra acreditar, que o Ira chegou a tal ponto, de pagar uma pessoa para falsificar carteira da CEAP para vender no valor de 500,00 reais para os interessados, quem fazia a falsificação das carteiras era outro sem noção chamado de Geda, o mesmo vinha da comunidade Flexal município de Óbidos,para fazer o \”trabalho\” ,o dinheiro recebido pelas carteiras da CEAP era dividido entre a quadrilha de bandidos, isso é uma vergonha pra cidade de curuá, ja não basta o Prefeito Raimundo reis que esta acabando com o Curuá.
    Quero alertar os meus amigos, não se iludam com esse bandido, estou falando porque ele ja esta pedindo votos, quer ser o futuro vereador da cidade de curuá, agora imaginam, se ele ja roubou os pescadores, o que ele pode fazer se for vereador…A! esse relato é de experiência própria, o mesmo me ofereceu 500,00 reais para fazer a documentação, pra que eu recebesse o seguro, claro eu não aceitei, gente cuidado com o bandido chamado Ira e sua quadrilha de bandidos… Fiquem de olho…

    Resposta
  • 14 de dezembro de 2011 em 21:36
    Permalink

    Esses é um caso muito mais emblemático do que si expõe nas mídias. Não vou entrar em detalhes sobre o que penso, mas a situação não está ligada a punir somente os pescadores, temos que tentar observar o que está por trás deles, afinal eles não pescam toneladas para o consumo de suas famílias, o contexto desse fato é ligado diretamente ás grandes indústrias pesqueiras de exportação, as quais mesmo que os pescadores locais, não vendessem peixe pra elas, elas comprariam de outros pescadores que vem de outras regiões, e deixariam o os rios predados do mesmo jeito, ou até pior, ocasionando uma escassez do produto, para as famílias que vivem da pesca. apartir desta colocação, imaginem comigo, quem é culpado os pescadores que predam para sua subsistência ou as \”barcas\’ pesqueiras que compram de qualquer pessoa diposta a verder, e pagando um preço ridículo.
    Agora eu pergunto CADÊ O IBAMA ? pra fiscalizar e prender essas empresas exportadoras de peixe, que deixam o peixe considerado de baixa qualidade em santarém e exportam o melhor para outros países. Ou nimguém sabia que isso acontece ?. simplismente o IBAMA não tem conhecimento dessas empresas, (que absurdo) mas porque será ? se todos vemos elas por aí, todos os dias nos rios e lagos, recolhendo os pescados dos pescadores. E os pescadores por sua vez tem escolha ? NÃO, pois se algum deles se recusare a vender, a barca vai logo alí, e compra de outro…
    Porém quem nunca vil o IBAMA prendendo arreios, pescados, tracajá, enfim, tudo que veêm pela frente de pescadores que fazem a pesca artesanal… por que que só pra essas pessoas a ficalização funciona ? Seria porque não podem pagar propina ao órgão \’ficalizador\’? fato.
    Talves o problema fosse resolvido com a conscientização, principalmente das populações que usam a pesca para subsistência familiar, e não contribuir com esse furto de parte da nossa diversidade ambiental. Mas também se faz irportante a atuação do poder público minicipal para a proteção deste bem natural, de fiscalizar e impedir a entrada de invasores( falo dos que levam o pescado para importação).

    Resposta
  • 13 de novembro de 2011 em 13:44
    Permalink

    é preciso fazer uma fiscalização árdua ,pois só assim os invasores irão deixar de fazer esse tipo de pesca.è bom que tomem os arreios deles, quime, e faça com que eles percam o seguro desemprego, por que isso é uma vergonha para os pescadores que levam a sério sua profissão. Parabéns para os fiscais do ibama por tomarem essa atitude e também para o cidadão Ivan Nunes que teve a coragem de fazer essa dunúncia.Uma coisa é certa a cadeia é pouco para esses invasores dos canais.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2011 em 11:17
    Permalink

    Os própios pescadores da região acabam com os peixes e, depois culpam os vizitantes,essa mesma pratica aconteceu muito em Cuiaba hoje pescam só saudades.

    Resposta
  • 3 de novembro de 2011 em 09:23
    Permalink

    Tem que ser tomada uma atitude.. botar esses covardes na CADEIA, pegar eles no lago e levar direto pra CADEIA, sem camisa, molhado mesmo e fedorento e deixar pelo menos uma semana presos, talvez quem sabe só assim eles si intimidariam.
    Vamo lá IBAMA…, pra prender uma pessoa com tracajá, tartaruga e outros voces agem e agora?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *