Serviço Florestal Brasileiro entrega automóvel e equipamentos para Ufopa

Dr. Joberto Veloso de Freitas, Diretor de Pesquisa e Informações do SFB, faz a entrega das chaves do veículo

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) em sua Unidade Regional do Distrito Florestal Sustentável (UR DFS) realizou a entrega oficial do carro modelo “L 200”, computadores, além de equipamentos necessários às atividades acadêmicas ao Instituto de Biodiversidades e Florestas (IBEF) da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). A solenidade de repasse dos equipamentos ocorreu no dia 3 de novembro, quinta-feira, no Auditório da UR DFS, localizado na Rua Rosa Vermelha, 749, Bairro Aeroporto Velho.

O repasse contou com a presença do Diretor de Pesquisa e Informações do SFB, Dr. Joberto Veloso de Freitas; do coordenador do Ibef/Ufopa, Dr. João Ricardo; do chefe da UR DFS, Fernando Ludke e do Coordenador Nacional do Projeto BR-163, Pedro Bruzzi. Ainda houve a participação de professores e acadêmicos da Ufopa.

Durante a reunião que antecedeu o repasse dos materiais, ocorreu na sede do Instituto de Biodiversidade e Florestas, no campus Tapajós da Ufopa, um encontro entre as instituições envolvidas. Na ocasião o Diretor de Pesquisa e Informações do SFB, Joberto Veloso, destacou a criação da Ufopa no DFS. “A Universidade Federal do Oeste do Pará nasceu junto com a idéia promissora do Distrito Florestal Sustentável que abriga um mosaico de unidades de conservação de proteção integral e predominância das áreas de uso sustentável. Na mesma época de discussão de criação da UFOPA também houve intensos debates para promoção do DFS. Discutiu-se criteriosamente o que é preciso para se criar um distrito, fatores que envolvem a pressão dos recursos naturais, a existência de floresta, o acesso, a demanda por produtos, inúmeras questões”, comentou Veloso.

O Diretor de Informação do SFB ainda comentou sobre a efetivação do DFS da BR-163. “O Distrito Florestal Sustentável da BR-163 está na área de influência da BR-163, aproximadamente 19 milhões de hectares. Acreditamos que aqui irá se concretizar um espaço de uso sustentável dos recursos florestais. Neste sentido, o Projeto BR-163 entra com o trabalho de mobilização dos movimentos sociais, gestão das propriedades e a promoção do manejo florestal.”

Para o Chefe do Instituto de Biodiversidade e Florestas (Ibef), João Ricardo, fatos que a região vive como a criação da Ufopa e as ações do Projeto BR-163 são favoráveis para o desenvolvimento da região. “Nossa universidade conta hoje com 25 professores doutores. Passamos de 30 para 80 vagas por ano ofertadas no curso de engenharia florestal. Agora, com a parceria do Serviço Florestal e o Projeto BR-163, numa relação sempre muito estreita, estou bastante satisfeito. Outro resultado é mostrado pelos nossos alunos que tem saído para o mercado de trabalho sendo classificados em primeiro lugar, estudantes que são aprovados nas primeiras colocações de mestrados da Universidade Federal de Viçosa (UFVA).”

Além do veículo e dos computadores foram entregues à universidade equipamentos de escritório como cadeiras, mesas, trenas, motosserras e garrafas térmicas para atividades de campo. O repasse é resultado da parceria entre as instituições atuantes na região empenhadas no desenvolvimento de ações florestais.

A Ufopa que tem como um dos principais propósitos promover o desenvolvimento sustentável na região está localizada no primeiro Distrito Florestal Sustentável do Brasil (DFS). Neste sentido, o Projeto BR-163 vem apoiando as ações da instituição que desde sua implantação recebe doação de equipamentos, além de firmar contrato com a empresa júnior da universidade, a Consultoria e Serviço Florestal (Consflor) para o monitoramento da dinâmica das florestas do DFS da BR-163.

Conheça mais o Distrito Florestal Sustentável – As ações do Projeto BR-163 fornecem subsídios e elementos para a efetivação do primeiro Distrito Florestal Sustentável (DFS) do Brasil, criado em fevereiro de 2006. O território do DFS compreende mais de 190 mil quilômetros quadrados, quase o tamanho dos Estados do Rio de Janeiro e Ceará juntos. O Distrito é cortado pela principal rodovia que vai do Norte do Mato Grosso ao Oeste do Pará, a BR 163 Cuiabá Santarém, aberta durante o governo militar em 1973.

Projeto BR-163 – A atividade foi viabilizada pelo Projeto BR-163 – Floresta, Desenvolvimento e Participação, cuja execução é do Ministério do Meio Ambiente, com o apoio técnico e a gestão financeira da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (ONU/FAO Brasil) e recursos doados pela Comissão Européia.

O Projeto tem por objetivo contribuir para a redução do desmatamento na área de influência da rodovia Santarém-Cuiabá, por meio de ações voltadas ao fortalecimento do Distrito Florestal Sustentável da BR-163, à estruturação de cadeias produtivas sustentáveis e ao fortalecimento da sociedade civil e dos movimentos sociais.

 Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas realiza evento de integração acadêmica

Começaram ontem, dia 4 de novembro de 2011, as atividades de integração acadêmica do Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA), da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). Aberto ao público, o evento teve início às 18 horas, no Auditório do Campus Tapajós, com realização de mostra de talentos e da cerimônia de boas-vindas aos discentes do instituto pela direção e coordenadores dos programas do ICTA.

Hoje, sábado, dia 5 de novembro, a partir das 7 horas, está sendo realizada uma visita acadêmica à comunidade de Jamaraquá, situada na Floresta Nacional do Tapajós, monitorada pelo corpo técnico e docente do ICTA. Durante a visita à comunidade, será realizado um levantamento sobre os aspectos históricos, sociais, culturais e econômicos, além de atividades lúdicas e esportivas.

A integração acadêmica do ICTA tem por objetivo favorecer uma maior interação entre acadêmicos, professores e corpo técnico do instituto. Além criar um clima de acolhida e boas-vindas aos discentes, a iniciativa visa a oportunizar uma formação diferenciada para os alunos, por meio de atividades acadêmicas, e promover o intercâmbio entre as comunidades tradicional e acadêmica.

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *