Defensoria do Pará estuda parceria com a ONU

 

ONU - Organizção das Nações Unidas

A Defensoria Pública do Estado do Pará recebeu na manhã da última sexta-feira, 16, a visita do consultor da ONU, Edmundo Oliveira, que trabalha na área de prevenção ao crime, além de atuar no campo de apresentação de projetos para controlar a criminalidade, tratar melhor os que estão em conflito com a lei e promover o bem-estar social de países membros da ONU.

Edmundo Oliveira sugeriu que a Defensoria Pública do Estado crie um programa de assistência às vítimas e informou que o Banco Mundial possui um programa de assistência financeira para os países que desenvolvem as melhores práticas de assistência no mundo. “Como paraense, sempre que venho a Belém, procuro observar de que maneira estão se empreendendo projetos em benefício da cidadania e como posso prestar um pouco de colaboração para que eles sejam aprimorados e aperfeiçoados. Ficaria muito contente se constasse no organograma da estrutura da Defensoria do Pará um programa específico de assistência às vítimas, não só as do crime, mas às vítimas em geral, aquelas da própria da sociedade, isto é, as vítimas coletivas”, declarou Edmundo Oliveira.

Para o Defensor Público Geral do Estado, Antônio Roberto Cardoso, a Defensoria do Pará se sente muito honrada com a visita de Edmundo Oliveira, conhecido por seu trabalho, respeitado e admirado pela sociedade. Na ocasião, Cardoso enfatizou que a Defensoria Pública do Estado irá compactuar com a ONU em relação a maior atuação e atenção no que diz respeito às vítimas. “Percebemos claramente que há uma sensação de desamparo, seja na questão da assistência jurídica, na questão material, psicológica e, acima de tudo, social. Portanto, temos uma visão em comum e vamos apostar nisso. Esta parceria entre a Defensoria do Pará e a ONU juntamente com a intervenção de Edmundo Oliveira, irá acontecer de fato e ela dará grandes frutos”, destacou o Defensor Público Geral do Estado, Antônio Roberto Cardoso.

De acordo com o consultor da ONU, Edmundo Oliveira, atualmente é preciso se falar em vítima individual, familiar e coletiva. “Quando o embrião da Defensoria Pública do Pará foi criado há anos no Estado, comecei a minha vida como servidor dentro do órgão. Porém tive que sair da instituição quando fui trabalhar no exterior. Percebi que esta proposta de se criar na instituição um programa de assistência às vítimas trará bons frutos futuramente”, finalizou Edmundo Oliveira.

Fonte: Agência Pará

Um comentário em “Defensoria do Pará estuda parceria com a ONU

  • 19 de março de 2012 em 17:48
    Permalink

    Tomara q/ tudo se encaminhe bem e a parceria seja fechada pois isso implicará numa MAIOR e MELHOR assistência às pessoas menos favorecidas financeiramente, reflete em vivermos em um lugar mais justo, solidário e realmente fraterno.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *