Elcione: “Lucídia Batista tem potencial para administrar Juruti”

Deputada Elcinone Barbalho com Lucídia Batista, do PMDB Mulher

O encontro do PMDB Mulher lotou as dependências da Câmara Municipal de Santarém, na final da semana que passou. Além de lideranças políticas da região, estiveram presentes o prefeito de Ananindeua, Helder Barbalho; o deputado estadual Antônio Rocha; o presidente da Câmara Municipal de Santarém, José Maria Tapajós; a prefeita Maria do Carmo, e a deputada federal Elcione barbalho. A Deputada concedeu entrevista exclusiva ao IMPACTO e abordou as conquistas das mulheres, a Lei Maria da Penha, o seu papel enquanto presidente Estadual do PMDB Mulher, e a expectativa de o PMDB eleger Lucídia Batista como prefeita de Juruti. Acompanhe a entrevista:

JORNAL O IMPACTO: Deputada, o que representa o encontro regional do PMDB Mulher na região do Oeste do Pará?

Elcione Barbalho: Representa mais um espaço ocupado. Nós estamos percorrendo o Pará. Eu sou presidente do PMDB Mulher do Estado, sou presidente de honra do PMDB Nacional. Quando eu perdi a eleição para o Senado, saí pelo Brasil a convite do Michel Temer, criando o PMDB Mulher. Estamos reunindo por mesorregião, e agrupando como este encontro com as representações de 13 municípios da região e dei posse para a executiva provisória.

JORNAL O IMPACTO: Qual a proposta do PMDB Mulher?

Elcione Barbalho: A proposta é dupla, visa o esclarecimento da mulher no dia a dia, como construtora da sociedade que todos almejamos, para nós os nossos filhos e para um futuro melhor. É dentro desta linha que a gente trabalha. Acoplado a isso, tem um gancho maior, que é o caminho que as mulheres tendem a tomar, seja nos seus direitos e nos seus deveres, e fazendo também uma campanha bem expressiva, na viabilização da Lei Maria da Penha. Eu quero deixar muito claro que a Lei Maria da Penha não é uma lei só para mulher. A mulher busca apoio na hora da agressão

JORNAL O IMPACTO: O STF em recente decisão agora permite que não apenas a mulher agredida possa fazer queixa de agressão. Isso é um avanço  importante para a redução da violência contra a mulher?

Elcione Barbalho: É, agora qualquer pessoa pode denunciar. Antigamente dizia-se assim: em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher. Agora, qualquer um pode meter. Eu entendo que isso é liberdade, isso é democracia, isso é direito. Na verdade, as pessoas passam a ser produto daquilo que tiveram. Foram pessoas surradas o tempo todo, num ambiente familiar, o pior possível. Nossa preocupação de trabalhar o agressor também é importante, porque se ele não tiver acompanhamento, vai largar a companheira atual, e vai fazer a mesma coisa com outra

JORNAL O IMPACTO: A luta da mulher pelo “empoderamento” tem mudado as relações políticas e trabalhistas, da forma como as mulheres esperavam?

Elcione Barbalho: O empoderamento não é apenas o poder pelo poder das mulheres, mas é poder na área do Executivo, mas, sobretudo, influenciar em todas as áreas, e ter equilíbrio nas suas ações.

JORNAL O IMPACTO: Na área política aqui na região há nomes de mulheres em potencial de liderança política dentro do PMDB, capazes de vencer uma disputa nas eleições municipais deste ano?

Elcione Barbalho: A gente sonda muita e faz as avaliações. Um ponto que para mim é fundamental, é incentivar a mulher. A Lucídia Batista é um exemplo de favoritismo. Ela tem inclusive todo o potencial de administrar uma cidade. O que nos falta mesmo é oportunidade, e eu acredito que a Lucídia está preparada para fazer uma grande administração. Eu e a Lucídia temos afinidades em relação às nossas atividades. Eu comecei no trabalho social e ela também. Eu sempre vi a Lucídia muito disposta a fazer parceria. Eu ficaria muito feliz de ver esta mulher dirigindo os destinos de Juruti. No que depender de mim eu estarei do lado dela.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *