Visitas ajudam a tirar dúvidas sobre novo hospital

Hospital de Juruti

Em plenos preparativos para entrar em funcionamento, o Hospital 9 de Abril, em Juruti, vem recebendo regularmente visitas monitoradas de representantes de algumas das principais instituições locais. Desde o final de março, as visitas ocorrem como parte do processo de entrega do hospital pela Alcoa, como uma das principais obras da Agenda Positiva – compromisso de investimento voluntário da empresa em benefício à comunidade em parceria com a Prefeitura e a Câmara Municipal.

De órgãos públicos, como a Prefeitura Municipal de Juruti (PMJ), e a Secretaria Municipal de Saúde, passando pela Câmara de Vereadores, Conselho Juruti Sustentável (Conjus), representantes de trabalhadores e associações de bairro, muitos já conheceram de perto a estrutura montada para atender à população jurutiense em atendimentos de saúde de baixa e média complexidade.

“O Hospital é uma construção coletiva”, explica João Elias Bentes, gerente administrativo da Alcoa Mina de Bauxita de Juruti. “Por isso, é fundamental que haja diálogo com a comunidade, para tirar as eventuais dúvidas a respeito do seu funcionamento”, conclui.

Um dos principais fatores que devem ser compreendidos acerca do funcionamento do 9 de Abril é o fato de ele ser um hospital de referência. Isto significa que para ser atendido, é preciso primeiro passar pelo Hospital Municipal ou pelo pronto atendimento da Unimed no município. Só depois desta etapa, havendo indicação médica, o paciente será encaminhado para o Hospital 9 de Abril, que funcionará, assim, de forma articulada com os demais instrumentos de saúde do município.

“Foi muito importante e positivo ter feito esta visita, saber em detalhes o que pode ou não ser feito dentro do Hospital”, diz a psicóloga Eva Costa, membro do Conjus. “Nosso município possui hoje mais de 47 mil habitantes. Apenas o Hospital Municipal já não estava dando conta da demanda”, diz ela, que completa: “É importante também saber que todos os moradores serão atendidos de forma igual, não importa se é funcionário público ou do setor privado, se é da empresa ou não. Importa é olhar para a comunidade, e oferecer a ela a melhor qualidade de serviços de saúde”.

Além disso, devido a uma prática comum no setor de saúde, que visa garantir a qualidade no atendimento aos pacientes, o Hospital começará a funcionar por etapas: do serviço menos complexo até o mais delicado tipo de atendimento: primeiro, haverá atendimento de consultas em Pediatria, Clínica Médica, Cirurgia Geral, Ginecologia e Obstetrícia, Cardiologia e Ortopedia, além de exames especializados.

Na segunda fase, o centro cirúrgico será aberto. E na terceira, a maternidade entrará em funcionamento. A previsão é de que a primeira etapa seja entregue nos próximos dois meses e que todos os serviços estejam em pleno funcionamento até o primeiro trimestre de 2013. Para responder a qualquer eventual dúvida sobre o funcionamento do Hospital, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), entidade responsável pela gestão do 9 de Abril, dispõe de um Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU). O telefone do SAU é (11) 9599-5663, e o número aceita ligações a cobrar.

“Devido a essas características diferenciadas, é importante estarmos à disposição para tirar dúvidas. Por isso, faremos quantas visitas forem necessárias, de forma a integrar a comunidade e esclarecer todos os questionamentos que podem surgir”, diz João Elias.

 Antes de entrar em funcionamento, a SPDM realiza processo seletivo para escolher a equipe que irá trabalhar no hospital. Os profissionais que irão atuar na primeira etapa de abertura já foram selecionados.  

Para o presidente da Associação de Moradores do Bairro do Maracanã, Nadson Oliveira, que participou de uma das visitas monitoradas, o hospital vai contribuir para a melhora da qualidade da saúde municipal. “O local é bem equipado, tem estrutura boa e a gente percebe o cuidado na hora de selecionar os profissionais que vão trabalhar lá. É um cuidado, também, com a qualidade do atendimento que vamos receber no local”, relata.

Construído com recursos da Agenda Positiva, o Hospital 9 de Abril faz parte de uma série de ações voluntárias que a Alcoa se comprometeu a realizar visando a melhoria da qualidade de vida no município, que sedia a Mina de Bauxita de Juruti, e foi definido em comum acordo com as comunidades e o Poder Público. O 9 de Abril foi construído e equipado totalmente com investimentos da Alcoa e deverá se integrar ao sistema de saúde municipal de Juruti, atendendo ao Sistema Único de Saúde (SUS) e a planos de saúde.

Fonte: Temple Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *