Índios recusam encontro com Funai para discutir Belo Monte

Índios em Belo Monte

As lideranças indígenas de aldeias localizadas no entorno das obras da hidrelétrica de Belo Monte, em construção no rio Xingu, no Pará, frustraram os planos da Fundação Nacional do Índio (Funai). A fundação pretendia reuni-los em Brasília hoje, com a participação da Norte Energia, responsável por Belo Monte.

“Os indígenas reunidos em Altamira decidiram que apenas iriam fazer a visita a um mecanismo em funcionamento, no Rio de Janeiro, e depois informar aos demais indígenas da região”, informou a Funai.

A Funai tem enfrentado uma série de dificuldades para intermediar o relacionamento entre os índios locais, o consórcio de Belo Monte e representantes do governo.

Em carta destinada às “lideranças da Terra Indígena Trincheira Bacajá”, a presidente da Funai, Marta Maria do Amaral Azevedo, afirma que “a Funai está sendo pressionada a se manifestar até semana que vem”.

No mês passado, índios invadiram os canteiros de obra de Belo Monte e permaneceram no local por vários dias, em protesto contra a falta de execução de ações condicionantes da obra assumidas pela Norte Energia. O Ministério Público Federal no Pará pediu, mais uma vez, a paralisação imediata do empreendimento. Já são 15 ações contra a hidrelétrica movidas pelo MPF.

No centro da polêmica indígena de Belo Monte está o fim dos pagamentos mensais que a Norte Energia vem fazendo há dois anos para os índios. Cada aldeia tem recebido R$ 30 mil por mês para compras gerais, repasse que será paralisado a partir da execução do Programa Básico Ambiental (PBA) indígena, que prevê as ações voltadas especificamente para mitigar impactos às aldeias locais.

Fonte: Revista Valor Econômico

Um comentário em “Índios recusam encontro com Funai para discutir Belo Monte

  • 24 de setembro de 2012 em 09:35
    Permalink

    Urge a discussão entre preservar e atender à demanda mundial futura por produção de energia. O futuro dos brasileiros, aos brasileiros pertence. A Amazônia é nossa e por uma Amazônia Sustentável. O Gremio Recreativo e Bloco Carnavalesco Embaixada do Jacaré, com sede no Rio de Janeiro manifesta-se favorável aos povos da floresta.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *