Prefeito de Belterra discrimina e abandona comunitários

Comunitários abrem vicinais sem ajuda do Prefeito

Por essa ninguém esperava. Em plena época de campanha política o prefeito Geraldo Pastana e seus vereadores abandonam moradores da zona rural do município de Belterra, no Oeste do Pará. Por incrível que pareça é isso que está acontecendo nas comunidades Taquara, Prainha, Itapaiuna, Paraíso e Jatorana. Sem apoio do poder público municipal, os próprios moradores juntam as mãos e muito esforço, na abertura de ramais e fazem benefícios em vicinais por conta própria. Não fosse a ajuda de membros de Ongs e de pessoas preocupadas com o bem estar dos habitantes dessas comunidades, com certeza a situação estaria bem pior, e os moradores dessas comunidades, cerca de 25 famílias, estariam amargando dias de completo isolamento.

Resultado de todo esse descaso do prefeito de Belterra é a produção rural comprometida, transportes impedidos de chegar às comunidades, principalmente ambulâncias, caminhões e ônibus. Esta semana, o prefeito Geraldo Pastana, não se sabe se movido por compaixão dos comunitários ou boas intenções eleitorais, resolveu, com autorização do ICMBIO, abrir um ramal que liga a comunidade do Tauari ao Pini, sem que seja necessária a construção da tão sonhada Ponte. Mas ainda há muito a ser feito.

Shirlene denunciou o caso

Denúncia – A líder comunitária e moradora da comunidade Prainha 2, Shirlene Albuquerque, esteve na redação do jornal O Impacto para denunciar esta situação calamitosa. Conforme a líder comunitária, a dificuldade é bem maior do que parece. “Para se ter uma idéia, em janeiro deste ano meu avô faleceu e tive muito trabalho para levar o caixão e fazer o enterro dele”, falou Shirlene. O que aconteceu é que por ser moradora da comunidade Prainha 2, que não possui ramais de acesso, ela foi obrigada a transportar o caixão para Belterra e levou duas horas viajando em rabeta para poder chegar à comunidade onde residia o falecido.

Fatos: Como se não bastasse, as comunidades Taquara, Prainha, Itapaiuna, Paraíso e Jatorana estão sendo beneficiadas com o projeto “Luz para Todos”, mas para que os avanços cheguem até seus moradores, é preciso que o acesso seja garantido a homens e máquinas.

A falta de lideranças nessas comunidades, também é um fator que faz com que o descaso seja maior. Há tempos os moradores deveriam ter um representante na Câmara municipal de Belterra, assim evitariam o constrangimento em ter que adular ao Prefeito e seus vereadores em prol de benefícios, principalmente entre as comunidades Tauari e Pini, além de outras, que o Prefeito Geraldo Pastana esqueceu.

Por: Carlos Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *