Militar de Óbidos morre com tiro na cabeça, em Manaus

Sargento Luiz Diolan morreu quando limpava sua arma de fogo
Sargento Luiz Diolan morreu quando limpava sua arma de fogo

Um acidente fatal aconteceu nas dependências internas do12º Batalhão de Suprimentos do Exército, Zona Oeste de Manaus. O 3º sargento Luiz Diolan da Cunha Vieira, de 27 anos, morreu após ser atingido por um tiro quando limpava sua arma de fogo. O acidente ocorreu na manhã de domingo (13), no 12º Batalhão de Suprimentos do Exército, Zona Oeste de Manaus. O militar servia no local e atuava na área de Engenharia.
De acordo com o capitão do Exército, Gustavo Geolon, do Comando Militar da Amazônia (CMA), o acidente ocorreu por volta das 8h10, logo depois do sargento passar o serviço, quando o militar fazia a limpeza da pistola nove milímetros que usava.
“Na hora que estava conferindo a munição para entregar o armamento, ele acabou efetuando um disparo acidental que atingiu a cabeça. O sargento chegou a ser socorrido pelo Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] e levado ao Hospital 28 de Agosto, mas adentrou morto na unidade”, relatou capitão Geolon.
O capitão informou que esse tipo de acidente nunca ocorreu no Amazonas, mas há histórico em outros estados. A prevenção é um dos aspectos abordados durante o treinamento dos militares. “Todo militar é perito no armamento que utiliza. O sargento tinha recebido o treinamento para fuzil e pistola de 9 milímetros”, assegurou Geolon.
Origem: Natural do município de Óbidos no Pará, o sargento tinha uma irmã que reside em Manaus e que foi acionada para realizar os procedimentos legais. O comando da unidade Militar em Manaus instaurou procedimento para investigar o fato. Segundo testemunhas, o tiro foi dado por ele mesmo, de forma acidental.
Investigação: O comando do 12º Batalhão de Suprimentos do Exército instaurou procedimento administrativo para investigar as circunstâncias da morte do 3º Sargento Luiz Diolan da Cunha Vieira. Ele morreu após ser baleado com um tiro na cabeça, na manhã de domingo (13), dentro do quartel. O capitão responsável, no domingo, pela supervisão das guarnições de Manaus, Holanda Reolon, informou que até o momento, o Exército trabalha com a hipótese de a morte ter sido acidental. Ele explicou que o disparo pode ter ocorrido enquanto o sargento retirava as munições de uma pistola 9mm.
O capitão do Exército acredita que no momento do acidente, cerca de outras cinco pessoas estavam junto com o sargento. Todos serão interrogados durante o processo administrativo.
Um tio da vítima, que preferiu não se identificar, disse que Luiz era de Óbidos, município do Pará, e que estava atuando em Manaus há quatro anos. Segundo ele, a família descarta a hipótese de suicídio e pede investigação minuciosa. Eles querem que a verdade dos fatos seja conhecida. O corpo de Luiz Diolan foi transladado para Óbidos, no Pará, onde foi velado e sepultado.
Por: Carlos Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *