Funcionário do INSS é investigado pela PF em Santarém

INSS, Santarém
INSS, Santarém

Uma denúncia contra o funcionário do INSS de Santarém, de nome Mário, foi feita à nossa redação. Segundo os denunciantes, ele é acusado de pegar dinheiro para aposentá-los com mais rapidez, quando na verdade ele embolsa o dinheiro. Uma das pessoas ludibriadas relatou que deu a quantia de um mil reais para Mário, mas da aposentadoria ele nada recebeu, nem mesmo satisfação sobre se seria aposentado ou não.

Pior de tudo, é que a vítima do espertalhão 171 nunca foi aposentado. Hoje ele está sem condições de trabalho, por isso resolveu denunciar o “espertalhão”.

Porém, nem todos que foram vítimas do funcionário 171 do INSS temem falar sobre o assunto. O senhor Edson, piauiense de 45 anos, conhecido por “Caqui”, relatou á nossa equipe de reportagem que trabalhou por 25 anos na empresa Mineração Tabocal, no município de Presidente Figueiredo, no estado do Amazonas e que também teria repassado em janeiro do ano passado, a quantia de um mil reais para que o funcionário do INSS adiantasse sua aposentadoria. O “jeitinho brasileiro” que seria dado, resultou em mais um golpe 171 aplicado pelo funcionário vivaldino.

É que devido a vários laudos apresentados no INSS, ele acabou impossibilitado de trabalhar, dependendo do benefício que nunca recebeu.

Seu Edson disse à nossa reportagem que esteve investigando o passado do funcionário do INSS e descobriu que Mário há muito pratica o golpe da aposentadoria, onde pega dinheiro das pessoas e nada resolve. “Só enrolação”, ele cita. “É um assalto e um desrespeito que esse Mário faz há muito tempo no INSS de Santarém”, diz Edson, a vítima.

Denúncia Grave: Edson disse, ainda, que Mário não age sozinho. “Ele tem um comparsa, de nome Joel, que muda constantemente de endereço e que segundo Edson, é responsável em pegar o dinheiro ilegal, na residência de pessoas relacionadas”, denunciou. “Eles nunca passam recibo”, diz Edson “Caqui”, que fez as denúncias. O mais grave é que Mário “INSS”, como é conhecido, age tanto em Santarém, como também em Belterra, onde fez várias vítimas aplicando seu golpe da aposentadoria.

Processado: A equipe do jornal O Impacto esteve na sede do INSS em Santarém. Membros da direção do órgão na Pérola do Tapajós não quiseram gravar entrevista, foi adiantado que Mário, o funcionário suspeito de enganar aposentados, responde a Processo Administrativo Disciplinar (PAD), e que em setembro do ano passado (2011), uma equipe da corregedoria do INSS, de Belém, esteve em Santarém para apurar o caso, ouvir testemunhas e levar ao conhecimento da justiça. “Estamos esperando a justiça se pronunciar”, disse um dos diretores do INSS em Santarém. Sabe-se que a denúncia chegou ao conhecimento da Polícia Federal, onde Mário foi investigado e inclusive teria prestado depoimentos. O caso ainda promete muitas reviravoltas e mais revelações, pois além de Mário e Joel, denunciados por Edson “Caqui”, muitas outras pessoas podem estar envolvidas.

 

Fonte: RG 15/O Impacto

3 comentários em “Funcionário do INSS é investigado pela PF em Santarém

  • 26 de janeiro de 2013 em 12:01
    Permalink

    O INSS de Santarem esta + enrolado que papel higienico..é só fraude..tem que investigar os tecnicos que trabalham com os processos de aposentadoria pois os mesmos nao estao respeitando nem a decissão dos juises

    Resposta
  • 25 de janeiro de 2013 em 15:06
    Permalink

    Existe toda uma orientação para o trabalhador dar entrada em sua aposentadoria, não precisa de intermediários: Estando com a documentação em mãos, com certeza será atendido. Mas é bom investigar, pois se essas pessoas procedem desta forma é porque tem acesso facilitado por outros funcionários lá dentro.Inclusive comenta-se que essa prática continua, funcionários do inss que já trabalharam nesta carteira e que estão aposentados continuam dando expediente aqui fora, intermediando aposentadorias e cobrando esse serviço. CADEIA NESSES PILANTRAS.

    Resposta
  • 25 de janeiro de 2013 em 10:03
    Permalink

    Bando de sem vergonhas…o pior é a lentidão pela justiça para essas pessoas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *