Informe RC

VALE A PENA VER DE NOVO
Como brasileiro só tranca a porta depois de arrombada, foi preciso sacrifício, por enquanto, de próximo a 250 vidas (jovens universitários) vítimas do incêndio numa boate do interior do Rio Grande do Sul, na cidade de Santa Maria, para que governantes e Corpo de Bombeiros “a quem cabe a responsabilidade” espalhados pelo País passassem a fiscalizar clubes, ambientes de diversão e casas de shows para evitar novas catástrofes, embora quase todas ignorem leis, funcionando irregularmente como a de Santa Maria. Em Santarém, bombeiros e prefeitura formaram comissão para cumprirem esta missão. O Prefeito devia autorizar o coordenador do grupo apresentar laudo atualizado de parte da orla, mercado de peixe e do hidroviário (dinheiro público), que segundo comentam estão com saúde abalada, precisando de um especialista em cálculo estrutural para não virem abaixo, enquanto é tempo. Falam no Senadinho (laterais da Garapeira Ypiranga na Praça da Matriz), do Corpo de Bombeiros já ter alertado a Prefeitura no governo passado. Alexandre, como diz a TV Globo, vale a pena ver de novo “os laudos”.
DE ESTINLINGUE A VIDRAÇA
O senador Mário Couto “PSDB”, que transformou a Tribuna do Senado Federal em palco de revide contra adversários no Estado, pedindo agilidade do Supremo no julgamento das ações onde membros do Congresso são acusados de comportamento pouco republicano, assim como apurações por uma Comissão do Senado, do desvio de recursos de convênios pelo presidente da Federação Paraense de Futebol, coronel da reserva da PM, Antonio Nunes, taxado de corrupto, passou desde o dia 1° deste mês de estilingue a vidraça, com sua indicação para líder da minoria no Senado. Vai dar trabalho ao governo, e no revide, ter a honestidade contestada quando de sua passagem como presidente da Assembléia “2003 a 2006”, objeto de apuração do Ministério Público Estadual e da afirmativa da Associação dos Magistrados do Pará, de no passado ser suspeito de envolvimento com o jogo do bicho. Ossos da função.

JATENE VEM AÍ
Depois de percorrer várias regiões do Estado conversando com prefeitos reeleitos e eleitos empossados em 1º de janeiro, prometendo investimentos nos municípios destinados a segurança, saúde, educação, infraestrutura urbana, saneamento, melhoria de estradas, o governador Simão Jatene deve estar chegando a Santarém mais estruturado politicamente depois de eleger seu candidato a presidente da Assembléia Legislativa, sem os votos do PMDB, seu aliado preferencial no 2° turno das majoritárias de 2010, logo após o Carnaval, para reunir com gestores do Oeste paraense, anunciando obras, algumas com ordens de serviços imediatos, como a conclusão e modernização do Colosso do Tapajós, Centro de Convenções no antigo campo do América e a construção em concreto da ponte sobre o rio Curuá, na margem esquerda do Amazonas. Todos serão contemplados, independentes da sigla partidária do Prefeito, melhor ainda se assumirem compromisso de trabalharem pela sua reeleição (2014). Na política, funciona a filosofia de São Francisco de Assis: é dando que se recebe…
BOA, MAS INGRATA
Como manda a lei, todo réu ou acusado tem direito a defesa, nem que seja da Defensoria Pública. O papel do advogado em determinadas situações, por mais remunerado que seja, deve se revestir de sacrifícios para tentar reverter fatos consumados diante da Justiça. O criminalista Márcio Thomás Bastos, ex-ministro da Justiça, um dos mais brilhantes cultores do direito no Brasil pode comprovar. Contratado para defender o contraventor Carlinho Cachoeira (15 milhões de reais) preso por 9 meses, 3 meses depois desistiu da causa, disparando acusações contra colegas puritanos. Agora, o advogado dos proprietários da boate Kiss em Santa Maria do Rio Grande do Sul, funcionando irregularmente desde julho do ano passado, destruída por incêndio que ocasionou 238 mortes até agora, contesta dados e laudos da Prefeitura, Polícia, Ministério Público e Corpo de Bombeiros, em defesa de seus constituídos. Para ele, são inocentes, a casa funcionava toda certinha, apesar do número de vítimas do descaso, da corrupção e da impunidade, as acusações são infundadas. Assim como o crime, ganhar dinheiro defendendo o indefensável, nem sempre compensa. A repulsa popular é maior, quando não, incomoda.
BEM COM DEUS
Mais pra lá do que pra cá, mas servindo de modelo a muitos políticos ligados a governos alheios a democracia, os irmãos Fidel e Raul Castro, ditadores da mais duradoura ditadura do planeta implantada na Ilha de Cuba (53 anos), ainda com cadeias abarrotadas de presos políticos, sem nenhum respeito a direitos humanos e terem levado dezenas de milhares de cubanos à morte no paredon por contestarem o regime, começam quando caminham para a casa dos 90 anos a se aproximarem de Deus, devolvendo à Igreja Católica, em conta gotas, o patrimônio deteriorado, nacionalizado pelo governo revolucionário em 1961 quando o comunismo foi implantado e mantido por mais de 30 anos pela República Socialista Soviética (Rússia) até a derrubada do muro de Berlim. Igrejas foram fechadas, escolas e universidades passaram a ser dirigidas pelos adeptos de Karl Marx, fundador da doutrina comunista. Comum, ateu quando vê a morte, ainda longe, se aproximar de Deus.
BASTA SABER PESCAR
Para políticos com anos de estrada a música cantada pelos prefeitos eleitos de oposição a administração anterior reclamando ter encontrado prefeituras quebradas, é cantoria comum de ser ouvida de 4 em 4 anos, embora em muitos a situação de irresponsabilidade administrativa com dinheiro público seja real. Como o canto mudou de letra, se tornando clamor nacional, a Presidente convidou os gestores a irem a Brasília, e na última semana de janeiro colocou à disposição das prefeituras (acima de 5 mil) 33.3 bilhões de reais de recursos da 2ª etapa do PAC, a serem liberados mediante aprovação dos projetos apresentados em datas determinadas, englobando diversas finalidades. A companheira Dilma mostrou o caminho, apontando onde estão os peixes “dinheiro”, resta saber se pequenos municípios abaixo de 50 mil habitantes, sem secretários habilitados, vão saber pescar.
OPOSIÇÃO SEM RUMO
Com a eleição do deputado Marcio Miranda “DEM” para presidir a Assembléia Legislativa nestes dois últimos anos da atual legislatura, por 26 a 15 “voto secreto”, mostra do governador Simão Jatene, em sua caminhada a reeleição, não contar com oposição no Estado e da mesma se encontrar sem rumo, se tornando hoje imbatível. Os votos obtidos pelo opositor Martinho Carmona “PMDB” fruto da união com o PT e PSOL, ficam abaixo do número de parlamentares das duas primeiras legendas, e dois deputados estão sendo acusados de traição, coisa comum nos legislativos, por terem acompanhado o nome apontado por Jatene. Isso é uma pequena amostra do que pode ocorrer em 2014 relacionado a prefeitos, principalmente dos que se queixam de terem recebido prefeituras quebradas, precisando de recursos para mostrarem trabalho. A debandada deve ser grande. Como o rio corre para o mar, eles vão procurar o cofre mais próximo, o do Estado, a União fica longe (Brasília) e lá as coisas são demoradas…
SERVIÇO RUIM
Um dos serviços prestados ao público, motivo de constantes reclamações, é o de ônibus, maioria vencidos pelo tempo, sem condições de transportar passageiros. Difícil apontar quem esteja pior, os veículos ou as ruas das periferias, castigadas pelas chuvas. Só há um perdedor: o usuário. O prefeito Alexandre Von devia seguir o exemplo de seu colega de Belém, Zenaldo Coutinho, revogar as concessões das linhas existentes e realizar licitações para o sistema de transporte coletivo da cidade, só assim, o povo seria bem servido, evitando cobranças de majorações das passagens sem merecimento. Ter uma frota nova ou semi-nova de veículos será bom à população e dará uma nova visibilidade a cidade, tida como a mais importante do interior do Pará. Ananindeua é maior em número de eleitores, mas em tamanho é menor.
O QUE PRECISA
O que vai precisar mudar de local é o Porto, quanto ao Aeroporto nunca ouvi falar. Para entendidos em aviação o atual satisfaz, a não ser o alongamento e construção de novas pistas de pouso, visando movimento maior no futuro. O que precisa mesmo, para ontem, é a edificação da nova estação de passageiros e um terminal de cargas, ambos saindo de maneira lenta do papel depois de mais de década de pedidos de associações de classe, prefeitos, políticos e um intenso vai e vem a Brasília para sensibilizarem a INFRAERO, desde a época do hoje dep. Lira Maia quando Prefeito. Só aí já se foram 16 anos. Imagine a construção de um novo, chegaremos a metade do século. A Prefeitura, políticos e Associação Comercial deviam pressionar a INFRAERO ou as companhias aéreas GOL e TAM, que faturam milhões aqui, a colocarem ônibus para levar e trazer passageiros devido a distancia que ficam quando pousam do prédio de embarque e desembarque, enfrentando sol impiedoso, impróprio a doentes e idosos, quando não, a chuva.
COISA DE SONHADOR
Uma das preocupações do governo da companheira Dilma, somada a disposição de criação de bolsas com rotulações diversas favorecendo famílias de baixa renda e acabar com a fome, nem Jesus Cristo conseguiu quando veio a terra. Em reunião com prefeitos em Brasília, o ministro da Pesca, Marcelo Crivella, mostrou estar no peixe a salvação da lavoura no Brasil e da necessidade do empenho das prefeituras para aumentarem a produção do pescado, barateando o custo de vida. Coisa de sonhador, se até hoje na sua pasta não conseguiu separar os verdadeiros pescadores artesanais dos piratas (maioria) percebendo indevidamente o Seguro Defeso, correspondente a 4 salários mínimos/ano. O excesso de bolsas “dinheiro” recebido pelas famílias residentes na zona rural, que se deslocam para a cidade, está sendo apontado como responsável do aumento do preço da farinha, onde em alguns municípios em menos de 1 ano bate na casa dos 200%. Faz sentido.
CRIANÇAS QUE MATAM
Comentam continuar em lugar incerto e não sabido os três meninos assassinos que em fins do ano passado ajudaram outros três maiores “recolhidos à Penitenciária” a matar covardemente com requintes de crueldade, estuprar e depenar dos pertences um casal em Alter do Chão, liberados como passarinhos pela Justiça por despacho de um Juiz plantonista antes das festividades de Natal e Ano Novo, depois de terem passado 45 dias no prédio da antiga FASEPA (abrigo de menores infratores). Será se não existe um meio da Polícia encontrar e deter essas “crianças” que votam e matam, para que o Ministério Público, pelo alto índice de periculosidade da garotada, os encaminhe a uma casa de correção na capital, por mais que venham a fugir como ocorre normalmente? O que não pode, embora “escondidos” ficarem afrontando a sociedade. Como as festividades do Carnaval tomam conta da cidade é bem capaz de serem pegos fantasiados de palhaços. Ruim se antes fizerem novas vítimas.
SEM MOTIVAÇÃO
Sem darem demonstração por politicamente não terem para onde correr e nem disporem de independência política para ser oposição, comentam, no reservado, estar em formação um grupo de vereadores para se oporem na Câmara ao prefeito Alexandre Von, por discordarem de bicos calados de algumas indicações no 1° e no 2° escalão da administração. Ninguém acredita disso ocorrer. Cada um no seu quadrado: Prefeito foi eleito para trabalhar em benefício da população, Vereador para legislar (fazer leis) e fiscalizar o Executivo a aplicar bem o dinheiro do povo, denunciando ilícitos quando cometidos. Ainda é cedo para qualquer avaliação ou julgamento precipitado. O tempo vai ser o melhor juiz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *