Professores da região oeste não recebem piso salarial

Ministro Aluísio Mercadante orienta professor a reivindicar seus direitos na justiça
Ministro Aluísio Mercadante orienta professor a reivindicar seus direitos na justiça

Várias são as razões da educação brasileira, ocupar penúltimo lugar no ranking mundial. Um delas, indiscutivelmente, é a falta da valorização dos profissionais na referida área de vital importância para o exercício da cidadania.
Para sermos mais sintético, com o assunto em tela, em salvas exceções, uma minoria de prefeitos, e seus respectivos secretários, descumprem Lei do Piso Nacional dos proventos dos professores; Isto é, simplesmente não pagam o valor R$ 1.567, conforme preconiza Ministério da Educação – MEC.
Segundo o ministro Aluísio Mercadante, não há razão dos professores estarem sendo lesado nos seus respectivos salários. Ou seja, disse que, dos 100% do Fundo Nacional de Educação Básica (Fundeb), 60% da referida cifra, liberada pelo governo Federal, deve ser destinada ao pagamento dos professores da educação básica.
Neste contexto, é lamentável que no estado do Pará e na região Oeste, com a aquiescênciado do Poder Legislativo, muitos os abnegados docentes, continuam com os seus vencimentos aviltados. Tal situação, evidentemente é objeto desmotivação no trabalho vocacional, refletindo de cheio, na clientela escolar como um todo.
Em suma, é mais do justo que a classe trabalhadora se una para reivindicar junto ao Ministério Público na qualidade de fiscal da lei, o que efetivamente é um direito sagrado. A omissão, conformismo e subserviência, sentimentos de impotência que não deve mais acontecer no mundo globalizado.

Curuá

Juscelino é eleito presidente da câmara de vereadores de Curuá

Em destaque mesa doretora da camara de Curuá
Em destaque mesa doretora da camara de Curuá

Por determinação judicial e sobre a égide da justiça, às 17:00hs do dia 21 de fevereiro de 2013, sete vereadores compareceram na casa do povo e pela terceira vez, em menos de dois meses, elegeram a Mesa Diretora do referido Poder. Com uma premissa, apenas foi apresentado uma chapa consensual.
Vale ressaltar que a sessão extraordinária foi em virtude de cumprimento judicial, através da justiça de Óbidos, cujos autos do processo: 0000030.12.2013.8.140035, culminou eleição da nova Mesa Diretora. Nesse sentido, destituiu a vereadora Izolina Maciel Nunes da presidência.
Portanto, com exceção dos veadores Diego e Ziraldo, todos os pares presentes, constituíram através dos seus respectivos votos nova Mesa Diretora, ficando assim definida: Presidente: Juscelino Piloto (PSDB), 1º secretário: Xuxa (PT) e 2ª secretária: Lídia Sampaio (PTB).
Assim sendo, após o rito cerimonial e imbuído do exercício de sua função, como também na qualidade de novo presidente da Câmara de Vereadores do município de Curuá, o vereador Juscelino Piloto agradeceu os pares: Izolina Maciel (PTB), Gica Picanço (PSD), Junior Chupira (PSD), Lídia Sampaio (PTB), Xuxa (PT) e Vagno (PV) – pelo voto de confiança que culminou na vitória expressiva.
Ato contínuo, agradeceu penhoradamente a prefeita Adriana Silva e seu genitor ex-prefeito Zé Preto, o público presente, seus familiares e principalmente seu pai João Piloto, ex-prefeito do município de Alenquer, pelo apoio incondicional que resultou nas suas últimas conquistas politicas.
No encerramento de sua fala, disse que vai trabalhar com transparência e respeito com o povo. Continuando: “Quem ganhou não foi o Poder Legislativo e sim o município de Curuá. Prometo trabalhar unido e coeso com o Executivo, em prol do povo e do desenvolvimento do município de Curuá”, concluiu o presidente!
SERVIDORES DENUNCIAM FALTA DE PAGAMENTO DE SALÁRIOS DE DEZEMBRO: Vários servidores temporários da Prefeitura Municipal de Curuá, lotados na Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), procuraram a Promotoria do munícipio de Óbidos, para relatar um fato inusitado no Município.
Segundo os requerentes, a queixa ao MP é com relação à falta de pagamento salarial referente ao mês de dezembro/2012. Justificam os funcionários que estão sumariamente prejudicados em seus orçamentos. Ademais, já passaram grandes constrangimentos com seus credores, pelo não pagamento tempestivo de seus salários.
Tal decisão, afirmam os prejudicados, foi a única forma plausível da Justiça dirimir a situação de natureza relacionada à improbidade administrativa. Como também, resgatar o que é devido e saldar os compromissos junto aos credores.
Não seria nosso intuito em opinar e/ou entrar no mérito da questão desse assunto. Porém, é profundamente lamentável divulgar episódios desagradáveis, como esse, que estão sendo levados ao conhecimento da população regional e dos internaltas através da leitura eletrônica.

 

Um comentário em “Professores da região oeste não recebem piso salarial

  • 17 de janeiro de 2014 em 14:17
    Permalink

    Corta pra 18. Alem da educacao no oeste do para ja ser uma negacao, ainda mas sem pagarem os professores; se quando eles recebiam ja trabalhavam forcados agora que eles nao recehem nao trabalham mesmo! Ir e porque sao investidos milhoes em educacao ..aff! Poupinos de tanto roubo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *