Dilma e Lula elogiam parceria com PMDB, mas não garantem Temer na chapa em 2014

Dilma e Temer
Dilma e Temer

Em seu discurso na convenção do PMDB, neste sábado, a presidente Dilma Rousseff não derrubou as especulações sobre a substituição do vice Michel Temer pelo presidente do PSB, governador Eduardo Campos, contrariando as expectativas do partido aliado. Ela elogiou muito a parceria e demonstrou que pretende manter a parceria PT/PMDB, mas não fez qualquer referência a chapa de 2014.

Em carta lida pelo presidente do PT, Rui Falcão, o ex-presidente Lula repetiu o tom da entrevista dada na véspera em Fortaleza: exalta a importância da parceria com o PMDB, mas deixa a porta aberta em relação à chapa de reeleição da presidente Dilma. Segundo ele, caberá a presidente decidir quem será o vice.

Para a claque que interrompeu Dilma várias vezes para entoar cantos de apoio a Temer, Sarney e outros caciques do partido, a presidente agradeceu a parceria do vice, a quem chamou de “excepcional negociador”. Apesar dos inúmeros elogios, ela não disse com todas as letras que Temer não será substituído em sua campanha para reeleição.

– Esta convenção ofereceu uma oportunidade extraordinária para celebrar essa parceria solidária, produtiva e que sem dúvida alguma terá uma longa vida – assegurou Dilma.

Ela aproveitou o evento para fazer uma defesa veemente ao modelo de alianças partidárias que seu governo adotou. Dilma creditou todas as conquistas que obteve como presidente – citou por exemplo o fato de que 22 milhões de pessoas deixaram a extrema pobreza desde que assumiu o poder – à parceria que mantém com o PMDB.

– Essa nossa capacidade de estruturar e fazer coalizões constrói estabilidade e harmoniza diferentes interesses, num país complexo como o nosso. Desde que começamos a eleger presidentes pelo voto direto, após a abertura, apenas um governo nao contou com coalizão ampla e foi o único que nao concluiu seu mandato. Foi com coalizão que o Brasil conquistou suas maiores conquistas. Em meu governo a colizão tem alcançado grandes resultados – afirmou.

Ao pegar o microfone para agradecer as palavras da presidente, Temer disse que a aliança entre os dois é “inafastável”.

Na carta lida por Falcão, Lula reforçou a importância da parceria do PMDB com o governo federal. A mensagem, dada na convenção nacional do PMDB ques está sendo realizada neste sábado teve a intenção de afastar especulações de que os petistas pudessem abandonar Michel Temer, mas isso não foi explicitado.

– No meu governo o PMDB deu contribuição fundamental, no da presidenta Dilma estreitamos ainda mais. Michel tem cumrpido papel significativo. Um partido que ostenta em sua história este leque de dirigentes, lado a lado com Dilma, haveremos de garantir um futuro melhor para o povo brasileiro – disse Lula em sua carta, citando ícones do partido aliado, como Ulysses Guimarães, Teotônio Vilela, Barbosa Lima Sobrinho e Marcos Freire.

Encarregado de levar a mensagem do ex-presidente, Rui Falcão também aproveitou para registrar publicamente que o PT não planeja tirar o PMDB da chapa de Dilma em 2014.

– O PMDB não é apenas parceiro nosso nessa grandiosa obra de governo que estamos fazendo, é nosso parceiro porque tem história, democracia, luta, por isso estamos irmanados no projeto de transformação do Brasil e queremos ficar assim por muito tempo – disse, fazendo questão de citar, em sua saudação o vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, que quer se eleger governador no ano que vem.

Fonte: O Globo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *