Fernandinho Beira-Mar é condenado a 80 anos de prisão

Ao ouvir a sentença, Beira-Mar não esboçou reação, mas garantiu que irá recorrer
Ao ouvir a sentença, Beira-Mar não esboçou reação, mas garantiu que irá recorrer

Julgado durante esta terça-feira no 4º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro, Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi condenado a 80 anos de prisão pelos assassinatos dos também traficantes Antônio Alexandre Vieira Nunes e Edinei Thomaz Santos, e pela tentativa de homicídio de Adaílton Cardoso de Lima, o único que sobreviveu. Ao ouvir a sentença, por volta de 0h30m desta quarta-feira, o traficante não esboçou reação alguma, mas garantiu ao juiz Murilo André Kieling Cardona Pereira que irá recorrer. Fora a condenação desta quarta-feira, as penas contra Beira-Mar pelos crimes cometidos no Rio chegam a 69 anos e seis meses de prisão. A marca alcança 120 anos se computadas as decisões de outros estados.

Beira-Mar, de 45 anos, terá que cumprir a sentença inicialmente em regime fechado, segundo o juiz. A pena foi dividida em 30 anos por cada homicídio e mais 20 anos por tentativa de homicídio. O criminoso ordenou as mortes, no dia 27 de julho de 2002, de dentro do presídio de segurança máxima Bangu 1, na Zona Oeste, onde estava preso na época. Os executores não foram identificados.

Beira-Mar negou que tenha orquestrado a morte dos três homens. O traficante disse, ainda, que está estudando teologia, à distância, do presídio de Catanduvas (PR), para onde foi transferido em setembro de 2012.

Beira-Mar teria determinado os homicídios para vingar a morte de um de seus comparsas, conhecido como Boné. Ele foi trazido na segunda-feira do Presídio Federal de Catanduvas, onde está preso, e ficou em Bangu 1. Na terça-feira, ele chegou ao prédio do Tribunal de Justiça de helicóptero.

O juiz perguntou, segundo o G1, se o réu teria ordenado os homicídios. “Não, de forma alguma”, respondeu. “Tanto que eu mandei socorrer o Adaílton, que era meu olheiro”, disse sobre o sobrevivente, desaparecido após o crime e, portanto, uma das testemunhas ausentes.

Na chegada ao prédio do TJ, Beira-Mar foi recebido por parentes, mulheres e até crianças de colo. Quando o traficante passou no corredor, crianças gritaram “Vovô! Vovô”. Ele estava sorridente ao olhar para os parentes — também acenou para eles — e assim permaneceu ao sentar no banco dos réus.

Júri teve medo e julgamento foi transferido

O julgamento seria realizado na 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, mas foi transferido para o Tribunal de Justiça do Rio após componentes do júri terem relatado ao juiz que tinham medo de participar da sessão.

Em decisão do dia 17 de julho do ano passado, o desembargador Valmir de Oliveira Silva, da 3ª Câmara Criminal, acolheu o pedido do juiz Paulo Rodolfo Maximiliano Torres, de Duque de Caxias. “Há provas fundadas da influência do acusado no município, em razão do poder intimidatório que ele desperta em Duque de Caxias por integrar uma organização criminosa e ser acusado de vários crimes contra a vida. O temor que toma conta dos jurados é compreensível”, argumentou o magistrado.

Crime foi motivado por acerto de contas

O motivo do crime foi um acerto de contas dentro da própria quadrilha de Beira-Mar. Antônio Alexandre Vieira Nunes e Edinei Thomaz Santos faziam parte do bando do criminoso e foram executados a mando do traficante dentro da favela Beira-Mar, em Duque de Caxias. Adailton Cardoso de Lima conseguiu sobreviver. Segundo ligações telefônicas interceptadas pela polícia na época, as três vítimas teriam executado três pessoas sem autorização de Beira-Mar.

Fonte: O Globo

 

Um comentário em “Fernandinho Beira-Mar é condenado a 80 anos de prisão

  • 13 de março de 2013 em 14:53
    Permalink

    A organização criminosa da qual ele é um dos chefes, tem muita gente IMPORTANTE E APARENTEMENTE IDONEO , que faz parte .
    Concorrentes dele (outros traficantes do nível dele ) não ficam vivos por muito tempo, estejam soltos ou presos. Isso é so um dos fortes indícios do que afirmo acima. No Brasil enquanto certas pessoas estiverem no poder , isso vai continuar com força total , so um pouco camuflado . Acredito tbm que os concursos públicos para PMs ,delegados deveriam ser feito um minucioso estudo(investigação) dos candidataos ao cargo, isso tbm para MP, magistratura e PRINCIPALMENTE PARA CARGOS ELETIVOS – ´POLÍTICOS. Auditoria anual nas contas desses servidores e agentes políticos. O Brasil ja foi muito pior mas devagar esta melhorando. Isso é o que importa.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *