Antônio Rocha: “PMDB está sendo alvo de perseguição”

Antônio Rocha quebra o silêncio
Antônio Rocha quebra o silêncio

O deputado estadual Antônio Rocha (PMDB) quebra o silêncio político que estrategicamente guardava, para no momento certo falar sobre as perseguições que está sofrendo no governo municipal. Estas e outras revelações ele faz, avisando que o PMDB tem nomes fortes para disputar a eleição para sucessão do prefeito Alexandre Von, “caso ele não queira o apoio que nosso partido está lhe oferecendo”. Confira estas e outras revelações, inclusive a decisão sobre a atuação da vereadora Flora Variani, do PMDB, que colocou seu nome na chapa de oposição e situação na Mesa Diretora da Câmara der Rurópolis. Eis a entrevista exclusiva concedida à equipe do jornal O Impacto.
Jornal O Impacto: Deputado, como está o PMDB depois do resultado nas urnas, que elegeu Alexandre Von prefeito de Santarém?
Antônio Rocha: Importante frisar que o PMDB é um partido grande, um partido que tem a nível federal a vice-presidência da República e que está a nível estadual ajudando o governador Jatene na base de apoio, ajudando a governar nosso Estado. Uma parceria que até hoje está solidificada. Aqui no município de Santarém nós estamos aguardando uma posição do Prefeito.
Jornal O Impacto: O senhor já fez algumas tentativas de diálogo com o prefeito Alexandre Von?
Antônio Rocha: Com certeza; estive conversando com o Prefeito, explicando a ele que o PMDB possui vários ministérios e recursos para Santarém, através de parceiros nossos, como o deputado federal José Priante, o senador Jader Barbalho, a deputada federal Elcione Barbalho; inclusive eu conversei com eles, para que ajudassem nosso Município. Nós estivemos conversando com o prefeito Alexandre Von, que pediu apoio do PMDB, que inclusive foi dado. Na época em que foi escolhido o presidente da Câmara Municipal, o PMDB estava junto, ocorre que mesmo com todo esse apoio, o PSDB do Prefeito não tem se manifestado em querer o PMDB como parceiro. A minha opinião é que o PMDB reúne condições para trazer recursos para o município de Santarém e temos interesse em ajudar o Município, agora é preciso saber se o prefeito Alexandre Von aceita receber esses recursos.
Jornal O Impacto: Na época em que o PT estava no governo municipal o PMDB possuía algumas secretarias. Como ficou a posição do PMDB depois que o PSDB venceu as eleições municipais?
Antônio Rocha: Nós estamos vendo que em determinadas secretarias o PMDB sofre perseguições; estão demitindo pessoas de nosso partido que estão sendo discriminadas no governo, então, o prefeito Alexandre Von tem que rever com calma essa situação. Se quer a parceria com o PMDB tem que demonstrar respeito por nosso companheiros de partido. No próximo dia 22 estará aqui no Município o deputado federal José Priante, inclusive para conversar com o prefeito Alexandre Von, se interessa para ele os recursos que serão trazidos pelo PMDB. Com certeza queremos divulgar no Impacto, em breve, a declaração de que o PMDB está ajudando a buscar recursos para o desenvolvimento de nossa cidade, Santarém.
Jornal O Impacto: Quanto à vereadora Flora Variani, de Rurópolis, que apoiava Mesa Diretora que elegeu o vereador Jonas Lourenço, presidente e, depois colocou seu nome à disposição da chapa de oposição. Ela pode sofrer penalidade por infidelidade partidária?
Antônio Rocha: Perfeitamente, as pessoas que estão no PMDB ou em outros partidos têm que entender que o mandato pertence ao partido, não a elas. Ninguém tem voto sozinho para se eleger, então, tem que haver fidelidade partidária, o respeito. Em meu entender a Vereadora errou, ela tem que se justificar ao PMDB de Rurópolis e o partido tem que tomar a decisão. Não pode haver impunidade, se não outros podem incorrer no mesmo erro.
Jornal O Impacto: Deputado, então, o senhor afirma que o seu partido, PMDB, sempre ajudou no desenvolvimento de Santarém?
Antônio Rocha: Só para que você tenha uma idéia, é bom lembrar que as grandes obras que temos foram feitas pelo PMDB. Começa pela Orla, o Viaduto, o Mercadão, o prédio da Prefeitura de Santarém, da Câmara Municipal, o Corpo de Bombeiros, para qualquer lugar que você vá, encontrará obras feitas pelo PMDB. Então, os outros partidos tem que ter respeito pelo PMDB, saber que é um partido importante para a administração municipal.
Jornal O Impacto: Deputado, o senhor afirma, então, que o PMDB a nível federal é a fonte de recursos mais certa, no momento?
Antônio Rocha: O que eu vejo é que o Alexandre Von, para buscar recursos federais não adianta procurar o PT, nem o PSDB, seu partido. A ponte é o PMDB, então, eu queria que o prefeito Alexandre Von analisasse, desse um tratamento melhorado ao PMDB; e que esses secretários que o Prefeito indicou e que estão perseguindo os membros do PMDB na administração pública, que fossem chamados pelo Prefeito e conscientizados da importância que tem o PMDB para Santarém. Por tudo o que já fez e pode fazer por Santarém. Quando recebemos as secretarias municipais, tanto do então prefeito Lira Maia, quanto da prefeita Maria do Carmo, nós nunca perseguimos ninguém. Quando recebi a Secretaria de Transportes eu estive lá, apresentei o então Secretário e disse às pessoas que trabalhavam lá que não me interessava saber a que partido político pertenciam. Pedi apenas que cumprissem com suas obrigações, ajudassem o Secretario e a Prefeita que estava no momento, enfim, que ajudassem o município de Santarém.

Por: Carlos Cruz

8 comentários em “Antônio Rocha: “PMDB está sendo alvo de perseguição”

  • 16 de março de 2013 em 00:33
    Permalink

    eu concordo plenamente com tudo que o depultado antoio rocha falou nesta entrevista,infelismente o prefeito de santarem,como tambem o prefeito aqui de mojui dos campos que os dois sao do PSDB,querem governr os municipios sozinhos sem a ajuda de nenhum partido!..isso e impossovel porque na politica se nao fizer passerias quem sofre e o povo,mas infelismente esses dois prefeitos tanto o jailso do mojui,quanto o alexandre von estao agindo muito errado,no mojui o prefeito jailson so precizou dos partidos quando foi para arrumar votos pra ele,depois que passou a eleiçao ele virou as costas para todos os partidos que juntos com o povo ajudaram a eleger ele!!isso que o depultado antonio rocha colocou em sua entrevista é a pura verdade,mas o bom da politica e que quatro anos passam muito rapido,e o povo tem que analizar e votar em quem realmente tem compromisso com o povo,porque esses tipos de politicos que nao querem o apoio e a ajuda de quem quer realmente ajudar,esses politico tambem nao estao nem ai para o povo!!!!!!

    Resposta
  • 15 de março de 2013 em 12:06
    Permalink

    Concordo com Ede Tapajós e Silvane, esse politico chamado Antonio Rocha só pensa nele e na familia dele , pertence ao passado ,fora turma de sanguessuga.

    Resposta
  • 15 de março de 2013 em 08:09
    Permalink

    Parabéns deputado!! O Bom acha que vai governar tudo sozinho, sem camara, sem partidos, Seus secretários estão perdidos.

    Resposta
  • 15 de março de 2013 em 08:05
    Permalink

    Moeda de troca ja é bem conhecida nos dias de hoje, infelizmente ainda tem pessoas carentes ou que acostumaram igual boi a comer sal e beber agua no horario certo e a trocar seu voto tambem, alguns trocam por cestas basicas, outros por remedios e acreditem muitos por passagens de barco, sera que ainda existe isso aqui na nossa regiao, eu confesso que nao acredito que existam troca ou venda de votos, pois nunca vi.

    Resposta
  • 14 de março de 2013 em 22:44
    Permalink

    Pelo amor de Deus, esse homem nao tem noção do que fala. Partido dono disso e daquilo? Política é moeda de troca? Política serve para negociatas? Como esse homem pode estar tanto tempo em um cargo político? Felizmente ele nao é deputado, ele está deputado. António Rocha teu tempo passou. Isso é desespero de quem nao ganhou nada e nao conseguiu nenhuma secretaria para um dos seus 30 filhos comandar. Respeite o povo.

    Resposta
  • 14 de março de 2013 em 20:35
    Permalink

    Pensei que os recursos que são destinados aos estados e municipios fossem para aplicacao em beneficio do povo. Entretanto, pelo que pude observar, serve de moeda de troca. O PMDB ajuda se tiver cargos, secretarias, etc… Engraçado, pensei que eram dos nossos impostos. Mas não é! É dinheiro que serve para comprar e vender apoio. Que coisa feia, ridícula e que mostra como são os nossos políticos. Verdadeiro toma-la-da=cá. Até quando teremos que aturar isto? Fora Antonio Rocha, Priante, Jader e todos e quaisquer políticos que trocam os nossos recursos (dos nossos impostos), por cargos e apoio! CHEGA! Vamos banir da política nacional estes aproveitadores dos recursos públicos, que se apoderam e se acham donos. Precisamos de hospitais, escolas, ruas asfaltadas, esgotos, segurança publica. Mas sem troca, sem conchavos… SEM MENSALÃO.
    Vamos gritar… dizermos que o Brasil está mudando e que não há lugar para políticos dessa espécie.

    Resposta
  • 14 de março de 2013 em 17:40
    Permalink

    PMDB não é alvo de perseguição, é um partido de aluguél e se compra com qualquer cargo, nem comparar com o partido que foi a 30 anos atrás, se aliou ao PT formando a maior quadrilha do Brasil.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *