Milton Corrêa

Crimes: Estaríamos voltando a página virada?

De acordo com o Código Penal, em seu Artigo 121, comete homicídio quem provoca a morte de outrem, ou, aquele que mata alguém.

O próprio Código Civil identifica como três tipos de homicídio: doloso simples, doloso qualificado e culposo.

Os crimes ocorridos nos últimos dias em Santarém e região, nos faz lembrar dos anos 70 e 80, quando vivíamos o período áureo do ouro, que os crimes aconteciam por encomenda.

Questiona-se: Estaríamos voltando a essa página virada? Não podemos acreditar nisso. Mas é fato que a ação criminosa vem aumentando consideravelmente, não só com relação aos crimes de homicídios, mas também materializada em roubos e assaltos.

Um fato que não pode ser negado, e que de pode estar contribuindo para o aumento da criminalidade é o aumento do tráfico de drogas, não só em Santarém, mas em várias cidades da região.

De vez em quando, as Policias Militar e Civil, estão estourando bocas de fumo e prendendo traficantes. Infelizmente essa ação, mesmo que seja eficiente, não tem sido suficiente para reprimir de vez a criminalidade e os criminosos, que estão sempre bem armados e estruturados, em muitos casos em detrimento a própria Policia.

Se os crimes de homicídios que vem ocorrendo em Santarém são por encomenda, ou consequência do tráfico de drogas, eles tem que ser evitados pela força da ação policial, que tem o papel de dar segurança a todo cidadão de bem.

Mas para isso o aparelho policial tem que estar bem estruturado, não só com material logístico, mas também com policiais bem treinados, capacitados, prontos para agir no combate ao crime e aos criminosos.

 

O bom relacionamento é uma arte

Especialistas no assunto recomendam que homens e mulheres ao escolherem um parceiro para toda vida, pensem bastante, o melhor é não ter diferença de idade entre ambos.

A melhor escolha do parceiro é aquela onde se faz uma avaliação com inteligência e razão, através de conhecimento que se deve ter a respeito da pessoa, somando tudo isso o amor espontâneo que tal pessoa faz sentir no coração da outra.

Os casos de casais com grande diferença de idade viver felizes “até que a morte os separe” é raro, mas acontece.

Segundo a psicóloga Olga Tessari, os casais devem ter claro que, independentemente da idade biológica ou psicológica dos pares, um relacionamento deve existir para que as pessoas possam viver, construir e partilhar uma vida.

O bom relacionamento é uma arte onde é preciso aprender a conviver com as diferenças. É uma experiência positiva, quando as pessoas entendem que uma complementa a outra.

O psicanalista José Ângelo Gaiarsa defende a ideia de que duas pessoas de gerações diferentes podem ser mais semelhantes entre si, por acaso, por combinação individual, do que duas pessoas da mesma geração.

Segundo Gaiarsa, quando o casal consegue superar as diferenças, a troca de experiências entre ambos pode ser muito rica e diversificada.

Além da troca de experiências, o desejo sexual é um fator importante na relação.

“O amor é quando a gente mora um no outro”. Essa foi uma descoberta feita pelo poeta Mário Quintana, que dizia que o amor é o centro de harmonia entre os casais.

 

Falando de pesquisas…

De acordo com a história, em meados de 1940 foi realizada a primeira pesquisa de opinião pública no Brasil, a qual tinha o intuito de estabelecer o perfil dos ouvintes de rádio de ondas curtas e longas e também detectar qual seria a posição do Brasil e dos brasileiros diante do conflito da Segunda Guerra Mundial, que havia iniciado em 1939.

Com uma técnica não muito criteriosa para a época e totalmente rejeitada por especialistas na atualidade, o projeto foi realizado e os resultados foram satisfatórios, mesmo não havendo um índice correto.

Nos dias atuais, verificamos a existência de diversas técnicas de abordagem utilizadas nos estudos das pesquisas políticas, com metodologias diversificadas que se adéquam especificamente a cada tipo de trabalho.

Na opinião do cientista político Josênio Parente, professor do departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará, as pesquisas eleitorais são importantes, mas deveriam servir, sobretudo para dar orientação ao eleitor. Na sua visão, porém, elas acabam influenciando aqueles eleitores que não têm identificação com qualquer candidato, que buscam dar o chamado “voto útil”, como também no financiamento das campanhas.

Parente acredita que o estímulo ao “voto útil” mostra que os partidos, na sua maioria, não têm projetos e que seus candidatos não correspondem à expectativa do eleitorado em todos os momentos de eleição.

Se as pesquisas fossem irrelevantes para auxiliar – ou influenciar – a decisão do eleitor, faria muito pouco sentido divulgá-las. Se esses números não atraem a atenção de grande parte do eleitorado, por que eles estampam manchetes de jornais e ganham destaque nos portais eletrônicos?

Alberto Carlos Almeida, coordenador de pesquisas eleitorais, discute essa questão em seu livro: “A Cabeça do Eleitor”. Ele acredita que a possibilidade da influência das pesquisas alterar a decisão do eleitor ainda precisa ser provada com estudos de casos brasileiros.

 

Pensando na Copa de 2014

Brasil, o país do samba e do futebol sediará a próxima Copa do Mundo da FIFA, em junho de 2014. Mas é inevitável a pergunta: O país está preparado ou tem condições de tomar todas as medidas adequadas para sediar com total segurança um evento desse porte?

O coronel da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Carlos Alberto de Camargo diz que com relação à segurança em estádios de futebol. “O Brasil ainda não está preparado, mas garante que estará até 2014”.

Para o coronel, o que não pode é se perder tempo e deixar de fazer o que tem de ser feito. Segundo Carlos Alberto de Camargo, o Brasil terá uma segurança ainda melhor do a que foi verificada na Copa realizada na África do Sul.

Já para coronel da PM do Rio Miguel Libório Cavalcante Neto “é preciso integrar os esforços das diversas organizações”. Informa que temos que nos preocupar muito com a infraestrutura do aparelho policial. Deixa claro que essa é uma responsabilidade do Município, do Estado e da União.

Porém, as diretrizes gerais de segurança, do Planejamento Estratégico para a Copa do Mundo 2014 foram recentemente divulgados e oferece suporte para que sejam definidos os planos táticos e operacionais das 12 cidades sede, de acordo com as peculiaridades de cada local.

O objetivo é reforçar a segurança pública usando equipamentos, tecnologias e serviços de inteligência de forma integrada entre as instituições.

Mas até que ponto o Brasil terá condições de garantir total segurança na Copa do Mundo, se no dia a dia o cidadão não vem se sentindo seguro? Mas é bom aproveitar o momento para reaparelhar as policias e reestruturar o sistema de segurança pública, para que não só no período da copa tenhamos segurança.

 

Para encontrar a felicidade…

A maior preocupação das pessoas hoje deveria ser com o suficiente para sustentar a família, melhorar a qualidade de vida, estudar, trabalhar, um ótimo emprego, moradia digna, constituir família, gozar saúde, segurança, garantindo-lhe o direito constitucional de ir e vir.

Porém, o mundo capitalista movido pela globalização da economia, leva as pessoas a se preocuparem com o ter, ao invés de ser.

Mais que isso, o exercício do maior pecado social é visível hoje, a vaidade pela fama, pelo status social. Um exemplo disso é o jogador de futebol Neymar .

Preocupam-se também com a imagem pessoal e a beleza física, procurando figurar-se como o centro das atenções. E isso tudo não deixa de ser vaidade.

Hoje, o importante é nos preocuparmos com a ética, a conduta da moral, do caráter, da gestão de mim mesmo em relação aos outros, no exercício do viver e conviver, alimentando bons princípios, cultivando relações de amizades.

Mas em meio a tudo isso, buscamos também a felicidade. Todos nós queremos ser felizes para sempre. A busca da felicidade é uma constante na vida de todos. Não existem regras e nem fórmulas exatas para alcançar a felicidade. Mas é cada vez maior o número de pessoas que recorrem a livros de autoajuda, palestras e dicas para conseguir enxergar e desfrutar do sentimento.

Para encontrarmos a felicidade é importante aceitar o que se tem: Pesquisas mostram que pessoas felizes têm níveis modestos de expectativas e aspirações – elas querem o que elas podem obter, lutam por metas realistas, dizem o que pensam e sentem, e não estão preocupadas com o que os outros pensam delas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *