Petrobras pretende investir US$ 236,7 bilhões até 2017

Estatal não incluiu novos projetos no plano de negócios. Do total, 62% serão para o setor de exploração
Estatal não incluiu novos projetos no plano de negócios. Do total, 62% serão para o setor de exploração

A Petrobras divulgou Nesta sexta-feira seu Plano de Negócios para os anos 2013 a 2017. A companhia pretende investir US$ 236,7 bilhões no período, praticamente o mesmo valor do plano anterior (US$ 236,5 bilhões), que considerava o horizonte de investimentos de 2012 a 2016. Para executar os projetos prioritários, a estatal elevou o montante direcionado à área de exploração e produção e cortou recursos para as demais áreas: abastecimento, gás e energia, biocombustíveis e internacional. Não foram incluídos novos projetos.

Do total projetado até 2017, a companhia vai destinar 62% para o setor de exploração e produção (E&P) ou US$ 147,5 bilhões. Isso representa um acréscimo de US$ 15,9 bilhões em relação à quantia prevista para a área no plano anterior. Os investimentos no pré-sal e a cessão onerosa correspondem a 68% do valor investido em desenvolvimento da produção.

Na área de abastecimento, houve recuo de quase US$ 1 bilhão, para US$ 64,8 bilhões. A Petrobras disse que os principais projetos são as refinarias Abreu e Lima (PE) e Comperj (RJ), que vão consumir US$ 43,2 bilhões. A companhia justificou que “houve a redução pela conclusão de projetos de qualidade e conversão e pela finalização das refinarias em construção até 2016”. Disse ainda que os projetos de ampliação da capacidade de refino “passam por otimização buscando o alinhamento com métricas internacionais”.

US$ 9,9 bi com venda de ativos

A área internacional vai sofrer o maior corte (52%), passando de US$ 10,7 bilhões na versão anterior do plano para US$ 5,1 bilhões na nova previsão. O segmento de gás e energia vai receber US$ 9,9 bilhões no plano 2013-2017, sendo US$ 5,9 bilhões para a conclusão dos projetos em implantação. No plano passado, a previsão era de US$ 13,8 bilhões. Biocombustíveis passará de US$ 3,8 bilhões para US$ 2,9 bilhões.

A Petrobras disse ainda que, em 2013, a geração de caixa operacional será menor que o volume de investimentos. Essa situação só vai mudar em 2015, frisou. Enquanto houver esse desequilíbrio, a empresa pretende manter a venda de ativos, especialmente no exterior, e fazer novas captações de US$ 61,3 bilhões. Com os desinvestimentos, a Petrobras pretende levantar US$ 9,9 bilhões, principalmente em 2013.

A empresa também manterá o aperto nos gastos. A previsão é de economia de US$ 32 bilhões até 2017com corte de custos operacionais.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *