STF abre inquérito para investigar se Maluf realizou caixa dois em 2010

Maluf foi denunciado pelo MPF com base na rejeição de suas contas eleitorais, pelo TRE de São Paulo.
Maluf foi denunciado pelo MPF com base na rejeição de suas contas eleitorais, pelo TRE de São Paulo.

O STF (Supremo Tribunal Federal) abriu um inquérito para investigar se o deputado Paulo Maluf (PP-SP) cometeu crime de caixa dois nas eleições de 2010.

Maluf foi denunciado pelo Ministério Público Federal com base na rejeição das contas eleitorais de Maluf pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.

Segundo a denúncia, a Justiça Eleitoral aponta que existem “indícios de que o então candidato Paulo Salim Maluf teve despesas eleitorais do pleito de 2010 pagas pela empresa Eucatex S/A, pertencente a familiares, no montante de R$ 168,6 mil não declarando-as em sua prestação de contas”.

A decisão foi tomada em fevereiro pelo ministro Luiz Fux.

A Justiça Eleitoral apontou ainda que “a empresa ARTZAC – ISAC DE JESUS GOMES SALTO – ME prestou serviços ao candidato. É certo que as notas fiscais fornecidas pela citada empresa (fls. 356/358) noticiam o fornecimento de material de campanha a terceira pessoa, isto é, à empresa EUCATEX S.A”.

A defesa vai pedir que o STF suspenda a investigação até que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) examine o caso. Após o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) ter negado as contas, a prestação foi parar no TSE. Os advogados argumentam que, se o TSE absolver Maluf, o inquérito estará prejudicado.

REVISTA EM AEROPORTO

Em um segundo processo, Maluf tem de se manifestar ao STF por ter recusado passar por uma revista no Aeroporto de Brasília. Ele é acusado de desobediência da ordem legal de um funcionário público.

Em fevereiro do ano passado, o deputado passou pelo detector de metais do aeroporto. O aparelho apitou e Maluf não quis passar pela revista dos agentes. Ele chegou a embarcar, mas a equipe de segurança informou que o avião não poderia decolar se ele não passasse pela revista. Ele resistiu, mas acabou aceitando ser revistado. Foi identificado que o problema era o cinto.

Em 2011, o Supremo aceitou denúncia contra Maluf e integrantes de sua família por lavagem de dinheiro. Ele é acusado de desvio de recursos públicos de obra de sua gestão na Prefeitura de São Paulo.

Fonte: Folha de São Paulo

Um comentário em “STF abre inquérito para investigar se Maluf realizou caixa dois em 2010

  • 21 de março de 2013 em 09:44
    Permalink

    Esse cara está no Guinness Book há muitos anos , recordista , o Ministério Público Estadual de São Paulo que o diga …..
    Paulo Maluf é procurado pela Interpol , uma espécie de polícia internacional que é composta por 181 países. Se ele colcar os pés dele num dos 181 países que compoem a Interpol ele será imediatamente preso! A Interpol declarou a prisão dele após a conclusão da investigação conjunta da Promotoria de Nova York (Estados Unidos) com a Promotoria de São Paulo(Brasil). Leitores de OImpacto vcs não tem noção do tanto de dinheiro público que esse Maluf desviou!
    Aqui no Brasil ele não vai preso pq a lei da brechas e tbm o sistema é podre !
    A nossa romantica lei brasileira SO SERVE NA SUA MAIORIA PRA PROTEGER BANDIDO, essencialmente os do COLARINHO BRANCO!Está aí a prova muitos malufs andam no Brasil ricos trilhardários A CUSTA DA MISÉRIA DO POVO BRASILEIRO!
    Nossa lei veda/proíbe a extradição =(ida coercitiva / \”na marra\”) de brasileiro nato.
    Não zombem dos eleitores de São Paulo pq temos muitos Malufs aqui no Norte e pior, não somos uma região rica financeiramente e nem desenvolvida como a região sudeste do Brasil .
    O que a gente faz então? Não vota em lobo que tem péle de ovelha e …rezar orar muito e de joelhos pra Deus ter misericórdia da gente e nos livrar das pragas de todos os tipos principalmente de políticos corruptos , e tbm p/ Deus não nos deixar cair em tentação de cair na lábia deles(as),pois esse tipo de político só vem pra roubar !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *