Justiça manda soltar médica acusada de mortes

Virgínia Soares de Souza
Virgínia Soares de Souza

A médica e ex-chefe da UTI Geral do Hospital Evangélico, em Curitiba, Virgínia Soares de Souza, 56, deixou o Centro de Triagem I, na capital paranaense, às 16 horas desta quarta-feira (20). O juiz Daniel Surdi de Avelar, da 2ª Vara do Tribunal de Júri, atendeu ao pedido de “habeas corpus” da defesa e determinou sua liberação. Ela e o advogado de defesa, Elias Mattar Assad, deixaram a instituição sem falar com a imprensa.
Virgínia estava detida de forma temporária desde o dia 19 de fevereiro, mas em seguida sua prisão passou a ser “preventiva”. Ela é acusada de homicídio duplamente qualificado e formação de quadrilha em conjunto com mais sete médicos e enfermeiros (todos em liberdade).

Em denúncia do Ministério Público apresentada à Justiça na última semana, eles são acusados de envolvimento nas mortes de sete pessoas que estavam na UTI, além de serem suspeitos de outras 21 mortes.

Fonte: Agência Estado

 

Um comentário em “Justiça manda soltar médica acusada de mortes

  • 21 de março de 2013 em 08:54
    Permalink

    Por isso que quando o ministro Joaquim Barbosa diz em entrevista a veículos estrangeiros, onde disse que os juízes brasileiros têm mentalidade “pró-impunidade”.
    _ O judiciário é covarde, onde também o código de defeza civil, deixa brexa para advogados do tipo desse.., soltar uma assassina como essa VIRGINIA.
    Só Deus na vida dos inocentes!!!
    JUDICIÁRIO REALMENTE JUDIA DOS MENOS FAVORÁVEIS.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *