Advogado denuncia falência do sistema penitenciário de Santarém

Celso Furtado denuncia precariedade
Celso Furtado denuncia precariedade

Em visita realizada na segunda-feira, 25, na Penitenciária Silvio Hall de Moura, o advogado Celso Furtado, em companhia da assistente social Edna Coelho, Loreni Bruck e Raimundo Pacheco, constataram a triste situação da falta de assistência médica que vive centenas de detentos da referida casa penal.

Segundo o advogado Celso Furtado, no local ficou constatado o caos em que vivem os internos, onde as celas estão superlotadas, cada uma com mais de cinco internos, quando cada xadrez deveria comportar apenas 03 presos. Outros problemas detectados pela comissão foram celas com infiltrações, onde os presos improvisam formas de conter o vazamento da água.

“Com isso já é visível internos com sintomas de doenças, como hanseníase e possivelmente com hepatite”, denuncia o advogado.

Ele assegura que o caos maior é a falta de médicos e enfermeiros, onde na enfermaria do complexo penitenciário foram encontrados dois técnicos em enfermagem, que se revezam, para atender cerca de 600 internos, trabalhando com a falta de medicamentos. Celso afirma que não existem enfermeiros e médicos contratados pela Susipe, onde só aparecem profissionais da área de saúde, quando há uma ultra necessidade ou quando é acionado pela direção do Presídio.

“O que vimos foi um complexo falido, onde não adianta trocar de direção sem dar condições para se trabalhar. Tudo depende de Belém”, argumenta o Advogado, afirmando que a Susipe, que é a representante do Sistema Penitenciário do Pará, recebe constantemente relatórios, do Conselho da Comunidade, demonstrando as reais necessidades urgentes a serem supridas no CRSIHM, mas que todos são ignorados.

“Os internos provocam a destruição do próprio local, onde se encontram, cavando buracos no chão e no teto, quebrando as telhas, deixando o local imprestável, tudo isso com um único objetivo, o de fugir. O caos instalado no complexo penitenciário é uma conseqüência do descaso da Susipe, pois sempre que uma cela é danificada, imediatamente deve ser recuperada, os presos pagam caro pelo descaso, eles provocam a destruição, mas se tiver a resposta imediata com a recuperação do dano, com certeza diminuiria o impacto da estrutura e o local pelo menos estaria em condições permanente de manter internos como humanos”, afirma Dr. Celso Furtado.

O advogado denuncia que os internos, que cumprem pena e os que estão à espera de sentença, apelam para que se dê um tratamento humano a eles, “pois como estão, os porcos vivem melhor do que eles”, informou.

“È necessário que a imprensa de Santarém visite o complexo penitenciário local, indo até os pavilhões e celas, para ver in loco, o caos em que encontram os internos. Uma coisa é certa, não adianta apenas reformar o CRSIHM, o que se deve fazer é demolir, está precisando ser implodido e no local ser construído outro complexo mais moderno, para dar condições humanas para os presos de justiça. Eles erraram, cometeram crimes contra a sociedade, devem pagar, mas em locais que ofereçam o mínimo de condições humanas”, denuncia o Advogado.

Celso Furtado disse que a conclusão  que se tira dessa visita, mais uma de várias outras, é que a Susipe deva descentralizar e desburocratizar a administração, dando mais autonomia para Santarém, que deva contratar com urgência, médicos, enfermeiros e assistente social, para melhor assistir os internos.

Famílias denunciam epidemia de tuberculose em Cucurunã: Famílias de detentos do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura, na comunidade Cucurunã, em Santarém, Oeste do Pará, denunciam uma epidemia de tuberculose no local. Segundo os familiares dos presos, 20 internos estariam com a doença, mas não estariam recebendo o tratamento adequado.

Uma senhora, que não quis ser identificada, conta que o filho foi preso há pouco mais de um mês. Ela relata que, quando esteve na casa penal, soube que 20 presos estariam com tuberculose. “Lá no presídio não tem um médico, na enfermaria não tem remédio, os presos falaram que quando tem visita, eles tentam maquiar o problema, arrumando o que dá”, denuncia. Outra senhora que teve o marido preso há dois meses afirma que viu um dos presos com tuberculose usando máscara dentro da penitenciária.

Susipe esclarece sobre denúncias: O superintendente do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), André Cunha, concedeu entrevista para esclarecer as denúncias registradas nos últimos meses sobre a Penitenciária Agrícola Silvio Hall de Moura, em Cucurunã, no município de Santarém. Dentre os problemas estão as rebeliões, fugas, assassinato de um detento e entradas de aparelhos celulares e drogas. A última denúncia foi a de que alguns presos estariam infectados por tuberculose. Neste último caso, o superintendente informou que foi realizado um diagnóstico e comprovado que apenas um interno está com a doença, os demais estão utilizando máscaras por precaução. “Existe um protocolo da saúde que diz: ‘todas as pessoas que tiveram contato direto com uma pessoa diagnostica elas tem obrigatoriamente que fazer o exame. Quinze outros presos que tiveram contato foram submetidos e o exame deu negativo”, ressalta. O Superintendente afirmou que o governo está em busca de novos profissionais de saúde para trabalhar na casa penal.

Fonte: RG 15/O Impacto e Manoel Cardoso

4 comentários em “Advogado denuncia falência do sistema penitenciário de Santarém

  • 28 de março de 2013 em 08:36
    Permalink

    vejo ultimamente os advogados todos preocupados com a situação dos presos, e eu tenho a solução; se juntar todos os advogados, alugarem um hotel 5 estrelas, e colocarem os presos; não vejo outra saida.

    Resposta
  • 28 de março de 2013 em 07:11
    Permalink

    E a sociedade arca com esses custos altissimos para manter patifes de todo sorte em presidios. Esse advogado poderia ocupar seu tempo denunciando a maneira como nos, contribuintes somos tratados pelos Poderes Públicos, pois pagamos impostos e não temos sequer ruas decentes para trafegarmos em Santarém. Sr. advogado, rogue a Deus para quando um desses bandidos defendidos pelo Sr. for posto em liberdade, não alcance nenhum dos seus com seus atos cruéis, pois patifes não respeitam nimguem.

    Resposta
  • 27 de março de 2013 em 21:48
    Permalink

    Se fosse so aqui dava-se um jeito.
    No Brasil todo!Temos apenas raras exceções de alguma coisa.
    Quem vai preso e é condenado, adquire doutorado em pilantragem , sai do presídio, e quando sai, com doutorado em pilantragem.
    Rola de tudo , de tudo o que não presta …

    Resposta
    • 24 de abril de 2013 em 14:30
      Permalink

      Sabe onde este1 o segredo do bom rciaelonamento entre as pessoas?Este1 na afetividade e na alteridade, significando esta faltima, o respeito. Respeito pelo espae7o dos outros, por suas ide9ias e sua maneira de ser. Os grupos humanos que convivem, tais como a famedlia, os companheiros de trabalho, os colegas de estudos, os vizinhos, os membros de uma comunidade, seja religiosa ou ne3o, dificilmente conseguem vivenciar a fraternidade, a boa vontade e bem-estar edntimo em sua plenitude quando reunidos.Geralmente ne3o toleramos as pequenas manias dos outros, a maneira de ser de cada um, e queremos ente3o corrigi-los pelos nossos prf3prios crite9rios. Mas quando se3o os outros que querem corrigir as nossas manias ou a maneira de percebermos a vida e todas as coisas, os nossos gostos e inclinae7f5es, nos aborrecemos.Quando aprendermos a ser mais afetivos e alterite1rios, dando aos outros a liberdade e o respeito que nf3s mesmos queremos receber, a conviveancia fica bem mais fe1cil e agrade1vel.Creio que ao colocar estes princedpios em pre1tica, je1 se trata de um grande sucesso!Abrae7osMarcos

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *