Clareamento dentário realizado sem orientação pode trazer danos irreversíveis

 

Clareamento dentário
Clareamento dentário

Os clareadores dentais necessitam apenas do registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem vendidos em farmácias. Porém, se utilizados sem a orientação profissional, podem resultar em manchas, hipersensibilidade e inflamações em toda arcada dentária. Segundo o odontólogo Davi Ceolin, especializado em Dentística e Periodontia, os clareadores são vendidos em concentrações variadas e o Peróxido de Carbamida – substância que compõe o gel usado nestes casos – precisa ser administrado de acordo com as necessidades de cada paciente.

— Um gel com forte concentração pode ser doloroso para pessoas que já possuem sensibilidade nos dentes, além de acentuar este quadro. Outro fator é que a substância pode vazar do molde e entrar em contato com a boca, o que causa perda da gengiva entre os dentes e a retração do local, deixando a raiz à mostra — comenta.

No dentista

No consultório, existem duas técnicas seguras de clareamento: o chamado ‘caseiro’ – que parte do procedimento é realizado pelo próprio paciente, conforme orientações – e o a laser. O primeiro tem o mesmo princípio dos produtos vendidos sem orientação de um dentista, porém com uma moldeira feita sob medida para o paciente e a concentração de gel indicada pelo profissional para cada caso.

— Em algumas situações, a pessoa nem pode realizar o clareamento, porque possui restaurações, machucados na gengiva ou mesmo alergia à substância — observa Ceolin.

Já o método a laser é indicado para quem espera um resultado mais rápido. Enquanto o procedimento feito por luz proporciona um efeito imediato, o tratamento caseiro leva no mínimo três semanas.

Manutenção

O resultado dos tratamentos dura em média dois anos, desde que o paciente tome alguns cuidados como evitar o consumo de refrigerantes, café, molhos de tomate e o hábito de fumar durante o tratamento. Escovar os dentes após cada refeição e voltar ao consultório a cada seis meses também auxiliam na manutenção do procedimento. Segundo Ceolin, os pacientes precisam saber que ambos os métodos podem causar sensibilidade dentária temporária, principalmente nos tratamentos à luz.

— É comum um aumento na sensibilidade dos dentes, porém ela não é permanente e o uso de cremes dentais específicos e anti-inflamatórios sob orientação do dentista solucionam o problema.

Indicação

O clareamento dentário é indicado para pessoas acima de 16 anos e os resultados podem variar de acordo com cada paciente. Para quem tem manchas acinzentadas ou de cor marrom, causadas pelo uso do antibiótico Tetraciclina ou por tratamentos de canal, devem procurar um procedimento específico. Fumantes e gestantes também não devem realizar estes métodos de clareamento.

 

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *