Pró-Saúde é condenada por fraude trabalhista

Hospital regional
Hospital regional

A Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar (Pró-Saúde) foi condenada em R$ 400 mil por dano moral coletivo. A sentença foi dada pela Terceira Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Distrito Federal e Tocantins (TRT 10) em ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).
A Pró-Saúde é responsável pelo gerenciamento e execução de atividades e serviços de saúde no Hospital Municipal e Ambulatório de Especialidades em Araguaína (TO). A associação é acusada de contratar médicos de forma fraudulenta, por meio de pessoas jurídicas individuais ou coletivas, o que desvirtua seu caráter cooperativista.
O MPT apontou ainda que, após a instauração de inquérito civil, a associação cometeu nova fraude, transferindo as suas atividades a uma suposta “Cooperativa Médica”, dita nacional e trazida para Araguaína apenas com a finalidade de “regularizar” a contratação dos profissionais que lhe prestam serviços.
A associação já havia sido condenada em primeira instância em R$ 100 mil, em decisão proferida pela 1ª Vara do Trabalho de Araguaína. A sentença da Terceira Turma aumentou o valor da indenização para R$ 400 mil em razão da cooperativa já ter sido condenada a pagar R$ 300 mil em outra ação por prática similar.
Processo: 00510-2012-811-10-00-3-RO

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/Procuradoria-Geral do Trabalho

 

3 comentários em “Pró-Saúde é condenada por fraude trabalhista

  • 29 de julho de 2013 em 00:04
    Permalink

    Esses miseraveis sao sustentados pelos politicos que colocamos para nos representar…fraudadores da classe da saude…vamos condenar,denunciar.

    Resposta
  • 1 de abril de 2013 em 18:33
    Permalink

    A Pró-Saúde faz essa picaretagem de não pagar direito trabalhista em todo Brasil, mas parece que agora o Ministério Público do Trabalho está acabando com isso no Tocantins. Vamos cobrar que o MPT brigue para que os direitos do trabalhor também sejam respeitados aqui em Santarém.

    Resposta
  • 1 de abril de 2013 em 17:53
    Permalink

    Essa Pró-Saúde tem que ser condenada mesmo, porque não paga os direitos trabalhistas, não respeita jornada de trabalho dos enfermeiros, persegue os funcionários e paga salários de miséria para os empregados.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *