Dengue matou quatro pessoas este ano no Pará

 

Hélio Franco.
Hélio Franco.

Do primeiro dia do ano até o último dia 30, 2.468 casos de dengue foram notificados no Estado. A média é de 27 casos da doença confirmados por dia. No total, foram 7.440 casos suspeitos no Pará durante este período, 50% a menos que no ano passado. Os números foram apresentados ontem pela manhã, em coletiva de imprensa, na sede da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Na ocasião, o secretário de estado de Saúde Pública, Hélio Franco, assinou um termo de cooperação com Oletina Barreto, relações institucionais da operadora de telefonia Vivo no Norte, dando início a um projeto de incentivo à prevenção da dengue.

O número de casos confirmados representa uma diminuição de 62% em relação aos primeiros três meses de 2012, quando 7.360 pessoas foram diagnosticadas com dengue. No entanto, enquanto em todo o ano passado a doença fez cinco vítimas fatais, de janeiro a março deste ano já foram registrados quatro mortes decorrentes da dengue.

Segundo Bernardo Cardoso, coordenador estadual de controle de endemias, mais de 90% dos focos de dengue encontram-se fora de residências. “Nós não estamos falando apenas de quintais. O lixo urbano é o maior responsável por gerar focos da doença. A água que se acumula em garrafas plásticas, por exemplo, acaba virando berçário para as larvas do mosquito. Daí a importância do trabalho em parceria com as secretarias municipais de saneamento e meio ambiente”, explica.

Hélio Franco chama atenção para a necessidade da população tomar consciência de que os cuidados não se restringem ao interior das casas. “Se uma pessoa consome e joga uma garrafinha de água na rua, aquele recipiente se torna foco da doença”.

PARCERIA

A partir de hoje, 200 mil torpedos gratuitos começarão a ser enviados a clientes com DDD 91 da Telefônica Vivo. As mensagens contêm o seguinte alerta: “Dica Vivo: Vamos combater a dengue. Seja um aliado da vida. Não deixe água acumulada e receba bem o agente de saúde. Sespa 4006-4261/ 4219”. No corpo das SMSs, além do telefone, consta o site da secretaria.

“Nós também iremos realizar publicações sobre o tema em nossos perfis no Twitter. No total, temos mais de 355 mil seguidores”, diz Oletina Barreto.

O secretário lembrou a importância do envolvimento de todos contra a dengue. “Só o poder público não vai resolver o problema. Nós precisamos do auxílio da população, iniciativa privada, órgãos de classe, entidades, enfim. Esperamos que essa inciativa sirva de exemplo para que outros possam tomar posturas semelhantes”, completa Hélio Franco.

Fonte: Diário do Pará

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *