Policial Militar preso acusado de chefiar quadrilha

Cabo Cerdeira (1º acima) e demais integrantes da quadrilha
Cabo Cerdeira (1º acima) e demais integrantes da quadrilha

A Superintendência de Polícia Civil do Baixo e Médio Amazonas deflagrou na madrugada de terça-feira, 02, em vários bairros de Santarém, no Oeste do Pará, a operação denominada “Caixa Forte”, sob comando dos delegados Gilberto Aguiar, Jardel Guimarães, Nelson Silva e Silvio Birro, resultando na prisão de 06 homens, entre eles, um policial militar apontado como líder do bando e responsável pelo planejamento dos crimes.

Eles são acusados de participar de uma quadrilha interestadual, com integrantes de Santarém e Manaus, chefiada pelo cabo da Polícia Militar, Zoilo Cerdeira de Sousa, conhecido como “Cabo Cerdeira”. O policial militar é apontado nas investigações como o mentor intelectual do grupo. A prisão do militar foi acompanhada pelo coronel Eraldo Sarmanho, titular do CPR-1, em Santarém.

Policiais civis informaram que a quadrilha é especializada em diversas modalidades de crimes, como assaltos a bancos, a postos de combustível e em via pública com uso de motocicletas; arrombamentos de cofres e caixas eletrônicos e de farmácias; roubo de motocicletas; fornecimento de armas de fogo e veículos para assaltos e comércio ilegal de munições, onde os integrantes de Santarém formulavam as estratégias delituosas e passavam as coordenadas para os bandidos de Manaus, os quais executavam o crime.

Com a quadrilha foram apreendidas duas motocicletas, de marca Honda, de placas NSL – 3891 e NSQ – 9949; um veículo carro; equipamentos de arrombamento, como pé de cabra, marretas e alicate de pressão; cartões de bancos; um notebook; talão de cheque; celulares e dinheiro; armas de fogo; além de documentos de veículos, munições, cartões de contas de funcionários públicos usados na prática de agiotagem e outros documentos que passarão por análise.

Além do cabo PM Cerdeira, também foram presos na ação policial os integrantes da quadrilha, Aldemir Júnio de Oliveira, de apelido “Júnio”; Josimar Rui Pinho da Silva, 27 anos, conhecido como “Jobinha” ou “Grugue”; Fábio Rodrigues de Sousa; Marcos Jonatas Araújo da Silva, 41 anos e; Jackson Douglas Mendes Mota, o “Jeremias”.

O delegado Jardel Guimarães destaca que os investigadores fizeram a operação que culminou no cumprimento de mandados de busca e apreensão, assim como na prisão temporária contra a organização de vários integrantes de uma quadrilha interestadual. Ele explica que apenas o núcleo de Santarém foi desmembrado.

“Eles praticavam diversos furtos, com especialidade em arrombamentos em cofres de onde subtraiam quantias elevadas. Juntamente com o restante da quadrilha que vinha do Estado do Amazonas, praticavam o delito e no mesmo dia deixavam Santarém, em companhias aéreas, sem deixar qualquer suspeita”, detalha Dr. Jardel Guimarães.

Segundo ele, entre os diversos furtos e arrombamentos praticados pela quadrilha estão os postos de combustível Tambaú e Nacional, a farmácia Extrafarma, além de tentar explodir o caixa eletrônico localizado dentro do Ceulss/Ulbra, culminando na prisão dos integrantes da organização criminosa.

“A operação já vinha sendo monitorada há bastante tempo e contamos com o trabalho de inteligência policial, o Núcleo de Apoio a Investigação (NAI) deu apoio total para que a Polícia Civil pudesse monitorar essas pessoas, prender e fazer o desmembramento do núcleo que faz parte de vários delitos na nossa cidade, sendo uma quadrilha bastante organizada”, afirmou o Delegado.

De acordo com o delegado Jardel, a quadrilha fazia os arrombamentos, depois tirava quantias elevadíssimas, onde as pessoas de Santarém ficavam com o restante do dinheiro e davam todo o suporte. Ele reforça que foram cumpridos seis mandados de prisão, onde foram levadas cinco pessoas para a 16ª Seccional, porém, um deles foi para o Quartel do 3º BPM, onde foi custodiado.

“Ainda temos mais três mandados de prisão a ser cumpridos pela Polícia Civil. Mesmo com os amazonenses presos em Santarém, ainda existem outras pessoas em Manaus atuando na mesma quadrilha. Estamos trabalhando para tirar o restante da quadrilha de circulação, para pararem de aterrorizar a nossa cidade”, garantiu o Delegado.

OPERAÇÃO: O delegado Nelson Silva frisa que a operação contou com a participação de vários policiais civis e delegados, com o intuito de fazer cumprir diversos mandados de busca e apreensão e de prisão temporária. “É importante frisar que essa quadrilha se especializou na abertura de cofres e arrombamentos em estabelecimentos comerciais e fizemos a prisão de vários integrantes da organização criminosa”, afirma.

De acordo com o delegado Nelson, todos os veículos ficarão à disposição da Justiça, para que sejam periciados, com a proposta de saber a real participação dos veículos nos delitos praticados pela quadrilha.

Os acusados foram levados para a 16ª Seccional da Polícia Civil, em Santarém, onde foram ouvidos e colocados à disposição da Justiça, na Central de Presos Provisórios da Susipe. Já o cabo da Polícia Militar foi encaminhado para o Quartel do 3º BPM, onde foi custodiado.

 INVESTIGAÇÃO: Segundo o delegado Gilberto Aguiar, Superintendente da região do Baixo e Médio Amazonas, a operação resultou de investigações e esforço de equipe policial que acompanhava as atividades criminosas na região. O Delegado destacou, na operação, a apreensão de equipamentos utilizados nas práticas criminosas que, para ele, atende as diretrizes operacionais da Polícia Civil, com uso das mais modernas tecnologias de combate ao crime.

O delegado Gilberto Aguiar destaca, também, a integração entre as unidades da Polícia Civil na região, e o Núcleo de Inteligência Policial (NIP), para o êxito da operação, além da parceria com outros Estados da Federação visando identificar os criminosos e desarticular quadrilhas que tentam se instalar nos municípios do Oeste paraense, como forma de dar mais segurança à população.

CONTABILIDADE DO CRIME: A Polícia Civil contabilizou na região Oeste paraense ações criminosas cometidas pelo bando nas cidades de Itaituba, Rurópolis, Alenquer, Monte Alegre, Terra Santa, Juruti e Placas. Todos os crimes foram registrados em boletim de ocorrência e estão sob investigação. O trabalho policial foi coordenado pela Superintendência Regional da Polícia Civil no Baixo e Médio Amazonas, com acompanhamento do Comando de Policiamento Regional I de Santarém, do Grupamento Tático Operacional e da Corregedoria Regional da Polícia Militar em Santarém.

Policial também teria emprestado uma moto para a quadrilha: O cabo da Polícia Militar Zoilo Cerdeira de Sousa, suspeito de participar de uma quadrilha de assaltantes, ficará preso temporariamente no quartel do 3º BPM, em Santarém, por cinco dias. De acordo com o comandante do 1º Comando de Policiamento Regional (CPR I), coronel Eraldo Sarmanho, há suspeita de que o policial tenha fornecido armas a quadrilha de assaltantes. “Na busca e apreensão, não foi encontrado armamentos, mas foi encontrada uma moto que tinha um problema de identificação. Possivelmente, esta moto estaria sendo utilizada por meliantes. Na investigação, o nome do policial é citado várias vezes, mas isso não quer dizer que esteja fornecendo armamento”, declarou.

O comandante informou que foi determinado que a Corregedoria da Polícia Militar abra um procedimento. “Se ficar comprovada alguma coisa, vamos pedir ao conselho para que ele [policial] saia da instituição”, destaca.  “A gente aproveita para pedir desculpas à sociedade, na condição de policial militar. Nós, policiais militares, a maioria, temos o compromisso da Polícia de aproximação, nós não compactuamos com isso. Pedimos que a sociedade continue acreditando na gente porque nosso efetivo é de referência no Estado. Nossos policiais, ou tem curso superior, ou estão cursando, são policiais com esclarecimento intelectual muito grande”, afirmou coronel Sarmanho.

Por: Manoel Cardoso

2 comentários em “Policial Militar preso acusado de chefiar quadrilha

  • 10 de abril de 2013 em 11:59
    Permalink

    parabenizo a policia pelo grande trabalho feito, com grande êxito na operação tolerância zero.e que esse tipo de operação, não deixe de ser piriódicamente realizada.

    Resposta
  • 8 de abril de 2013 em 08:54
    Permalink

    Quero parabenizar todos os envolvidos nesta operação, e expressar a minha confiança nas autoridades policiais que não medem esforços para tirar de circulação esses rebortalhos da sociedade. Parabéns também pela matéria. Diógenes Lopes – Professor.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *