O MINISTÉRIO DA MICROEMPRESA E O PREJUÍZO AOS EMPRESÁRIOS

O governo criou a Secretaria com status de Ministério da Micro e Pequena Empresa com a finalidade de incentivar a exportação e o desenvolvimento da economia e das empresas vinculadas. Esperamos que estenda os benefícios à redução dos encargos e tributos, uma vez que esses encargos prejudicam o crescimento das empresas, quando incluem os custos tributários no custo da produção. As normas devem ser claras e em conjunto com os Estados. O Estado do Pará não visa o crescimento dessas empresas, quando não acompanha o limite do simples nacional. O Governo Federal estipulou o valor como limite R$ 3.600,000, 00 e o Estado do Pará mantêm R$ 1.800.000,00 como limite. Não existe crescimento se o Estado do Pará não acompanha o limite do Governo Federal, forçando as empresas a serem excluídas do Simples Estadual para gerar maior arrecadação do ICMS.

Não existe crescimento com procedimentos diferenciados entre os estados e União. Não adianta crescer as receitas na esfera da União se o Estado estagna o seu limite forçando as empresas a serem excluídas do Simples Estadual visando apenas arrecadação. E em alguns casos, exigindo diferencial de alíquota e substituição tributária.

Existem casos em que as mercadorias são retidas por simples falta de obrigações acessórias de fácil atendimento, enquanto a obrigação principal está regular. Falta o Estado disciplinar os servidores, que no cargo não possuem conhecimento suficiente para interpretação da legislação que hoje não serve mais como referencial, já que os tribunais decidem contra o entendimento dos servidores, corrigindo as lacunas que as leis tributárias deixam, já que são antigas e não acompanham a evolução da economia, prejudicando o crescimentos das empresas que procuram sobreviver através do Planejamento Tributário que hoje não atendem mais os procedimentos internos das empresas, sacrificadas pelas apresentações de formulários que ajudam apenas a fiscalização sem oferecer aos empresários incentivos proporcionais às normas criadas com obrigações principal e acessórias.

Não adianta criar um Ministério para incentivar a classe empresarial sem que esse Ministério discipline, através de lei, os incentivos fiscais, já que os empresários vão ficar vinculados às normas do Ministério da Fazenda, que continua com as mesmas normas que até hoje não ajudam as Micro e Pequenas Empresas.

O Ministério das Micro e Pequenas Empresas deve criar leis que vincule as empresas ao Ministério identificando os benefícios tributários e dos encargos sociais.

As Micros e Pequenas empresas precisam de garantias e em nosso sistema tributário não existem essas garantias procedimentais. É difícil ser empresário no Brasil com o sistema que o governo oferece. O governo sabe apertar quando cria sistemas e formulários vinculando informações entre os empresários e entre órgãos da administração pública, sem alterar o sistema tributário. Não pode o governo visar arrecadação com os novos procedimentos sem antes alterar alguns procedimentos técnicos que causam prejuízos à classe empresarial, não somente às Micros e Pequenas Empresas e sim a todos os empresários.

8 comentários em “O MINISTÉRIO DA MICROEMPRESA E O PREJUÍZO AOS EMPRESÁRIOS

  • 15 de maio de 2015 em 22:05
    Permalink

    Prezado Almeida. Esclarecedor seu artigo, e didia mais ainda, um alerta pra todos nós. Deveriamos nos unir, classe empresarial, temos um poder que nem mesmo sabemos. Somos nós que mantemos esse pais funcionando, fechem suas empresas e verão o que acontecerá.

    Resposta
  • 22 de abril de 2013 em 12:16
    Permalink

    Prezado Almeida novamente parabéns pela material, realmente sem autonomia não vai funcionar esse ministério.
    Apesar de nossa constituição atribuir ao Estado autonomia sobre ICMS, a mesma constituição garante tratamento diferenciado ao MICRO e pequeno empresario, acho que nos tribunais podemos ganhar tranquilamente, fica a dica!!!!!

    Resposta
  • 21 de abril de 2013 em 19:58
    Permalink

    Parabens Almeida, esta cada vez mais difícil ser empresário no Brasil, no estado do Pará pior ainda com este sublimite do simples

    Resposta
  • 21 de abril de 2013 em 15:40
    Permalink

    A grande verdade é que o Governo (federal, estadua e municipal) só esperam alguma oportunidade para massacrar ainda mais a classe empresarial, com altos tributos e ainda, quando o empresario acredita estar fazendo tudo certinho, aparece do nada os famigerados fiscais, que criam situações com finalidade única de ferrar ainda mais a empresa, buscando assim sempre aumentar a arrecadação do Fisco …
    É necessário ser bem corajoso para ser empresário neste país …

    Resposta
  • 21 de abril de 2013 em 12:40
    Permalink

    Bom artigo. E difícil ser empresário em nosso Brasil. E isso ai Almeida, você esta alertando e bom.

    Resposta
  • 20 de abril de 2013 em 17:32
    Permalink

    Deveria ser assim, mais não e. O governo soques tirar dos empresários. Oferece uma coisa e pratica outra.

    Resposta
  • 19 de abril de 2013 em 21:29
    Permalink

    Amigo Almeida, muito bom seu artigo. Explicativo. Parabéns.

    Resposta
  • 18 de abril de 2013 em 09:21
    Permalink

    Falou pouco mas disse tudo chefe.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *